Publicidade

Home » Plantas medicinais » Almecegueira

Almecegueira

Resumo

AlmecegueiraAlmecegueira: Planta medicinal antioxidante que promove proteção contra os raios solares nocivos (UVB), agindo como protetor solar. Sua resina também pode ser utilizada em casos de doenças de pele, feridas, problemas estomacais e hepáticos.

Nomes

Nome em português: Almecegueira, breu, breu branco, almécega
Nome binomial: Protium heptaphyllum
Nome francês: almecegueira
Nome inglês: almecegueira
Nome alemão: almecegueira
Nome italiano: almecegueira
Nome espanhol: aruru (em guarani)

Publicidade

Família

Burseraceae

Constituintes

Triterpenos (α e β amirinas), taraxastano-3, 20-diol, taraxastan-3-oxo-20-ol, sitostenona

Partes utilizadas

Resina

Efeitos

Antioxidante, antiinflamatório, analgésico, gastroprotetor, hepatoprotetor (ver observações)

Indicações

– Proteção solar (prevenção de câncer de pele e contra o envelhecimento)

– Problemas de pele, feridas *

– Problemas hepáticos *

– Queimação no estomago, gastrite *

* Ação não comprovada (ler: observações interessantes)

Almecegueira

Efeitos secundários

Nenhum conhecido.

Contra-indicações

Nenhuma conhecida.

Interações

Nenhuma conhecida.

Preparações

– Resina

– Gel

– Óleo essencial

Onde cresce a almecegueira ?

A almecegueira é uma árvore nativa do Brasil encontrada principalmente na região a azônica e no cerrado, prefere solos arenosos, secos ou úmidos. Também pode ser encontrada em outros países tropicais.

Quando colher ?

A produção de rezina da almecegueira é estimulada pela larva de um inseto que habita a árvore até seu ficar adulto. A maior produção de resina ocorre durante períodos de chuva e sua composição varia com a idade da árvore, prefira extraí-la na fase adulta.

Observações interessantes

A almecegueira é uma planta medicinal utilizada em muitas regiões do Brasil, sua resina utilizada na medicina popular em casos de doenças de pele, úlceras e como analgésico; já suas folhas e casca do caule em casos de diarreia, úlceras gangrenosas e feridas. Esta resina também é utilizada na fabricação de vernizes, tintas e cosméticos.

De acordo com testes realizados na Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto da USP, o extrato da almecegueira protege contra a radiação solar devido aos antioxidantes naturais presentes. A pesquisa foi conduzida em 2012 pela farmacêutica Ana Luiza Scarano Aguillera, que explica a ação dos antioxidantes na neutralização dos radicais livres gerados pela radiação solar (rios UVB). Os testes foram realizados em camundongos e um gel foi desenvolvido. Mas novos estudo devem ser realizados para verificar se o gel é irritante ou não para pele.

Um estudo publicado em 2004, realizado por uma parceria de pesquisadores Universidade Federal do Ceará e da Universidade do Piauí, indicou uma possível ação gastroprotetora e antiinflamatório da resina da almecegueira, que é extraído de seu tronco. No entanto, como o estudo foi realizado em camundongos outros estudos são necessários para comprovar esta ação em humanos. Muitos estudos, já haviam comprovado o efeito gastroprotetor e hepatoprotetor dos triterpenoides α- e β-amirina, isolados da resina da almecegueira.

A mistura da α- e β-amirina, isolada da resina da almecegueira, também demonstrou gerar melhoras em casos de hiperglicemia e dislipidemia (colesterol), de acordo com o estudo realizado pela pesquisado Flávia Santo da Universidade de Fortaleza, publicado em 2012 na revista Lipids in Health and Disease. Em 2011, outro estudo da Universidade do Ceará indicou que esta mistura de terpenóides seria benéfica em casos de pancreatite aguda. Mas é importante lembrarmos que os estudos foram realizados em camundongos e com os terpenóides isolados e não com a resina, portanto outros estudos são necessários para comprovar estas ações com utilização da resina em humanos.

Almecegueira

Esta informação foi útil?

Observação da redação: este artigo foi modificado em 26.04.2021

Publicidade