PUBLICIDADE
Brasil França Portugal Espanha Suiça francesa Suiça alemã Suiça italiana Italia
Registre-se | Conectar:
TwitterCriasaude no TwitterErrorAviso de errosPrintImprimir

Tratamento aids

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Tratamento aids

O tratamento da aids é indicado por médicos especialistas ou em centros médicos especializados.

Os remédios utilizados para limitar o desenvolvimento do HIV são os virostáticos (antiretrovirais).

Os fármacos atualmente disponíveis para o combate do HIV/AIDS agem em diversas etapas do ciclo de vida do vírus.

De acordo com a OMS, em julho de 2012 haviam 26 drogas virostáticas no mercado.

Inibidores de Fusão
Para infectar as células, o vírus HIV une-se aos receptores CD4 (presentes em algumas células, como os linfócitos T-auxiliares) através da glicoproteína gp120. Uma vez unido à CD4, o HIV ativa outras proteínas na superfície da célula humana, conhecidas como co-receptores CCR5 e CXCR4, completando assim a fusão. Os fármacos conhecidos como inibidores de fusão atacam o vírus nesse estágio. O composto inicialmente aprovado pela FDA dessa classe é o T-20 ou enfuvirtida (Fuzeon®). Ele é um polipeptídeo composto por 36 aminoácidos. Outro fármaco aprovado em 2007 é o maraviroc (Celsentri®, Selzentry®). Além desses, cogita-se o uso do PRO 140, um anticorpo monoclonal que antagoniza com o receptor CCR5, como inibidor de fusão. O protótipo de inibidor do receptor CXCR4 foi o AMD3100. Estudos para seu uso contra o HIV foram suspensos, mas originou uma nova molécula, a ADM070, que encontra-se em fase II de estudos clínicos.

remédio aidsInibidores da Transcrição Reversa
Uma vez ocorrida a fusão, o material genético do vírus, composto por RNA, integra-se à célula. Uma enzima, a transcriptase reversa, converte o RNA viral em DNA. Nessa etapa, 3 classes de fármacos atuam:

· Análogos de nucleosídeos: AZT/zidovudina, ddI/didanosina, 3TC/lamivudina, d4T/stavudina, ddC/zalcitabina, ABC/abacavir e FTC/emtricitabina;

· Análogos de nucleotídeos: tenofovir, adefovir;

· Inibidores não nucleosídeos da transcriptase reversa (NNRTI): efavirenz, neviparina, delavirdina, etravirina.

Para que esses fármacos possam inibir a enzima, eles precisam ser transformados metabolicamente através de enzimas que fosforilam as moléculas.

Alguns fármacos que estão em desenvolvimento são: racivir, apricitabina, elvucitabina e amdoxivir.

Inibidores de Protease
A protease viral é responsável pelo processamento das proteínas gag e gag-pol que constituem o capsídeo viral. Os inibidores dessa enzima interferem no último estágio da replicação viral, prevenindo a formação de novos vírus. Alguns dos fármacos presentes a essa classe sã saquinavir, ritonavir, indinavir, nelfinavir, amprenavir, fosamprenavir, lopinavir, atazanavir, tipranavir e darunavir.

O tipranavir é um fármaco não peptidomimético, possuindo bom perfil de resistência às mutações virais.

O último fármaco dessa classe a ser aprovador pela FDA foi o darunavir, em junho de 2006.

Inibidores de Integrase
A enzima integrase viral é responsável por inserir DNA pró-viral no cromossomo do hospedeiro e por catalisar a incorporação deste DNA pró-viral ao genoma da célula infectada. O primeiro fármaco aprovado para esta classe é o raltegravir (Isentress®). O eltegravir encontrase em fase II dos testes clínicos, assim como o GSK-364735.

Inibidores da Maturação
O único fármaco dessa classe atualmente estudado é o bevirimat. Esta molécula interrompe a conversão do capsídeo viral precursor (p25) no capsídeo maturado (p24). Devido a essas partículas virais saírem com defeito, o vírus resultante não é infeccioso. Esta molécula é um produto natural extraído da planta chinesa Syzigium claviflorum e encontra-se em estudos de fase II.

Outros alvos terapêuticos
Alvos atualmente estudados incluem inibidores de transcrição, inibidores da ribonuclease H (RNAse H) do HIVe moléculas que inativam a proteína nucleocapsídica (Ncp7).

Observamos que uma pessoa portadora de AIDS (fase avançada da infecção por HIV) tem um risco maior em contrair infecções oportunistas (tuberculose, pneumonia,...), que o médico deverá tratar através de medicamentos. Esta pode ser uma fase difícil, pois há risco de interação com os medicamentos utilizados para o tratamento do HIV (virostático).

A expectativa de vida dos indivíduos portadores do vírus do HIV (em países industrializados e com tratamento apropriado) é, hoje em dia, idêntica à das pessoas saudáveis, com uma boa qualidade de vida.

Ler a seqüência: dicas terapia aids

Ultimas mensagens do fórum aids

Última mensagem

  • Sangramento no pênis, qual médico consultar? (21.04.2014)

    ola, ontem quando tava tendo relacoes sexuais com uma mina meu pênis comemecou sangra quando percebi tinha muinto segue na camisinha e vi que o sangramento vinha abaixo da cabeça do pênis nunca tinha acontecido antes  que medi
  • Minha história (03.02.2014)

    Descobri ser portador do HIV no dia 13/06/2012. Imediatamente iniciei o tratamentop com os antirretrovirais, porém já era muito tarde; meu sistema imunológico já estava destruído e um mês depois tive uma
  • HIV (28.01.2014)

    Ola,   Fui a uma boate e fiz um programa, na hora de colocar a camisinha, foi a garota que abriu e colocou. Na hora do agito eu neh dei importancia, mais depois fiquei pesando se realmente a camisinha esta em suas perfeitas condiç&otil

Faça também SUAS PERGUNTAS NO FÓRUM AIDS


author Observação da redação: este artigo foi modificado em 28.01.2014.
Controle de qualidade
Última atualização:
28.01.2014

Revisão médica da página:
Atualização (design, fotos, animações):


Correção de sintaxe, ortografia e gramática:


Ver também

PUBLICIDADE

Quickinfos top

Temas



Inscrição Newsletter


IMC

NOTÍCIAS

5 informações essenciais sobre o infarto cardíaco em mulheres

Conheça 5 informações importantes sobre o risco de infarto do coração em mulheres.

Carência de vitamina D associada ao mal de Alzheimer

Estudo aponta que a carência vitamina D, produzida ao se tomar sol, pode causar o mal de Alzheimer.

_________________________

Facebook

  

______________________

    farmavagas.com.br

Inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter !

© Criasaude.com.br


Última atualização do site: 01.09.2014