Publicidade

Constipação

Definição

A constipação (prisão de ventre) é caracterizada pela emissão muito rara de fezes, que freqüentemente são duras.

Publicidade

Os médicos falam em constipação se a freqüência das evacuações for inferior a 3 vezes por semana, por vários meses.

Outros sinais de constipação são: movimentos intestinais duros, secos ou difíceis de passar (no trato intestinal). Dores durante os movimentos intestinais também são possíveis.

Epidemiologia

– A prisão de ventre (constipação) é uma afecção muito freqüente entre a população, cerca de 20% da população sofreria deste mal.

– As mulheres são mais afetadas pela prisão de ventre do que os homens, 80% dos casos de constipação referem-se às mulheres.

– Nos Estados Unidos, em 2017 estimou-se que 12 a 19% da população estava constipada.

Causas

A prisão de ventre (constipação) pode ser causada por:

– uma má alimentação (muita gordura, muito doce) e pouco consumo de fibras (falta de legumes, salada e frutas)

– uma posição deitada por muitos dias (como é o caso em hospitais). Aliás, é por essa razão que as pessoas que ficam de cama (por causa de uma enfermidade, por exemplo) recebem frequentemente um pequenoxarope laxante

– falta de água e de líquidos

– a ausência de exercícios físicos (o sedentarismo)

– o estresse

– uma mudança de alimentação (em caso de viagens, por exemplo)

– problemas psicológicos

– o uso de determinados medicamentos (ver abaixo)

– o uso regular de laxantes (paradoxo que pode gerar círculo vicioso)

– o hipotireóidismo

–  a menopausa

– a gravidez

– uma doença grave (câncer, oclusão intestinal)

– um intestino muito longo.

– certas doenças que afetam os nervos, como: a doença de Parkinson ou a esclerose múltipla.

Medicamentos e constipação

– Determinados medicamentos podem ser a causa de uma prisão de ventre, como é o caso dos opiáceos (utilizados contra a dor ou a tosse), os anticolinérgicos (contra os espasmos,…), os antidepressivos (tríclicos), os neurolépticos.

– Se você estiver fazendo um tratamento com algum medicamento que poderia provocar uma prisão de ventre, fale com seu médico ou farmacêutico para tomar algum laxante ou encontrar uma alternativa ao seu tratamento.

Grupos de risco

As mulheres, além dos idosos e das crianças, são as pessoas que são particularmente mais afetadas pela prisão de ventre.

Sintomas

A prisão de ventre se caracteriza pela pouca freqüência de evacuações. Os médicos falam em constipação se em geral, houver menos de três evacuações por semana, durante vários meses. No entanto, não existem regras fixas quanto à freqüência, portanto, se você sentir incômodos associados à defecação, apesar de ter evacuações frequentemente, fale com o seu médico, pois também pode se tratar de prisão de ventre.

Os sintomas associados podem ser: dores abdominais, dores de barriga, inchaços, flatulências, hemorróidas, espasmos, fezes endurecidas, ou ainda uma sensação de evacuação incompleta.

Relembramos que se você estiver sentindo desconfortos no nível gastro-intestinal: inchaços, hemorróidas, dores, etc. E que se você tiver dúvidas quanto ao seu estado, não hesite em consultar um médico. De fato, em raros casos, uma prisão de ventre pode esconder doenças graves (câncer,…), por isso uma consulta em caso de suspeita de constipação é sempre aconselhada.

Diagnóstico

O diagnóstico da prisão de ventre pode ser identificado através de uma anamnese e/ou testes suplementares (colonoscopia, hemocultura,…) em função dos sintomas descritos pelo paciente. Somente um médico poderá efetuar um diagnóstico preciso.

Complicações

A prisão de ventre raramente leva a complicações. Na maior parte do tempo, trata-se uma doença benigna. No entanto, em casos raros, a prisão de ventre pode ser o sintoma de uma doença grave como um câncer intestinal.

Além disso, em caso de câncer intestinal, a prisão de ventre deve ser absolutamente bem tratada para evitar uma oclusão intestinal (íleo). Nos idosos que sofrem de prisão de ventre crônica, uma oclusão intestinal pode ocorrer (tratamento que pode vir a necessitar de uma cirurgia).

Publicidade

Quando consultar?

É absolutamente necessário consultar um médico em caso de sangue nas fezes e fortes dores abdominais, pois pode se tratar de um câncer do intestino.

Marque uma consulta médica se observar uma prisão de ventre decorrente de medicamentos.

Atenção! Lista não exaustiva, para todo sintoma suspeito, queira consultar um médico.

Estou com prisão de ventre, o que devo fazer ?

1.  Se estiver com prisão de ventre, o primeiro passo é tentar mudar o seu estilo de vida:

– Coma mais frutas e legumes ricos em fibras (ameixas, figos,…);

– Pratique mais exercícios ou esportes;

– Beba mais líquido (cerca de um litro e meio por dia), em especial água rica em magnésio (favorece as fezes líquidas);

2.  Em seguida, se as mudanças do estilo de vida não surtirem efeito, você pode tomar laxantes (medicamentos que curam a constipação). Todavia, como existem diferentes tipos e causas de constipação, somente um médico poderá escolher qual o melhor remédio entre os diversos laxantes disponíveis, portanto não hesite em consultar um médico e deixe-o aconselhá-lo.

No entanto, nós podemos sugerir o uso de laxantes formadores de massa, em caso de prisão de ventre crônica. São medicamentos ricos em fibras (grãos de psílium, sterculia,…), que são pouco irritantes e bons para serem utilizados em um longo período de tempo.

Tratamentos

Observação: o primeiro tratamento (antes de tomar laxantes) é mudar seu estilo de vida, ou seja, adotar uma alimentação à base de fibras e praticar mais exercícios. Mais informações na seção “Bons conselhos” abaixo.

Se você ainda estiver com prisão de ventre, mesmo após ter mudado o seu estilo de vida, aqui estão os medicamentos laxantes mais utilizados:

Medicamentos a serem administrados por via oral (xarope, extratos, comprimidos)

Os laxantes formadores de massa

De que se trata?

Os laxantes formadores de massa são geralmente à base de fibras alimentares ou mucilagens à venda em forma de pó ou grânulos.

Como funciona ?

Trata-se de uma ação mecânica que aumenta o volume de fezes, o bolo alimentar vai inflar e sair mais facilmente.

Podemos utilizá-lo durante um longo período de tempo?

Sim, estes laxantes permitem uma utilização por um período mais longo.

Existe algum perigo ?

Tome cuidado para não obstruir o sistema digestivo (risco de obstrução), leia a bula do medicamento e peça conselhos ao seu farmacêutico.

Dicas

– Beba bastante água com os pós e os grânulos, dilua e tome em seguida.

– Utilize também complementos alimentares à base de farelo de trigo, a serem diluídos em um iogurte, por exemplo.

Os laxantes lubrificantes

De que se trata ?

Os laxantes lubrificantes são à base de óleos minerais, isto é, à base de parafina ou vaselina.

Como funciona ?

Os lubrificantes retardam a absorção de água, o que favorece a passagem do bolo alimentar, por efeito, como o seu nome indica, de lubrificação, e criam também uma película lipossolúvel que diminui a absorção de água.

Podemos utilizá-lo durante um longo período de tempo ?

Não, não é aconselhado utilizá-lo por muito tempo.

Existe algum perigo ?

O uso, em longo prazo, pode diminuir a absorção das vitaminas lipossolúveis (A, D, E, K), e pode haver um risco respiratório, inclusive nos idosos. Os óleos minerais podem subir o esôfago e entrar nos pulmões (paraffinome).

Os laxantes osmóticos

De que se trata ?

Trata-se de laxantes à base sal ou açúcar. São os mais utilizados.

Como funciona ?

Os laxantes osmóticos agem, como o nome indica, por osmose, isto é, eles atraem a água e como já vimos, facilitam melhor o fluxo. O efeito pode ser rápido, cerca de uma a duas horas para fazer efeito, porém isso depende muito do modo de preparo, portanto converse com o seu farmacêutico ou leia a bula do medicamento.

Publicidade

Podemos utilizá-lo durante um longo período de tempo ?

Sim e não, isso depende da preparação. Em geral aconselhamos a não utilizar um laxante por muito tempo, pois isso pode gerar um círculo vicioso, então consulte o seu médico ou um farmacêutico. Medidas simples, como atividades físicas, alimentação, entre outras, podem quase sempre melhorar a prisão de ventre.

Existe algum perigo ?

Respeite a posologia segundo a preparação, pois efeitos secundários como flatulência, cólicas, entre outros, podem aparecer, mas não temos conhecimento de um perigo real.

Os laxantes estimulantes

De que se trata ?

Trata-se de laxantes que estimulam rapidamente o fluxo. São frequentemente indicados antes de uma intervenção cirúrgica.

Como funciona ?

Os laxantes estimulantes aumentam a secreção de água e de eletrólitos por mecanismos farmacológicos. O efeito é geralmente bem rápido.

Podemos utilizá-lo durante um longo período de tempo ?

Não, é um laxante a ser utilizado em raras ocasiões e não deve ser utilizado por muito tempo.

Existe algum perigo ?

Este tipo de laxante é contra-indicado para mulheres grávidas, assim como para pessoas que apresentam oclusão intestinal. Às vezes essas preparações podem conter Sene, substância responsável por efeitos indesejáveis.

Os laxantes irritantes

De que se trata ?

Em geral, trata-se de medicamentos à base de plantas (Sene/Cássia, Babosa/Aloe Vera, Mamona, Frângula,… >> ver em plantas ) ricas em antraquinona..

Como funcionam ?

Diminuição do peristalismo.

Podemos utilizá-lo durante um longo período de tempo ?

Não, não é aconselhado utilizá-lo por muito tempo.

Medicamentos administrados por via retal (supositórios)

De que se trata ?

Em geral, trata-se de supositórios ou líquidos de lavagem, a serem introduzidos no ânus, à base respectivamente de glicerina ou laxantes osmóticos.

Como funcionam ?

Os supositórios à base de glicerina agem por efeito emoliente. As lavagens em geral, agem por efeito osmótico.

Podemos utilizá-lo durante um longo período de tempo ?

Converse com o seu médico, pois como sempre, não é aconselhado utilizar um laxante por muito tempo, o ideal é procurar a causa da prisão de ventre.

Medicamentos recentes e outros tratamentos para a constipação

– Existem no mercado medicamentos específicos para constipação em geral vendidos com receita médica. Eles são indicados especialmente se os medicamentos de venda livre (OTC, sigla em inglês) tiverem eficácia limitada. Entre estes  medicamentos estão as seguintes moléculas: linaclotida, lubiprostona e plecanatida.

– Às vezes, o médico também pode prescrever antidepressivos, especialmente inibidores da recaptação da serotonina. Esses medicamentos funcionam principalmente como um analgésico, particularmente durante a constipação em pacientes com síndrome do intestino irritável.

– Em alguns casos graves e particulares de constipação, a cirurgia pode ser realizada para remover uma parte do cólon.

Tratamentos naturais

Diversas plantas exercem um efeito laxante, aqui estão as mais utilizadas:

Plantas sem efeito irritante

Laxante formador de massa, com possível utilização por um período de tempo mais longo.

– O psílium, uma planta em forma de grãos, bastante eficaz contra a prisão de ventre crônica.

– O figo, bastante eficaz como laxante. Geralmente podemos encontrá-lo em xaropes, à venda nas farmácias. Consulte o seu farmacêutico para indicar um produto à base de figo.

– Os grãos de linhaça, eficazes contra a prisão de ventre crônica.

Plantas com um efeito irritante

A serem utilizadas por um curto período de tempo). Estas plantas geralmente são ricas em antraquinona.

– A frângula é muito eficaz como laxante, ela é geralmente preparada como mistura com outras preparações.

– O óleo de Mamona ou mamona, uma planta laxante eficaz para tratar uma prisão de ventre de curta duração (não é apropriada para tratar uma prisão de ventre crônica).

– A sene, útil para tratar uma prisão de ventre ocasional, em adultos (preste atenção às contra-indicações), peça conselhos ao seu especialista.

Ruibarbo, útil para tratar a prisão de ventre ocasional.

– A babosa (Aloe vera), planta rica em antroquinona, para ser utilizada em casos de prisão de ventre ocasional.

Outra planta:

O óleo essencial (o.e.) de hortelã-pimenta (Mentha x piperita) ingerido na forma de cápsula (200mg o.e. de hortelã-pimenta) 15 a 30 minutos antes de uma refeição, ajuda a prevenir espasmos musculares no trato gastrointestinal. A hortelã-pimenta não age diretamente contra a constipação, mas ajuda a reduzir os sintomas associados, como a dor abdominal. Escolha as cápsulas com proteção gástrica, para evitar que o conteúdo da cápsula seja liberado no estômago e cause azia.

Dicas

– Beba bastante água (de 1 litro a 1 litro e meio por dia), pois isso permite amolecer as fezes.

– Tenha uma alimentação rica em fibras, à base de legumes, frutas frescas ou frutas secas.

– Não esqueça de tentar, se possível, tratamentos com plantas medicinais.

– Tome laxantes por pouco tempo, pois tomar muito laxante pode favorecer a prisão de ventre.

– Um truque interessante para promover a defecação é elevar as pernas para a horizontal quando você está no vaso sanitário. Você também pode colocar um banquinho para colocar os pés. Esta posição aumenta a defecação e reduz a utilização de laxantes.

– Em crianças pequenas, um banho de assento quente pode promover o trânsito.

– Verifique seus medicamentos, é possível que um medicamento que você já toma promova a constipação. Pergunte ao seu médico ou farmacêutico se um medicamento pode exercer este efeito de constipação.

Prevenção

– Beba bastante água (de 1 L a 1 L e meio por dia), pois isso permite amolecer as fezes.

– Tenha uma alimentação rica em fibras, à base de legumes, frutas frescas ou secas.

– Faça esportes ou exercícios físicos. Ficar deitado ou parado por muito tempo não favorece o fluxo.

– Assim que sentir vontade de ir banheiro para evacuar, vá e não se retenha.

– Faça as suas refeições em horários fixos, é fato que uma regularidade na alimentação diminui a prisão de ventre.

O uso de probióticos pode ajudar a prevenir a constipação, os probióticos favorecem principalmente os movimentos intestinais. Uma espécie eficaz de bactéria é a Bifidobacterium lactis.

Fontes:
Mayo Clinic

Esta informação foi útil?

Observação da redação: este artigo foi modificado em 17.01.2018

Publicidade