Brasil França Portugal Espanha Suiça francesa Suiça alemã Suiça italiana Italia
TwitterCriasaude no TwitterErrorAviso de errosPrintImprimir

Tratamento aids

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Tratamento aids

O tratamento da aids é indicado por médicos especialistas ou em centros médicos especializados.

Os remédios utilizados para limitar o desenvolvimento do HIV são os virostáticos (antiretrovirais).

Os fármacos atualmente disponíveis para o combate do HIV/AIDS agem em diversas etapas do ciclo de vida do vírus.

De acordo com a OMS, em julho de 2012 haviam 26 drogas virostáticas no mercado.

Inibidores de Fusão
Para infectar as células, o vírus HIV une-se aos receptores CD4 (presentes em algumas células, como os linfócitos T-auxiliares) através da glicoproteína gp120. Uma vez unido à CD4, o HIV ativa outras proteínas na superfície da célula humana, conhecidas como co-receptores CCR5 e CXCR4, completando assim a fusão. Os fármacos conhecidos como inibidores de fusão atacam o vírus nesse estágio. O composto inicialmente aprovado pela FDA dessa classe é o T-20 ou enfuvirtida (Fuzeon®). Ele é um polipeptídeo composto por 36 aminoácidos. Outro fármaco aprovado em 2007 é o maraviroc (Celsentri®, Selzentry®). Além desses, cogita-se o uso do PRO 140, um anticorpo monoclonal que antagoniza com o receptor CCR5, como inibidor de fusão. O protótipo de inibidor do receptor CXCR4 foi o AMD3100. Estudos para seu uso contra o HIV foram suspensos, mas originou uma nova molécula, a ADM070, que encontra-se em fase II de estudos clínicos.

remédio aidsInibidores da Transcrição Reversa
Uma vez ocorrida a fusão, o material genético do vírus, composto por RNA, integra-se à célula. Uma enzima, a transcriptase reversa, converte o RNA viral em DNA. Nessa etapa, 3 classes de fármacos atuam:

· Análogos de nucleosídeos: AZT/zidovudina, ddI/didanosina, 3TC/lamivudina, d4T/stavudina, ddC/zalcitabina, ABC/abacavir e FTC/emtricitabina;

· Análogos de nucleotídeos: tenofovir, adefovir;

· Inibidores não nucleosídeos da transcriptase reversa (NNRTI): efavirenz, neviparina, delavirdina, etravirina.

Para que esses fármacos possam inibir a enzima, eles precisam ser transformados metabolicamente através de enzimas que fosforilam as moléculas.

Alguns fármacos que estão em desenvolvimento são: racivir, apricitabina, elvucitabina e amdoxivir.

Inibidores de Protease
A protease viral é responsável pelo processamento das proteínas gag e gag-pol que constituem o capsídeo viral. Os inibidores dessa enzima interferem no último estágio da replicação viral, prevenindo a formação de novos vírus. Alguns dos fármacos presentes a essa classe sã saquinavir, ritonavir, indinavir, nelfinavir, amprenavir, fosamprenavir, lopinavir, atazanavir, tipranavir e darunavir.

O tipranavir é um fármaco não peptidomimético, possuindo bom perfil de resistência às mutações virais.

O último fármaco dessa classe a ser aprovador pela FDA foi o darunavir, em junho de 2006.

Inibidores de Integrase
A enzima integrase viral é responsável por inserir DNA pró-viral no cromossomo do hospedeiro e por catalisar a incorporação deste DNA pró-viral ao genoma da célula infectada. O primeiro fármaco aprovado para esta classe é o raltegravir (Isentress®). O eltegravir encontrase em fase II dos testes clínicos, assim como o GSK-364735.

Inibidores da Maturação
O único fármaco dessa classe atualmente estudado é o bevirimat. Esta molécula interrompe a conversão do capsídeo viral precursor (p25) no capsídeo maturado (p24). Devido a essas partículas virais saírem com defeito, o vírus resultante não é infeccioso. Esta molécula é um produto natural extraído da planta chinesa Syzigium claviflorum e encontra-se em estudos de fase II.

Outros alvos terapêuticos
Alvos atualmente estudados incluem inibidores de transcrição, inibidores da ribonuclease H (RNAse H) do HIVe moléculas que inativam a proteína nucleocapsídica (Ncp7).

Observamos que uma pessoa portadora de AIDS (fase avançada da infecção por HIV) tem um risco maior em contrair infecções oportunistas (tuberculose, pneumonia,...), que o médico deverá tratar através de medicamentos. Esta pode ser uma fase difícil, pois há risco de interação com os medicamentos utilizados para o tratamento do HIV (virostático).

A expectativa de vida dos indivíduos portadores do vírus do HIV (em países industrializados e com tratamento apropriado) é, hoje em dia, idêntica à das pessoas saudáveis, com uma boa qualidade de vida.

Ler a seqüência: dicas terapia aids

Ultimas mensagens do fórum aids

Última mensagem

  • Sexo com pessoa contaminada (30.03.2015)

    Eu tenho o vírus HIV, mas nunca se manifestou em mim. Nunca tomei remédio, nunca busquei um tratamento, mas estou super bem.Recentemente conheci uma pessoa que tb tem o vírus e fizemos sexo sem camisinha.Há possilidade do
  • hiv sem remedios? (14.01.2015)

    ola sou soropositiva ha 17 anos e nunca precisei tomar remedios...na gravidez os remedios me faziam mal por isso tomei apenas 1 semana e meu filho tem 10 anos e nao tem hiv,meu marido tbem nao tem e nao fazemos uso de preservativos,porem,tenho 6 exam
  • Sangramento no pênis, qual médico consultar? (21.04.2014)

    ola, ontem quando tava tendo relacoes sexuais com uma mina meu pênis comemecou sangra quando percebi tinha muinto segue na camisinha e vi que o sangramento vinha abaixo da cabeça do pênis nunca tinha acontecido antes  que medi

Faça também SUAS PERGUNTAS NO FÓRUM AIDS


LER TAMBEM - CRIASAUDE

PUBLICIDADE
author Observação da redação: este artigo foi modificado em 28.01.2014.
Controle de qualidade
Última atualização:
28.01.2014

Revisão médica da página:
Atualização (design, fotos, animações):


Correção de sintaxe, ortografia e gramática:


Ver também

Google search 2015


Loading

Quickinfos top

Temas



IMC

NOTÍCIAS

Excesso de vitamina B12 pode causar acne

Estudo recente relaciona excesso do consumo de vitamina B12 ao aparecimento da acne.

O perigo da gordura trans para a saúde

Entenda o que são as gorduras trans e o perigo que elas representam para a saúde.

_________________________

Facebook

  

______________________

    farmavagas.com.br




© Criasaude.com.br


Última atualização do site: 29.06.2015