Publicidade

Plantas medicinais


HipéricoA fitoterapia é uma ciência que se ocupa do tratamento das doenças através de plantas medicinais (ervas medicinais).
As plantas medicinais são cada vez mais utilizadas, mas é importante saber que as plantas, assim como os medicamentos, podem levar a Erva-de-são-joão. É, portanto, importante se informar corretamente antes de se tratar com uma planta.

Publicidade

EBOOK50 plantas medicinais para serem cultivadas em seu jardim ou varanda

NOTÍCIAS5 plantas medicinais com propriedades anti-inflamatórias – Plantas medicinais ao redor do mundo10 alimentos ricos em flavonoides – Plantas medicinais que podem ser cultivadas no seu jardim

Ver também: Definição fitoterapia – Jardim Botânico de Plantas Medicinais no Rio de Janeiro – Jardim Botânico de Plantas Medicinais de Bauru (SP)

InteressanteMemento Fitoterápico da ANVISA, 1a edição (em PDF)

Ver mais de 300 plantas medicinais de A a Z 

Encontre a planta medicinal (plantas medicinais) mais adequada para o tratamento da sua doença !

A
acne, aftaalergia, Alzheimer, anemia, anginaansiedade, artrite, artrite reumatóide, artrose

B
bronquite

C
cálculos urinários, candidíase, caspa, cistite, cólicas menstruais, constipação

D
dengue, depressão, diarréia, dor de barrigador de cabeça, dor de garganta, dor nas costas

E
endometriose, enxaqueca, estresse

F
fadiga, febre, febre do feno

G
gastroenterite, gota, gripe

H
hematomas, hemorróidas, hepatite, hepatite B, herpes labial, herpes zoster, hiperidrose, hipertensão, hipotensão

I
insônia

L
luxação

M
malária, mau hálito, menopausa, micose das unhas

N
náuseas e vômitos

O
obesidade, onicomicose

P
panarício, parar de fumarpé de atleta, pele seca, pernas pesadas, picadas de inseto, piolho, pneumonia, psoríase

Q
queda de cabelos, queimação do estômago, queimadura, queimadura solar

R
resfriado, rouquidão

S
sinusite, sobrepeso

T
tendinite, tensão pré-menstrual, tosse

V
varizes, verrugas

Z
zumbido

Plantas medicinais do SUS

12 plantas medicinais que estão na lista de remédios oferecidos no SUS (Sistema Único de Saúde) no Brasil (em Março de 2012):
aloe ou babosa (queimaduras, psoríase), hortelã (síndrome do cólon irritável), salgueiro ou salgueiro-branco (dor lombar), guaco (bronquite, tosse), espinheira-santa (gastrite, úlcera duodenal),alcachofra (dispepsia funcional, hipercolesterolemia), aroeira (uso ginecológico), cáscara sagrada (obstipação intestinal), garra-do-diabo (dor lombar baixa aguda, artrose), isoflavona-de-soja ousoja (sintomas do climatério), unha-de-gato (artrite e artrose), plantago ou psyllium (obstipação intestinal, síndrome do cólon irritável).

EBOOK50 plantas medicinais para serem cultivadas em seu jardim ou varanda

Definição de fitoterapia

Do ponto de vista etimológico, o termo “fito” de fitoterapia vem do grego antigo, com o termo mais preciso para “phyton”, que significa “vegetal”. Fitoterapia é a “terapia pelo vegetal ou do mundo vegetal”, hoje consideramos mais fitoterapia como ”terapia das plantas”.

O que é fitoterapia ?

A fitoterapia é dividida em dois tipos principais de acordo com o site Wikipedia.org:

Uma prática tradicional, às vezes, muito antiga, baseada na utilização de plantas, as quais tiveram suas virtudes descobertas empiricamente. Segundo a OMS, a fitoterapia é considerada como uma terapia tradicional, e é muito utilizada nos países em desenvolvimento. É uma medicina não convencional, devido à ausência de estudos clínicos.

Uma prática baseada em pesquisas avançadas e em provas científicas de extratos ativos de plantas. Os extratos ativos identificados são padronizados. Essa prática faz com que os fitoterápicos sejam reconhecidos e estejam de acordo com os regulamentos em vigor no país. A sua circulação está sujeita à autorização de colocação no mercado para produtos acabados, e à regulamentação de matérias primas farmacêutica para preparações magistrais de plantas medicinais, sendo essas manipuladas apenas em farmácias. Falamos de Farmacognosia e Biologia farmacêutica.

Mundialmente, estima-se que existam cerca de 35.000 espécies de plantas medicinais.

Princípios ativos

São substâncias químicas encontradas nas plantas, que agem isoladamente ou em conjunto para uma ação terapêutica (fonte: Jardim Botânico Bauru, SP).

Os medicamentos convencionais e a fitoterapia, qual o lugar deles ?

Você deve saber que mais de um terço dos medicamentos conhecidos como químicos ou alopáticos (encontrados nas farmácias), provem originalmente das plantas. A molécula é utilizada tanto na sua forma original, quanto pode ser modificada por um químico (por exemplo, a aspirina).

Esse é sobretudo o caso de alguns medicamentos antigos, e de alguns medicamentos utilizados hoje, contra o câncer (por exemplo, o extrato de taxol). Por enquanto, a maioria dos novos medicamentos é produzida por processos químicos e matemáticos muito complexos (síntese), no qual são produzidas milhões de moléculas até o final, sendo selecionadas apenas algumas para realização de ensaios clínicos.

Exemplos de medicamentos com origem fitoterápica:

– A aspirina tem sua origem na planta salgueiro e contém uma molécula de ácido acetilsalicílico. O ácido salicílico é um composto do salgueiro, o qual é transformado quimicamente em ácido acetilsalicílico (aspirina), tendo essa transformação química sido descoberta por um químico alemão da empresa Bayer.

– A digitalina, que vem da planta dedaleira, é utilizada na insuficiência cardíaca.

– A papoula é uma planta que contém muitos alcaloides. Estes grupos de substâncias nitrogenadas (contém uma molécula de nitrogênio) são a base de muitas moléculas que agem sobre o sistema nervoso. Algumas são, infelizmente, muito perigosas e ilegais (heroína), mas existem moléculas que possuem uma solução extraordinária na luta contra a dor, no caso a morfina. Esta molécula é isolada a partir da planta papoula. Também pode ser extraída dessa planta a codeína, uma molécula de ação central e muito eficaz contra a tosse seca e a dor (na verdade, esta molécula é transformada na maioria das pessoas em 10% de morfina).

Mais recentemente, uma molécula virou notícia: a artemisina. Esta substância é extraída de uma planta que cresce na China, a Atermisia annua L. Esta molécula é muito eficaz em associação com outros tratamentos, na luta contra a malária (que causa milhões de mortes por ano). Artemisia annua é uma planta chinesa que há alguns anos deixou a medicina tradicional chinesa e passou a ser empregada com sucesso nos laboratórios farmacêuticos ocidentais. Esta molécula ilustra o potencial incrível das plantas medicinais na luta contra doenças graves. Enquanto investimos pesadamente em técnicas de laboratório para triagem de moléculas (técnica que combina química e informática) para desenvolver um número astronômico de moléculas, a fitoterapia oferece uma alternativa surpreendente. Isso explica o grande interesse geoestratégico, mas também, como vemos, do potencial fitoterápico desse “ouro verde” da China e de sua capital econômica Shangai!

Como colher e secar corretamente as plantas medicinais?

1. Coletar e cortar folhas, flores ou caules de preferência em manhãs ensolaradas e secas (sem orvalho). Evite, no entanto, fazê-lo sob sol quente (por exemplo, entre 10h e 14h), pois a planta se protege e armazena algumas das suas propriedades na sombra e longe do sol.Deve-se coletar as plantas em tempo seco e, se possível, longe de áreas poluídas, tais como estradas e campos cultivados.Em seguida, corte a parte da planta desejada apropriadamente com uma tesoura ou facão. Lave depois com água fria e, em seguida, seque.
2. Seque a planta ou a parte (da planta) coletada em um lugar na sombra e bem ventilado. Coloque a planta (folhas, caules, …), para secar. Se possível em um papel neutro, não em um jornal (pois a tinta de impressão pode contersubstâncias nocivas). O melhor seria, na verdade, usar um secador, você mesmo pode fabricar um secador usando umamoldura de madeira e um mosquiteiro. Coloque as plantas no papel ou no secador numa única camada.
3. Uma vez secas (depois de alguns dias), conserve-as em um recipiente protegido da luz, limpo e bem fechado. Sepossível, guarde-as num local bem ventilado.Coloque uma etiqueta na embalagem para identificar a planta. Evite o armazenamento de plantas secas em sacos de plástico, uma vez que conhecemos alguns dos efeitos desse material sobre a nossa saúde. Sacos de papel, caixas, sacos de tecido são preferíveis.

Ver mais de 200 plantas medicinais de A a Z – 10 alimentos ricos em flavonoides

Plantas no mundo

Atualmente, de acordo com a OMS, mais de 20.000 plantas são utilizadas em todo o mundo devido a suas propriedades medicinais, além daquelas que ainda são desconhecidas, apenas 2.000 a 3.000 plantas medicinais têm sido estudadas cientificamente.

Para informação: estima-se que existam cerca de 500.000 espécies de plantas em todo o mundo. Apenas a metade foi catalogada, em lugares como a Amazônia um grande número de plantas ainda não foi identificado e enumerado.

Ler: Plantas medicinais ao redor do mundo

EBOOK50 plantas medicinais para serem cultivadas em seu jardim ou varanda

O site Criasaude.com.br não deve ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Redação:
Por Xavier Gruffat (farmacêutico)

Atualização:
22.11.2020

Fotos: 
Adobe Stock

Esta informação foi útil?

Observação da redação: este artigo foi modificado em 22.11.2020

Publicidade