Brasil França Portugal Espanha Suiça francesa Suiça alemã Suiça italiana Italia
Registre-se | Conectar:
TwitterCriasaude no TwitterErrorAviso de errosPrintImprimir

Febre do feno

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Resumo febre do feno (rinite alérgica) - alergia ao pólen

febre do fenoSe o início da primavera é encarado por muitos como o retorno dos belos dias, para outros é sinal de desconforto. A causa do tormento é a febre do feno (polinose ou alergia ao pólen), uma rinite alérgica induzida pelo pólen das árvores (ver foto), das gramíneas e de diversas plantas herbáceas, dispersados pelo vento. Os sintomas são: queimaduras, vermelhidão, inchaço e lacrimação ocular, espirros, obstrução ou escorrimento nasal abundante, coceiras intensas...Ver também: sintomas febre do feno

O aparecimento e a seriedade dos sintomas da febre do feno dependem da quantidade de alérgenos presentes no ar e do grau de sensibilização da pessoa. 50% a 90 % das pessoas que sofrem com a febre do feno têm antecedentes alérgicos na família (pré-disposição genética).  Ver também: causas

A freqüência da febre do feno varia segundo as regiões, as estações, as condições climáticas. A rinite alérgica é um problema sério da saúde pública do mundo todo, devido à quantidade de pessoas afetadas, ao impacto sobre a qualidade de vida destas e aos cutos que ela gera para a sociedade.

A febre do feno e a sensibilização às alergias polínicas aumentam durante a infância e atingem o ápice durante a adolescência. A poluição está cada vez mais sendo considerada como uma das causas ou fator desencadeador, apesar de isto ainda ser contestado.

Conforme a seriedade dos sintomas, uma terapia em etapas pode ser proposta e pode/deve associar a perda da alergia (geralmente difícil), tratamento farmacológico e imunoterapia (ou dessensibilização específica, injetável e sublingual) :

- as cromonas, moléculas que impedem a liberação de histamina e agem sobre o escorrimento e desconforto nasal. Elas são bem toleradas mas a sua ação breve faz com que seja necessário administrá-la várias vezes ao dia.

- os anti-histamínicos, que inibem a ação da histamina e são eficazes sobre a maioria dos sintomas da rinite alérgica. Os anti-histamínicos de primeira geração causam sonolência, já os mais recentes são mais tolerados.

- os corticóides locais têm uma ação antiinflamatória e agem também sobre a obstrução nasal.

- os descongestionantes locais podem ser utilizados para diminuir a obstrução dos brônquios nasais, mas não devem ser administrados por muitos dias.

A dessensibilização consiste em administrar doses crescentes do alérgeno até que o organismo que se habitue. A duração da dessensibilização é de 3 a 5 anos. Esta solução só é utilizada quando o gene ocasionado for intenso e longo (várias semanas). É portanto inútil fazer efetuá-la se a febre do feno antigir ocorrer apenas alguns dias no ano. Ver também: todos os tratamentos da febre

Entrevista com a Dra. Holy (médica do nosso site)

Doutora, muitas vezes é dito que o excesso de higiene leva ao aumento no número de casos de febre do feno. Por que isso? O que estamos fazendo de errado? Você acha que se trata de uma "atrofia" do sistema imunológico, em contrapartida ao excesso de estimulação nestes casos?
De fato, a famosa "hipótese higienista", que se trata do excesso de limpeza, promove o aparecimento de fenômenos alérgicos. De acordo com esta teoria, o contato com vírus e bactérias durante a infância permite a maturação do sistema imunitário, sem que alergias apareçam. O excesso de higiene durante a infância promove o desenvolvimento de alergias mais tarde. No caso da febre do feno, trata-se normalmente de alergia ao pólen.

Também é dito que a poluição é responsável por muitos casos de febre do feno. Por que isso? Não contradiz a questão nº1?
Não, não é em tudo contraditório, isto na verdade reafirma o que foi dito acima. Quando o ar está poluído, as plantas liberam mais alérgenos. Este é o caso da Bétula, que produz uma proteína de estresse para se proteger da poluição. Além disso, o pólen ao ser liberado no ar poluído se espalha mais rapidamente. A febre do feno é desencadeada pela irritação do trato respiratório, causada também pela poluição.


Parece
que os sintomas alérgicos diminuem com o tempo, pelo menos em 20% dos casos. Como se dá isso?
Eu acho que isso é devido a alguma forma de dessensibilização, que ocorre devido à exposição prolongada ao alérgeno.

Que relação existe entre a rinite alérgica sazonal e o desenvolvimento da asma? A asma é muitas vezes uma complicação da febre do feno. Você pode explicar o mecanismo?
Sim, muitas vezes a presença de rinite alérgica em uma pessoa favorece o desenvolvimento da crise de asma. Ela é causada por uma reação exagerada dos brônquios ao alérgeno. O que devemos temer é que esta asma alérgica possa evoluir para uma forma crônica da doença.

Por que os homens parecem ser mais afetados pela febre do feno do que as mulheres?
Antes dos 20 anos de idade, pessoas do sexo masculino parecem ser mais afetadas que as pessoas do sexo feminino, mas ao chegar à idade adulta essa diferença se iguala.

Ler a seqüência: definição febre do feno - Por  (farmacêutico)

Entender a doença Tratamento & Prevenção Interativo
Definição Tratamento (remédios) Fórum
Estatísticas Fitoterapia Perguntas aos farmacêuticos
Causas  Dicas
Sintomas

Diagnóstico    
Complicações    

Observação da redação: este artigo foi modificado em 14.10.2014.
Controllo di qualità
Última atualização:
14.10.2014

Revisão médica da página:
Atualização (design, fotos, animações):


Correção de sintaxe, ortografia e gramática:


PUBLICIDADE

Quickinfos top

Temas



IMC

NOTÍCIAS

10 dicas para cuidar da barba e bigode

O Criasaude preparou uma série dicas que vão te ajudar a ter uma barba bonita e saudável.

7 alimentos que combatem o câncer de próstata

SAO PAULO - Conheça uma lista de alimentos e hábitos alimentares que ajudam a combater o câncer de próstata. "NOVEMBRO AZUL"

_________________________

Facebook

  

______________________

    farmavagas.com.br



© Criasaude.com.br


Última atualização do site: 27.11.2014