Publicidade

Segurança rodoviária: a soneca pode evitar uma fadiga ao volante

BERNA – fadiga é responsável por 10 a 20% dos acidentes rodoviários. Para impedir, o BPA (Escritório de Prevenção de Acidentes na Suíça) está propondo tirar uma soneca, dormir 15 minutos quando surgirem os sinais de sonolência ao volante: ardência nos olhos, pálpebras fechando, bocejos repetidos, calafrios.

Publicidade

“Consumir uma bebida contendo cafeína antes da soneca pode aumentar a sua eficiência”, disse o Escritório de Prevenção de Acidentes em um comunicado publicado sexta-feira, em Berna. No entanto, ouvir música alta, cantar alto ou abaixar o vidro da janela não ajuda.

“Ao volante, a fadiga é tão perigosa quanto o álcool”, disse o BPA. Ela reduz consideravelmente a capacidade de conduzir, resultando em uma má avaliação da velocidade, redução da concentração, velocidade de reação mais lenta, assim como dirigir após o consumo de álcool.

Para propagar a soneca entre os motoristas, a BPA está organizando na próxima terça-feira o primeiro “Dia Nacional da Soneca”. Em colaboração com o TCS, Conselho de Segurança Rodoviária, foi lançada uma campanha de três anos que irá abordar diversos grupos alvo, incluindo idosos e jovens.

Acidentes na parte da tarde
Os acidentes que ocorrem em finais de semana e à noite abrangem principalmente motoristas com idade inferior a 40 anos, de acordo com o BPA. A fadiga ao volante é a causa de acidentes no período da tarde, principalmente em pessoas com 40 anos ou mais.

Ninguém pode prever se e quando vai ser dominado pela fadiga. As causas de sonolência ao volante geralmente são a falta de uma noite de sono, perturbações do sono e até doenças do sono como apneia do sono ou depressão.

Dormir um sono suficiente
Nos piores casos, o motorista cochila e as consequências são muitas vezes fatais. A única forma eficaz de combater a fadiga é dormir um sono suficiente. O motorista que se sentir cansado, antes de “pegar o volante” deve desistir da condução.

27 de Março de 2011

Esta informação foi útil?

Observação da redação: este artigo foi modificado em 14.04.2017

Publicidade