Doenças cardíacas: benefícios à longo prazo das estatinas

Doenças cardíacas: benefícios à longo prazo das estatinasPARIS – As estatinas reduzem, sem danos, o risco de acidente cardiovascular. O efeito benéfico desses medicamentos anticolesterol persiste mesmo após o término do tratamento, de acordo com um estudo de acompanhamento de onze anos com pacientes de alto risco, publicado quarta-feira 23 de novembro.
A redução dos números de ataques cardíacos, cerebrais e outras doenças cardiovasculares obtido com as estatinas não foram acompanhadas por um aumento de cânceres, de outras patologias nem da mortalidade, durante os 11 anos de monitoramento, de acordo com o estudo intitulado “Heart Protection Study (HPS)”, que é relatado na revista médica britânica “The Lancet”.

O estudo incluiu 20.536 pacientes de risco para doenças cardiovasculares, divididos por sorteio em dois grupos, um recebendo 40mg/dia de sinvastatina e o outro placebo durante cinco anos.

Durante este período, o grupo que recebeu estatina apresentou uma redução em seus níveis de colesterol ruim (“LDL”), sujeitos a uma redução de 23% dos principais eventos vasculares (infarto,etc.), em comparação com o grupo placebo. Houve acompanhamento dos pacientes participantes do estudo até seis anos após o fim do ensaio terapêutico.

A incidência de câncer observada ao longo do tempo não diferiu entre o grupo tratado com estatinas e o grupo placebo, ao contrário do que poderia ter sido, revelam os autores do estudo. Os benefícios da terapia com estatina persistiu durante este período entre aqueles que haviam parado de tomá-la, eles observam.

Além disso, a ausência de aumento de risco de câncer ou de outras doenças graves durante os onze anos de monitoramento entre aqueles que tomaram a estatina é muito reconfortante para os médicos e os pacientes, esses cada vez mais numerosos, que tomam estatinas para reduzir o risco cardiovascular, de acordo com o Dr. Richard Bulbulia Oxford, co-signatário do estudo.

Criasaude.com.br: 29 de novembro de 2011


Observação da redação: este artigo foi modificado em 19.11.2015

 

Inscrever-se na nossa newsletter (de graça)

 

Ler também: