Publicidade

Otite

Resumo otite (dor de ouvido)

Otite resumoA otite é uma inflamação do ouvido frequente, em particular nas crianças. Existem dois tipos principais de otite: a otite externa, e a otite média. O primeiro tipo é mais comum em nadadores e mergulhadores e se desenvolve devido à umidade e bactérias que se alojam no ouvido. A otite média é mais comum em crianças e trata-se de uma inflamação das estruturas do ouvido.
Essa é uma das doenças mais comuns durante a infância. Estudos sugerem que pelo menos 75% das crianças apresentam um episódio de otite entre os 6 meses e 2 anos de idade. As causas diferem de acordo com o tipo de otite. Na otite externa, a umidade da água aumenta a porosidade do ouvido e favorece a colonização de agentes infecciosos. Na otite média, infecções do ouvido criam pus e pressionam as estruturas internas.

Publicidade

O principal sintoma da otite é a dor de ouvido. Além dele, outros sinais podem aparecer, como febre, dificuldade de audição, dificuldade para mastigar, tontura e irritabilidade.

O diagnóstico é normalmente feito com exames do ouvido e perguntas ao paciente. O médico pode indicar exames mais detalhados como a timpanocentese e exames que medem a audição do paciente.

A otite quando não tratada ou quando muito recorrente pode lesionar o tímpano de maneira permanente e resultar em dificuldade auditiva. O tratamento normalmente envolve uso de analgésicos para aliviar a dor.

O uso de gotas auriculares é contraindicado em casos de perfuração do ouvido. Em alguns casos, o médico pode indicar antibióticos para combater a infecção.

Sabemos que nas crianças, em média 80% das infecções do ouvido se curam naturalmente em poucos dias (aproximadamente 3 dias), sem a necessidade do uso de antibióticos.

Algumas medidas preventivas ajudam a reduzir a ocorrência de otite. Elas incluem a vacinação constante, o combate a infecções respiratórias, o combate ao tabagismo (inclusive o fumo passivo) e aleitamento materno.

Definição

A otite média, também conhecida como otite média aguda, é uma inflamação de diferentes órgãos do ouvido (cavidades, mucosas, conduto auditivo externo, ouvido médio, etc), e pode ser muito dolorosa. O nome “otite” média se refere à uma inflamação (ite) do ouvido médio. Existem dois tipos básicos de otite: a otite externa e a otite média (geralmente chamada somente de otite).

Otite externa

– A otite externa é uma inflamação da parte externa do ouvido, isto é, uma inflamação do conduto auditivo externo e da pele que o reveste.

– A otite externa também é conhecida como otite dos nadadores, pois mergulhadores e nadadores são particularmente afetados. Por estarem frequentemente dentro da água ou em ambientes úmidos, as bactérias que se encontram naturalmente presentes no ouvido, além daquelas trazidas pela água, acabam entrando no interior do conduto auditivo externo e provocando uma inflamação. A entrada das bactérias geralmente ocorre devido a um aumento da porosidade da pele que encobre o conduto auditivo externo. O aumento da porosidade é em parte causado pela diminuição da camada de cerúmen (cera) no conduto auditivo externo.

Otite média – otite serosa (otite subaguda) – otite crônica:

A otite média geralmente aparece após uma infecção das vias aéreas superiores (por exemplo, bronquite e resfriados). O muco produzido durante essas infecções pode bloquear as finas tubas auditivas (trompas de Eustáquio), assim, promove o desenvolvimento de bactérias e vírus, iniciando uma infecção no ouvido (otite).

– A otite subaguda, também chamada de otite serosa, caracteriza-se por não ter extravasamento do pus.

– Por fim, determinadas pessoas têm otites crônicas. Esse tipo de otite é muito complexa para o citarmos aqui, portanto converse com o seu médico para conhecê-la melhor.

Além dos tipos citados, existem outros de otite:

– Otite média aguda necrosante.

– Otite média latente.

– Otite média secretora.

– Otite média crônica supurativa.

– Otite média tuberculosa.

Epidemiologia

A otite média é uma das doenças infecciosas mais comuns da infância e estima-se que mais de 75% das crianças apresentam pelo menos um episodio da doença até os 3 anos de idade. Nos EUA, estima-se que 33% das consultas médicas e 40% do uso de antibióticos por crianças abaixo dos 5 anos sejam devido à otite média aguda.

Estudos indicam que a incidência da doença tem aumentado ao longo dos anos. Em 1975, o número de casos de otite média diagnosticados nos EUA era de 10 milhões. Esse número saltou para 25 milhões em 1990. Estima-se ainda cerca de 5 bilhões de dólares sejam gastos por ano para tratar a otite média aguda. A prevenção dessa doença traz, portanto, importante impacto social e médico.

A maioria das crianças para de sofrer de infecção do ouvido com a idade de 4 a 5 anos. Nesta idade a trompa de Eustáquio torna-se mais larga e é menos suscetível a obstrução, uma causa comum de otite média na primeira infância.

No Brasil, a otite média aguda é mais prevalente em crianças que em adultos. A vacinação de crianças contra doenças respiratórias (como gripes e pneumonias) reduz a incidência da otite na população infantil para 6 ou 7%.

Causas

Como existem diferentes tipos de otite, as causas também podem ser distintas:

Causas da otite externa (ou otite dos nadadores)

As otites externas são geralmente provocadas por bactérias ou fungos. No entanto, determinados fatores podem facilitar a contaminação através destes agentes infecciosos. Estes são:

Grande exposição à água, como é caso, por exemplo, dos nadadores.

Mergulho em determinadas águas tropicais. De fato, certas águas de regiões tropicais têm um plâncton que favorece o desenvolvimento da otite externa.

A utilização muito frequente de cotonetes para limpar o ouvido. Isso pode fragilizar o cerume (cera) que exerce um papel protetor frente às bactérias, e pode se tornar assim mais poroso. Isso favorece a entrada de micróbios e provoca uma otite externa.

Origens anatômicas. Uma pessoa que apresenta naturalmente o conduto auditivo externo muito estreito tem tendência particular em desenvolver otites externas mais frequentemente.

Doenças dermatológicas como a psoríase ou o eczema, sobretudo se essas condições estiverem ao redor da orelha.

Causas da otite aguda média

A otite média é causada pelo bloqueio da trompa de Eustáquio. Esse bloqueio ocorre devido ao inchaço da membrana mucosa nasofaríngea. Esse inchaço, por vez, ocorre devido a infecções bacterianas ou virais. Os tipos de bactérias mais comuns são os pneumococos, estreptococos e estafilococos.

Uma condição relacionada é a otite média com efusão. Nesse caso, a inflamação ocorre sem a presença de uma bactéria ou vírus. Isso pode ocorrer devido a um bloqueio que persiste mesmo após a infecção ter sido resolvida, sobretudo decorrente de disfunções ou bloqueios não infecciosos das trombas de Eustáquio.

Grupos de risco

Existem alguns grupos de risco que apresentam maior incidência para as otites:

– Mergulhadores, profissionais ou amadores. Nesse caso, eles apresentam risco aumentado de desenvolver otite externa.

– Crianças: este é o principal grupo de risco para a otite média. Crianças entre 6 meses e 2 anos de idade apresentam altas chances de terem otite devido ao tamanho e formato dos tubos de Eustáquio, além de terem sistema imune pouco desenvolvido.

– Crianças em creches ou escolas: o contato com outras crianças aumentam as chances de adquirir doenças respiratórias e otites.

– Crianças que não tiveram aleitamento materno ou cujo período foi curto. O aleitamento materno é importante para reforçar o sistema imune da criança. Crianças que passaram muito cedo para a mamadeira têm risco aumentado de desenvolverem otite.

– Pessoas com alergias e doenças sazonais. Essas afecções normalmente ocorrem durante o inverno e outono e incluem gripes, resfriados e até pneumonias. Como consequência, a incidência de otite aumenta.

– Fumantes. Os fumantes apresentam risco aumentado de desenvolvimento de otite, pois a fumaça do cigarro afeta as vias aéreas. Fumantes passivos também estão sob risco.

Sintomas

Os sintomas da otite variam em função do seu tipo (otite externa ou média).

Sintomas da otite externa (ou otite dos nadadores)

Em caso de otite externa, os sintomas podem ser os seguintes:

No início, coceira na região do conduto auditivo externo.

– Forte dor e sensibilidade na região do conduto auditivo externo e lobo temporal (sinal que permite diagnosticar uma otite externa). A dor pode aumentar no período da noite.

O escoamento leve de líquidos através da orelha, mas em certos casos, também é possível que exista um fluxo maior de escoamento.

Dificuldades para mastigar (na hora das refeições)

Em certos casos (grave), inchaço na região do ouvido.

Outros sintomas possíveis em caso de otite externa mais grave: febre, tontura, forte extravasamento de líquido. Todos esses sintomas indicam a necessidade de consultar um médico rapidamente.

Sintomas da otite aguda média

Os sintomas da otite média aguda geralmente são os seguintes:

Dores fortes no ouvido. A dor aumenta ao se deitar. A criança tende a segurar ou puxar a orelha.

Febre (em torno de 38,5°C, geralmente acima de 38,8°C ou 100°F)

– Diminuição da audição e impressão de ter os ouvidos tampados

Efusão de pus (liquido infectado do ouvido interno) através do conduto auditivo externo, em caso de perfuração do tímpano.

Às vezes pode ocorrer vômitos e diarreias.

– Dificuldades para dormir.

– Dor de cabeça.

– Perda de apetite (uma vez que mastigar pode ser doloroso).

– Irritabilidade (principalmente em crianças).

A otite média frequentemente acompanha ou precede uma rinite (a trompa de Eustáquio entope e se enche de pus, o que leva a uma otite média aguda).

– Choro mais comum que o normal (em crianças pequenas).

– Perda de equilíbrio.

Observação: Uma otite mal tratada pode levar a graves complicações (como a surdez), portanto, em todos os casos de otite é necessário um diagnóstico e um tratamento médico.

Diagnóstico

O diagnóstico da otite média é normalmente feito pelos sintomas apresentados pelo paciente. O médico também investiga a presença de outras doenças, como gripes, resfriados, pneumonias oumeningites.

Por vezes é necessário investigar o tímpano através de um instrumento, o otoscópio. Com esse aparelho, o médico pode ver o quanto de líquido há no tímpano e qual a gravidade da otite. Ele também pode escutar a respiração do paciente usando um estetoscópio.

Além desses testes de rotina, o médico pode requerer exames mais específicos:

– Timpanometria: esse exame mede o movimento do tímpano e dá informações do quanto de pressão existe no ouvido médio.

 – Reflectometria acústica: esse teste mede o quando de som é refletido pelo tímpano. É um teste indireto do quanto de líquido há no ouvido.
– Timpanocentese: nesse exame, o médico utiliza um fino tubo para drenar o líquido do ouvido médio. Esse exame permite que o médico saiba qual o agente infeccioso causa a otite.

Outros exames podem ser indicados para testar a capacidade auditiva do paciente, sobretudo se ele tem otites recorrentes. Dentre eles destaca-se o exame de audiometria, que identifica o quanto de som o ouvido pode escutar.

Complicações

A otite normalmente não causa sérias complicações. Entretanto, quando ele é muito frequente, alguns problemas podem estar associados:

– Problemas de audição: infecções recorrentes podem prejudicar o tímpano ou outras estruturas do ouvido médio permanentemente. O melhor a se fazer é sempre tratar as otites.

– Perfuração do tímpano: normalmente o tímpano se cicatriza em cerca de 72 horas. Entretanto, alguns casos podem requerer reconstrução cirúrgica.

– Disseminação da infecção: quando a otite não é tratada ou não responde bem aos tratamentos, a infecção pode se disseminar a estruturas e tecidos vizinhos, como os ossos mastoides (mastoidite). Em alguns casos raros, a otite pode se disseminar para outros ossos da cabeça e pescoço.

Tratamentos

Em função dos diferentes tipos de otite, os tratamentos também variam.

Tratamento da otite externa

Em caso de otite externa, o médico ou farmacêutico geralmente irá prescrever gotas auriculares a serem pingadas (introduzir as gotas no ouvido). Ressaltamos que estas gotas são contraindicadas em caso de tímpano perfurado.

As gotas utilizadas podem ser antissépticas, antibióticas ou ainda antifúngicas.

Atençã os medicamentos mencionados acima não são os únicos disponíveis, trata-se de uma lista de forma alguma exaustiva e a título puramente indicativo. Sempre leia a bula dos medicamentos e peça informações ao seu médico ou farmacêutico.

Para acalmar a dor provocada pela otite, o médico pode indicar analgésicos como o paracetamol (sobretudo em caso de febre). Evite os anti-inflamatórios não esteroidais (como a aspirina) em caso de otite externa, pois esses medicamentos podem mascarar uma infecção mais séria e impedir um bom diagnóstico.

O médico poderá propor também outros tratamentos medicamentosos, como limpeza do ouvido e remoção da cera.

Tratamento da otite média aguda

Todos os casos de otite média aguda devem ser tratados pelo médico. Ninguém deve se automedicar (assim como não se deve utilizar gotas para os ouvidos sem um aval médico).

Na França, os médicos recomendam não tratar otite média aguda durante as primeiras 72 horas. O médico irá prescrever antibióticos para complicações, especialmente em crianças de 6 meses a 2 anos (idade com maior incidência da doença). Este tipo de infecção no ouvido cicatrizam normalmente em apenas 5 ou 6 dias.
Nos Estados Unidos, a Mayo Clinic afirma, em um livro publicado em 2015, que os antibióticos geralmente são  prescritos para otite média aguda em crianças com 6 meses de idade ou menos, para crianças com sintomas graves, quando os sintomas duram mais que 48 horas e quando a criança tem uma infecção em ambas as orelhas.

Ressaltamos, todavia, que o médico, em determinados casos (não em todos!), poderá prescrever antibióticos a serem tomados por via oral (pela boca), para combater as bactérias responsáveis pela otite média. É importante ressaltar que gotas auriculares são contraindicadas no caso de perfuração do tímpano. Além disso, o uso indiscriminado de antibióticos pode aumentar a resistência bacteriana.

Antibióticos em gotas
Os médicos estimam que, se antibióticos forem prescritos para otite, as gotas com uso local geralmente são mais eficazes e com menos efeitos colaterais do que os antibióticos orais (por exemplo, comprimidos).

Contra a dor, a febre e a inflamação, o médico poderá prescrever o paracetamol ou os anti-inflamatórios não esteroidais (come o ibuprofeno, a aspirina, etc).

– Em casos onde não há perfuração do tímpano, o médico pode prescrever gotas de antipirina-benzocaína-glicerina para aliviar a dor. No entanto, os medicamentos a base de benzocaína são contraindicados para crianças menores de 2 anos de idade.

Em caso de otites repetitivas (mais de 5 por ano), o médico pode colocar drenos no tímpano, o que necessita de uma operação, portanto, consulte o seu médico.

Dicas

Os conselhos/ dicasdiferem em função do tipo de otite.

Bons conselhos em caso de otite externa – conselhos em caso de otite dos nadadores

– Após cada banho, enxágue as orelhas com água limpa e seque bem com ar quente, principalmente o pavilhão auditivo e o início do conduto auditivo externo. Na verdade, como vimos nas causas da otite externa, a umidade promove muito o desenvolvimento da otite.

– Eviteo excesso de cotonetes para limpar o conduto auditivo externo, pois isso fragiliza o cerúmem. É preciso eliminar o excesso de cerúmen (cera), mas não muito, pois ele protege o ouvido contra agentes infecciosos. Trata-se de encontrar um bom equilíbrio.

– Utilizar um remédio natural à base de água e vinagre é um bom preventivo se você for mergulhar e estiver sensível em desenvolver otites externas.

– Se você tiver frequentemente otites externas (otite dos nadadores) e for a um país distante, não esqueça de levar com você gotas auriculares antibióticas (prescritas no seu país por um médico), isso pode sempre ser bastante útil.

– Em caso de otite externa dolorosa, aplique no ouvido uma compressa quente que é eficaz contra a dor e a inflamação.

Bons conselhos em caso de otite média

– Em caso de otite externa dolorosa, aplique no ouvido uma compressa quente, eficaz contra a dor e a inflamação.

A Mayo Clinic recomenda também a aplicação de uma compressa quente local na criança com otite média aguda.

Prevenção

Algumas dicas podem ajudar a prevenir as otites:

– Previna doenças respiratórias, como gripes, resfriados e pneumonias. Estudos indicam que a vacina contra pneumonia reduz a incidência de otite em crianças para 6 ou 7%. Converse com o médico do seu filho sobre as vacinas indicadas para a idade dele.

– Evite levar o seu filho pequeno a ambientes fechados, sobretudo nas épocas frias do ano. Em ambientes como esse e com muita gente, a transmissão de doenças é facilitada.

– Evite fumar ou estar em contato com fumantes. A fumaça do cigarro irrita as vias respiratórias e aumenta o risco de otite.

– Se possível, amamente o seu filho por, pelo menos, 6 meses. O aleitamento materno reforça a imunidade da criança e previne doenças infecciosas.

Fontes:
Mayo Clinic

Última atualização:
22.11.2020

Redação:
Xavier Gruffat (farmacêutico)

Esta informação foi útil?

Observação da redação: este artigo foi modificado em 22.11.2020

Publicidade