Publicidade

Alergia

Resumo de alergias

Resumo de alergiasA alergia é uma doença cada vez mais comum e pode se manifestar de várias formas, desde eczema a choque anafilático, passando pela rinite alérgica(por exemplo, febre do feno). Existem diversos alérgenos presentes no ar e o sistema imunológico pode reagir muito fortemente a estas substâncias, que são na sua maioria inofensivas. A alergia é uma reação excessiva do sistema imunológico contra uma substância que seria normalmente inofensiva (por exemplo o pólen).

Publicidade

A alergia tem um componente hereditário, muitas pessoas que sofrem de alergias têm um terreno alérgico, mesmo que a causa e os sintomas desenvolvidos sejam diferentes dos do seu pai ou da sua mãe.

Uma pessoa pode ser alérgica a várias substâncias (diferentes pólens, alimentos, pêlos de animais, …). A identificação dos alérgenos nem sempre é necessária, mas pode ser interessante para a prevenção de crises alérgicas (medidas para evitá-la) e também para reduzir a alergia realizando a dessensibilização, por exemplo.

sintomas de uma alergia Os sintomas de uma alergia podem parecer triviais e inofensivos. No entanto, eles podem reduzir a qualidade de vida dos pacientes. Em uma alergia mal conhecida e mal tratada, o paciente pode desenvolver uma rinite crônica, uma asma alérgica e crônica. A complicação mais grave da alergia é o choque anafilático, que pode ter consequência fatal.
Os meios de prevenção e tratamento de alergias vão desde evitar o alérgeno até o uso de medicamentos antialérgicos. A dessensibilização às vezes é eficaz, mas infelizmente é um longo caminho para atenuar ou remover as reações alérgicas.
Algumas alergias requerem uma atenção especial. Este é o caso de alergia às vespas. Todas as pessoas alérgicas a picadas de vespa devem portar constantemente uma injeção de adrenalina para evitar um choque anafilático.

Em bons conselhos, você vai encontrar medidas simples para prevenir reações alérgicas, tais como escovar o cabelo, o arejamento do quarto em horários específicos do dia. Uma alimentação com leite hipoalergênico também é altamente recomendada em crianças com pelo menos um dos pais que sofre de alergias.

Definição

A alergia é uma reação anormal e específica do organismo em caso de contatocom substâncias estranhas (alergênicas). Normalmente as substâncias estranhas não desencadeiam distúrbios na maioria das pessoas.

Para que ocorra uma alergia, é necessário que um primeiro contato aconteça entre o alérgeno e o organismo da pessoa (sensibilização). É por isso que quase sempre o segundo contato com o alérgeno é o mais problemático.

Distinguimos diferentes formas de alergias ou expressões de alergia:
a asma;
– a dermatite atópica, eczema atópico, eczema geral;
– a rinite alérgica;
– a conjuntivite;
– a urticária;
– a alergia a medicamentos;
– as alergias alimentares (quase sempre se trata de uma pseudo-alergia = má digestão).

Como se desenvolve uma alergia ?

Quando uma pessoa detentora de um sistema imunológico sensível se expõe a um alérgeno, ocorre uma série de acontecimentos:

1. O corpo começa a produzir anticorpos específicos (ver foto), chamados de imunoglobinas de tipo E (lgE), para combater os alérgenos (por diferentes mecanismos, como a neutralização).

2. Os anticorpos atados ao antígeno se fixam nas células conhecidas como mastócitos. Estas se encontram numerosas nas vias respiratórias assim como no trato gastro-intestinal, local onde os alérgenos tentam penetrar no corpo.

3. Isto (etape 2) produz a liberação das moléculas compreendidas nos mastócitos e que são responsáveis pela maioria dos sintomas da alergia (liberação da histamina,…), induzindo, por exemplo, um nariz tapado ou olhos avermelhados.

Se o alérgeno se encontrar no ar, a reação alérgica se desenvolverá nos olhos, no nariz ou nos pulmões. Se, do contrário, o alérgeno for ingerido, a reação alérgica ocorrerá na boca ou no trato gastrointestinal. Quando o alérgeno estiver em contato com a pele, isso produzirá reações dermatológicas (eczema, por exemplo.).

Entretanto, as reações alérgicas podem, às vezes, ir além de uma reação clássica, falamos então de uma alergia generalizada, isto pode se traduzir por uma queda da pressão sangüínea e até uma perda de consciência. Este tipo de alergia grave é conhecido como anafilaxia e necessita quase sempre de um tratamento de urgência, pois pode haver risco de vida (por exemplo, para as pessoas gravemente alérgicas às picadas de abelhas, que devem sempre levar consigo uma injeção à base de adrenalina).

Publicidade

Epidemiologia

Considera-se que dois americanos sobre dez são afetados por algum tipo de alergia.

A maior parte das alergias é hereditária, o que significa que estas são transmitidas dos pais para os filhos. Por exemplo, quando um pai é alérgico, o seu filho tem 50% de possibilidade de também ser. Quando ambos os pais são alérgicos, esta probabilidade pode subir para 75%. Observamos que as crianças herdam uma tendência à alergia, mas não necessariamente ao mesmo alérgeno.

Deve-se notar que as crianças americanas sofrem mais de alergias. Aquelas que vivem em famílias mais ricas são particularmente afetadas, de acordo com um relatório do governo dos EUA de abril de 2013. Alergias de pele como eczema foram as que tiveram o maior aumento na última década. Elas passaram de 7,4% em 1997-1999 para 12,5% em 2009-2011, de acordo com o relatório do Centro Nacional de Estatísticas de Saúde Pública, em crianças com idade inferior a 17 anos. Os pesquisadores envolvidos no estudo constataram que a prevalência de alergia alimentar e respiratória aumentam com o aumento da renda familiar. O relatório não nota diferenças significativas entre as alergias de pele e em relação à renda familiar.

As alergias alimentares também aumentaram durante este período, de 3,4% para 5,1%. Entretanto, as taxas de alergias respiratórias, como a febre do feno, mantiveram-se constantes e continuou a ser a alergia infantil mais comum (17%).

Alguns especialistas acreditam que o aumento das alergias nos Estados Unidos e em outras partes do mundo desenvolvido é o resultado de uma higiene crescente que elimina os germes.

Causas

As causas das alergias são múltiplas, geralmente se trata de uma reação exagerada a alérgenos, os quais podem ser:

causas das alergias

– Do pólen de árvores ou gramíneas (veja também Febre do feno).

– De ácaros e pêlos de animais.

– De fungos ou mofos (vestígios, quantidades mínimas suficientes).

– Alguns alimentos (ex. amendoim, peixe, soja, ovos, leite, farinha, frutos do mar, etc).

– O látex e outros produtos químicos.

– De medicamentos (leia o nosso dossiê sobre alergias a medicamentos), incluindo antibióticos como a penicilina.

– Algumas picadas de insetos como vespas ou abelhas.

A maior parte dos alérgenos são inalados.

Como há uma variedade de alérgenos, as alergias podem ser sazonais ou não. Um exemplo típico de uma alergia sazonal é a febre dos fenos. Ela começa e termina de acordo com a sazonalidade do pólen responsável. A alergia ao pólen de bétula, por exemplo, tem início no final do inverno até por volta do mês de agosto, enquanto uma alergia ao pólen de gramíneas (ervas) começa no mês de novembro.

Quanto aos alérgenos não sazonais, a alergia pode ocorrer ao longo de todo o ano, enquanto houver o contato com o alérgeno.

Conhecer o alérgeno responsável pela alergia é importante a fim de evita-lo, este é o caso do pólen, pelos de animais, alimentos e alergias medicamentosas. No entanto, evitar o alérgeno pode ser problemático, no caso do padeiro que é alérgico a farinha ou da florista que desenvolve alergia ao pólen das flores.

A alergia à poeira, ou mais precisamente às fezes de ácaros, é muito problemática e difícil de evitar.

Para a alergia a pelos de animais, a alergia na verdade é da saliva, urina ou das células epiteliais do animal (pele).

Um estudo interessante revelou que pessoas concebidas no início do ano são mais alérgicas. Isso porque essas crianças concebidas no início do ano e até o primeiro trimestre estão no útero durante a temporada de certos pólens e por isso acabam sendo mais propensas do que outras a adquirirem alergias alimentares.

Grupos de risco

As pessoas com maior probabilidade de desenvolver alergia são:

Publicidade

– Pessoas com pelo menos um dos pais que sofrem de alguma alergia. Pessoas que sofrem de asma, incluindo as que possuem pais com esta doença, também aumenta o risco de alergia.

– Pessoas facilmente expostas aos alérgenos

Pessoas com pelo menos um dos pais que sofrem de alguma alergia
A alergia tem um componente hereditário. Fala-se em terreno alérgico. O risco aumenta se ambos os pais são alérgicos,qualquer que seja sua manifestação. A alergia desenvolvida pela criança pode ser diferente da dos pais, e mais, pode se manifestar de forma diferente, pode apresentar eczema em vez de rinite alérgica por exemplo.

Pessoas facilmente expostas aos alérgenos
Existem inúmeras possibilidades de alérgenos, do pólen aos pelos dos animais, da farinha ao látex, sem mencionar os alérgenos de alimentos. Em suma, você pode ser alérgico a não importa o que, mas sendo alérgico, o seu sistema imunológico responde excessivamente a substâncias que são na realidade inofensivas.

A exposição ao alérgeno pode ser mais ou menos evitada. Assim, uma pessoa alérgica à farinha e que trabalha numa padaria não consegue evitar o alérgeno. Essa pessoa, assim como a florista alérgica ao pólen, deve repensar a carreira.

Uma pessoa que trabalha manuseando produtos químicos (técnicos de laboratório, farmacêuticos, cabeleireiros e trabalhadores da limpeza) pode evitar o contato com esses alérgenos através do uso de luvas, isso quando se trata de uma alergia de contato (deve haver contato com a pele para que haja uma reação alérgica).

As alergias alimentares podem parecer simples de serem evitadas, visto que para muitas delas basta evitar o alimento em questão. No entanto, com a industrialização de produtos alimentares, traços de ovos, nozes e outros alérgenos podem estar presentes em qualquer molho e outras preparações. Devemos portanto, ter muito cuidado e ler o rótulo da embalagem. Otermo “liga” significa muitas vezes que há uma possível presença de ovos, por exemplo.

Crianças em comparação com adultos
As crianças são mais propensas a sofrer de alergias do que os adultos.

Sintomas

Os sintomas da alergia podem variar segundo o seu tipo, todavia, nós podemos distinguir sintomas leves, moderados e graves.
Se um sintoma for classificado como leve, a pessoa pode se automedicar (peça conselhos ao seu farmacêutico), o que não é o caso dos sintomas moderados e, sobretudo dos graves, que necessitam de uma consulta médica.

Classificação segundo a gravidade dos sintomas da alergia:

– Leve: os sintomas leves são aqueles que afetam um local específico do organismo, por exemplo, um eczema leve, um nariz congestionado (devido a um rinite alérgica, por exemplo), olhos avermelhados. Estas reações não “invadem” outras partes do organismo.

– Moderado: os sintomas moderados são aqueles que podem se propagar a outras partes do corpo. Por exemplo, uma coceira geral ou dificuldades respiratórias (asma).

– Grave: os sintomas graves já foram mencionados acima. Falamos em reação anafilática. Esta pode provocar uma queda de pressão muito forte e pode levar a uma perda da consciência. Isto necessita de uma consulta médica urgente! Para tratar os sintomas e evitar que isso se reproduza (prevenção).

Diagnóstico

O diagnóstico de alergia se faz através dos sintomas, do contexto e do lugar que ocorreu (alimentos, medicamentos,exposição a alérgenos). O médico avaliará a gravidade dos sintomas mencionados, a fim de propor um tratamento adequado.

O médico irá averiguar a história alérgica da família do paciente, uma vez que a alergia tem um componente hereditário.

O alérgeno envolvido na reação alérgica será investigado, não só a fim de evita-lo quando possível, mas também a fim de realizar o tratamento de dessensibilização, quando não é possível evita-lo.

Para identificar o alérgeno, o médico pode efetuar um teste cutâneo rápido, no qual os alérgenos suspeitos serão aplicados por via subcutânea, assim como uma solução de controle negativo e uma de controle positivo. Os resultados podem ser lidos pelo médico após 20 minutos.

Publicidade

O teste cutâneo também pode ser realizado utilizando um emplastro aplicado sobre a pele, que permanece no paciente por48 a 72 horas. Esta fita contém os alérgenos suspeitos listados e em locais diferentes. A reação na pele pode indicar oalérgeno.

Para uma pesquisa mais aprofundada, o médico pode pedir um exame de sangue de dosagem de IgE específica para osalérgenos suspeitos.

Para a identificação correta dos alérgenos é importante que a reação alérgica possa ocorrer. Assim, nenhum medicamentoantialérgico deve ser administrado no prazo de 4 dias que antecedem os exames.

Complicações

As principais complicações da alergia são:

– Distúrbios do sono

– Alteração na qualidade de vida

– Rinite crônica

Asma

– Choque anafilático

Distúrbios do sono, alteração na qualidade de vida

Por causa dos sintomas (espirros, prurido, olhos lacrimejantes), a alergia pode afetar a qualidade do sono, seja impedindo osono ou acordando a pessoa com as crises, especialmente quando a alergia é à poeira ou ácaros, já que é no quarto que apessoa está mais exposta a este tipo de alergia. Estes são os distúrbios do sono causados por alergia.

A fadiga causada pela própria alergia, bem como os distúrbios do sono, devido à mesma alergia, afetam a qualidade de vida da pessoa alérgica, uma vez que têm como consequência sonolência, mal humor e ineficácia no trabalho.

Rinite crônica

A rinite é um dos sintomas alérgicos mais comuns, principalmente se a alergia é devido ao pólen, ácaros, pelos de animaisou poeira. Pode se tornar rinite crônica, que está constantemente presente, mesmo quando não há exposição ao alérgeno. A polipose nasal também pode aparecer. A polipose nasal é uma complicação frequente de infecção e de rinite alérgica. Se desenvolve na cavidade nasal e nos seios nasais. Trata-se de um tumor benigno. A polipose causa hipersecreção e diminui a qualidade da respiração causando obstrução nasal.

Asma

A asma é uma complicação frequente da alergia, provocada por uma reação excessiva dos brônquios aos alérgenos. As dificuldades respiratórias podem aparecer em qualquer tipo de alergia.
A asma deve ser prontamente cuidada por um médico, pois pode evoluir para uma asma crônica.

Choque anafilático

O choque anafilático é a complicação mais grave de uma alergia. O choque anafilático é temido durante a alergia alimentar,medicamentosa e por veneno (principalmente de vespa).

O choque pode rapidamente ocasionar a morte por obstrução das vias aéreas e alterações nas vias circulatórias.

Tratamentos

Diferentes classes de medicamentos podem tratar os sintomas de uma alergia, a utilização de uma classe e de uma forma (comprimidos, spray,…) de medicamentos varia em função do tipo da alergia.

Tratamento alergia

Os anti-histamínicos (e medicamentos combinados)

É muito provavelmente a classe de medicamentos mais conhecida para tratar os sintomas das alergias (principalmente da rinite alérgica). Podemos encontrá-los sob diferentes formas medicamentosas: cápsulas, comprimidos, spray nasal, colírios,…

Como agem os anti-histamínicos?

Quando ocorre uma exposição a um alérgeno, o sistema imunológico deve combatê-lo. Os mastócitos então liberam uma substância conhecida como histamina que provoca inúmeros sintomas de alergia. Os medicamentos anti-histamínicos bloqueiam os receptores de histamina (receptor do tipo H1) e limitam, e até suprimem os sintomas clássicos da alergia, como o nariz que escorre ou os olhos vermelhos e irritados.

*Atençã os medicamentos mencionados acima não representam todos os medicamentos existentes, trata-se apenas de uma lista de forma alguma exaustiva e a título puramente indicativo. Para os medicamentos, queira ler a bula e peça conselhos a um especialista.

Quais são os efeitos secundários clássicos dos anti-histamínicos?

Determinados anti-histamínicos, assim como os da primeira geração, podem provocar sonolência, portanto peça conselhos ao seu médico ou farmacêutico.

Em relação aos anti-histamínicos podemos incluir os descongestionantes: estes, em forma de spray combatem, por exemplo, a rinite alérgica. Mas atençã não os utilize por mais de cinco dias.

Publicidade

Notamos que existem medicamentos compostos, isto é, que possuem um anti-histamínico misturado a um descongestionante, um broncodilatador, ou outras classes de medicamentos.

Os corticosteróides

Os corticosteróides nasais

Os corticosteróides nasais são os medicamentos que certamente têm maior efeito no tratamento das rinites sazonais (rinite alérgica). Os efeitos secundários mais freqüentes seriam os sangramentos nasais e isso parece dose-dependente. Por falta de estudos não é aconselhado tomar tais remédios durante a gravidez.

Os corticóides gerais (comprimidos)

Indicação

Em casos de alergias avançadas ou graves, estes medicamentos devem sempre ser prescritos por médicos.

Efeitos secundários dos corticóides em tomada per os (comprimidos), não se aplicam para as inalações, como é o caso do tratamento contra a asma, por exempl

– Efeito do tipo mineralocorticóide (aldosterona) com risco de hipertensão, aplica-se, sobretudo para o cortisol.

– Efeito glucocorticóides (sobre glucose).

– Efeitos sobre os ossos (diminuição do teor de cálcio, ou seja, da rigidez), músculos pele (mais fina, sobretudo em aplicação cutânea) e crescimento.

_ Efeitos gástricos (como os AINS, é o mesmo mecanismo desencadeador da acidez).

– Efeitos imunossupressores, aumento do risco de infecção, como por exemplo, o sapinho (uso por inalação). Para resumir todos esses efeitos pode aparecer a chamada síndrome de Cushing.

Interações

Indutores de enzimas hepáticas

Atenção às vacinas

Antidiabéticos

Conselho sobre corticóides por via oral (comprimido,…), não se aplica, por exemplo, para as inalações no tratamento da asma

1. Dosagem: aumentar progressivamente as doses até que o efeito desejado seja alcançado. Quando tiver que interromper o tratamento, diminua as doses progressivamente. Assim, o tempo mínimo para interromper um tratamento é de três meses.

2. Momento de tomada: é preferível tomar a cortisona e seus derivados pela manhã (2/3) e o resto (1/3) à noite ou à tarde. Isto segue o ciclo bioquímico da cortisona no corpo humano, com mais secreção pela manhã.

3. Dieta a ser seguida: em vista aos efeitos farmacológicos descritos acima, é importante ingerir principalmente lacticínios (ricos em cálcio), vitamina D e eventualmente dependendo do medicamento (efeito mineralocorticoide) se deve diminuir o consumo de Na+ para amenizar o risco de hipertensão.

Os estabilizadores dos mastócitos

Estes medicamentos são menos eficazes que os anti-histamínicos clássicos ou os corticóides nasais, mas são adequados em caso de gravidez ou em crianças. E preciso esperar alguns dias após a tomada para verificar a eficiência do medicamento.

Os antagonistas dos leucotrienos

Antagonista dos receptores do leucotrieno, apesar do preço elevado, este tratamento pode ser eficaz. Medicamento eficaz após alguns dias.

A imunoterapia

A imunoterapia ocorre em gabinetes médicos como ilustra a nossa foto acima, por um especialista (imunólogo), por exemplo, primeiramente procuramos o alérgeno, depois se busca através de repetições que visam «habituar o corpo» ao alérgeno para que ele não reaja mais. Converse com o seu médico ou farmacêutico para maiores informações.

Fitoterapia

Os sintomas da alergia podem variar dependendo do tipo de alergia. Assim, durante a alergia, na medicina alopática(tradicional, com medicamentos), atacamos os sintomas desenvolvidos – sendo eles dermatite (eczema, prurido,vermelhidão, ), rinite alérgica (febre, espirros, olhos lacrimejantes), etc.

Na medicina
alternativa é possível tratar os sintomas utilizando um remédio por sintoma, reduzindo ou evitando os efeitoscolaterais dos medicamentos alopáticos.

Quando
congestão nasal é recomendável o uso de cipreste.

Para a asma temos o hissopo. Contudo, a utilização de hissopo deve ser feita de forma complementar ao tratamento da asma alérgica. Portanto, não se deve usar este medicamento sozinho ou pelo menos sem que a asma alérgica tenha sido avaliada por um médico.

Os óleos essenciais são uma boa alternativa para alergia. O óleo essencial utilizado irá variar dependendo do tipo de alergia.

Quandoalergias relacionadas a pele é aconselhável aplicar na pele uma gota de óleo essencial de camomila-romana, três vezes por dia.

No tratamento da rinite alérgica, seja ela sazonal ou anual, é recomendado o óleo essencial de estragão. Este óleo essencial deve ser administrado por via oral, na razão de uma gota três vezes ao dia. Como qualquer óleo essencial tomado por via oral, é importante dilui-lo em mel (em vez do açúcar, porque o açúcar é rico em calorias) ou colocar uma gota sobre um comprimido neutro, que pode permanecer na boca. Esta forma de administração permite uma melhor absorção do óleo essencial.

Vale lembrar
que os óleos essenciais em geral não devem ser utilizados em crianças pequenas, mulheres grávidas e lactantes. Pergunte ao seu médico ou farmacêutico.

Dicas

Retire os tapetes e cortinas da sua casa (se possível!), pois estes atraem particularmente o pólen, o pó e os pêlos.

Se você dirigir, tome cuidado! Na verdade a alergia por ela mesma ou por causa de determinados medicamentos que visam combatê-la, podem deixá-lo sonolento. Se estiver muito cansado não dirija!

– Em caso de rinite alérgica, consulte também nossa página especial sobre as dicas em caso de rinite alérgica.

– Quando a alergia é devido à poeira é aconselhável manter a casa o mais limpa possível. Para evitar o contato com a poeira, usar luvas ou máscaras pode ser útil ao realizar a limpeza. Investir em um aspirador robô (aspirador de pó robô) pode ser útilpara reduzir a exposição ao alérgeno.

– A mesma observação pode ser feita quando a alergia é à pelo animal. Neste caso, é ainda desaconselhado ter animais em casa.

– Quando a alergia é devido a picadas de vespa ou quando há alergia alimentar grave conhecida, é essencial andar sempre com uma caneta de adrenalina. As reações alérgicas deste gênero costumam ser violentas e podem causar choque anafilático, que pode levar a morte, se não for tratado de forma rápida. É aconselhável saber como usar essas canetas de adrenalina. Os acompanhantes também devem saber manuseá-la. Além disso, é importante verificar regularmente a data de validade de sua caneta de adrenalina. Estas, geralmente têm prazos de validade curtos.

Notícias

Fontes:
Mayo Clinic

Redação:
Por Xavier Gruffat (farmacêutico)

Fotos: 
Adobe Stock

Atualização:
Este artigo foi modificado em 28.02.2019

Esta informação foi útil?

Observação da redação: este artigo foi modificado em 28.02.2019

Publicidade