Publicidade

As rugas indicam a perda de densidade óssea em mulheres mais velhas

As rugas indicam a perda de densidade óssea em mulheres mais velhasWASHINGTON – A abundância e a profundidade das rugas no rosto e no pescoço podem ajudar a prever o risco de fraturas ósseas em mulheres, segundo um estudo realizado nos EUA. A explicação decorre do fato de que o teor (concentração) de proteínas na pele está relacionado com a do osso.

Pesquisadores da Universidade de Yale examinaram 114 mulheres na menopausa, cuja última menstruação foi a menos de três anos, como parte de um ensaio clínico em curso. Eles estudaram a pele das pacientes em 11 pontos da face e do pescoço, tanto visualmente quanto através de um dispositivo para medir a elasticidade da pele da testa e das bochechas.

A massa e a densidade óssea foram mensuradas por ultra-som e raio-X. “Descobrimos que, quando as rugas são mais numerosas e mais profundas, havia também uma maior perda de densidades óssea”, disse Lubna Pal, professora de obstetrícia, ginecologia e medicina reprodutiva da faculdade de Yale.

“Quanto mais as rugas se tornam numerosas, maior a perda de densidade óssea, independentemente da idade ou outros fatores que influenciem a massa óssea”, segundo a pesquisadora. Para ela, esta descoberta “poderia permitir que os clínicos pudessem identificar o risco de fraturas em mulheres na menopausa por simples observação visual, sem passar por exames caros”. Este trabalho foi apresentado em um simpósio da Sociedade Americana de Endocrinologia, em Boston.

Criasaude.com.br, 19 de Junho de 2011.

Esta informação foi útil?

Observação da redação: este artigo foi modificado em 16.09.2017

Publicidade