AIDS: pessoas com mais de 45 anos são menos prudentes

PUBLICIDADE

LAUSANNNE – Em relação a AIDS, as pessoas com mais de 45 anos são menos cautelosas do que as gerações mais jovens. Nesta idade, os homens e mulheres nitidamente utilizam menos o preservativo nas situações que são indicados para proteção.

Aqueles que estão se protegendo, são as pessoas entre 17 a 30 anos: quatro a cada cinco, usam preservativo pelo menos durante a primeira fase de um novo relacionamento.

PUBLICIDADE

Com a idade esta proporção diminui, principalmente entre mulheres de 46 a 60 anos, apenas 60% dos homens e 50% das mulheres se protegem. Em pessoas com mais de 60 anos esta proporção cai para 46% e 21%, respectivamente.

Isto ficou evidente desde o último relatório de controle sobre a estratégia do HIV/AIDS na Suíça, estabelecida pelo Instituto Universitário de Medicina Preventiva e Social CHUV, Lausanne. Uma pesquisa periódica realizada por telefone em 2007 permitiu, pela primeira vez, obter informações sobre o comportamento sexual de pessoas com mais de 45 anos.

Declínio mais rápido nas mulheres

A proporção de pessoas sexualmente ativas – que tiveram pelo menos um parceiro sexual nos últimos 12 meses – é mais elevada entre pessoas de 31 a 45 anos (94%), após essa idade essa taxa diminui, disse o Boletim Oficial Federal de Saúde Pública (OFSP). Esta diminuição é mais evidente entre as mulheres, entre elas as de 61 anos, sendo que a desigualdade entre homens e mulheres é muito elevada, com valores respectivos de 83% e 55%.

Da mesma forma, a proporção de pessoas que se envolvem em um novo relacionamento estável durante o ano, diminui à medida que a idade aumenta. Trata-se de uma a cada cinco pessoas no grupo de 17 a 30 anos, uma entre 25 no grupo de 46 a 60 anos, e menos de uma em sessenta no grupo de 61 a 74 anos. Novamente, essa diminuição é maior em mulheres do que em homens.

Até os 45 anos, a proporção de pessoas que se protegem com seu novo parceiro estável, é similar entre homens e mulheres. Mas a partir daí, essa diferença aumenta: essa proporção decai para duas vezes menos para mulheres do que para homens no grupo de 61 a 74 anos, respectivamente 21% e 46%.

Sempre mais jovens

Segundo o estudo, que abrangeu 18.760 pessoas, os jovens se tornam sexualmente ativos mais cedo, 66% dos meninos e 55% das meninas de 17 anos, contra 30% aproximadamente, na mesma idade para ambos os sexos na década de 70.

Entre os jovens com idade de 17 a 20 anos sexualmente ativos, 86% declararam que utilizam um meio de contracepção, 12% não utilizam contraceptivos e 2% não responderam. O preservativo é o meio de contracepção mais utilizado pelos homens jovens, uma vez que, a maioria das mulheres recorre à pílula.

Finalmente, no que se refere ao teste de HIV, foi constatado que a proporção de mulheres acima dos 45 anos que fazem o teste é menor, o que não se observa antes dessa idade. “Esses fatores demonstram que algum nível de exposição ao risco de transmissão do HIV está presente na população acima de 45 anos”, conclui o OFSP. A probabilidade de esta infecção passar despercebida nesta população é muito alta.

2 Fevereiro de 2011

PUBLICIDADE

Observação da redação: este artigo foi modificado em 14.04.2017