Publicidade

Gripe

Resumo

gripe resumoA gripe é uma das afecções mais banais, mas que nem por isso não deve ser levada à sério. Todo inverno, a doença leva milhares de brasileiros a se dirigirem a um médico para consultarem-se. Para a maioria dessas pessoas a gripe é benigna, mas para grupos de risco ela pode ser fonte de sérias complicações, como para aquele com pessoas de 60 anos,  para o qual a gripe representa um importante fato de morbidade e mortalidade. Em caso de epidemais gripais, a taxa de contágio pode atingir 10-20% da população e ultrapassar 50% nos estabalecimentos coletivos (instituições para pessoas idosas, internatos, clínicas, etc.). A prevenção é então uma estratégia essencial na luta contra a doença e sua propagação.

Publicidade

A vacinação contra gripe é a medida mais eficaz contra a gripe e suas complicações para a população. O recurso aos medicamentos antivirais (amantadina/rimantadina, zanamivir, oseltamivir) a título profilático  é um meio complementar útil, mas que não  susbstitui a vacinação. Estes medicamentos, geralmente limitados aos grupos de risco podem em princípio, ser empregados para a profilaxia e o tratamento da gripe em caso de epidemais.

A equinácea pode também ser recomendada como meio de prevenção natural, mas não pode substituir a vacinação (único meio eficaz). A equinácea tem um efeito imunoestimulante.

vírus da gripe é transmitido facilmenteO vírus da gripe é transmitido facilmente de uma pessoa a outra por via aérea, através das microgotículas e das partículas excretadas pelas pessoas infectadas quando elas tossem ou espirram. Sem surpresa, as mãos representam então um fator importante na propagação da gripe: de fato, elas contribuem para veicular  e disseminar o vírus atráves do contato direto com todos os tipos de superfície que permeam nossa vida quotidiana.

Lavar cuidadosamente as mãos é um gesto simples, eficaz que pode limitar o risco de transmissão do vírus e da propagação das infecções em geral.

Definição

vírus GripeA gripe é uma doença infecciosa provocada por um vírus, o Influenza virus (um vírus ARN, da família dos ortomixovirus).
Podemos distinguir diversos tipos de vírus (A, B e C), os vírus do tipo A e B são o mais comuns. O tipo A é o mais virulento, e é frequentemente a origem de pandemias e epidemias. O tipo B muitas vezes leva a pequenos surtos ou epidemias, geralmente bem localizados e não global. De acordo com a literatura, o tipo C nunca causou grandes epidemias de gripe.

A gripe pode atingir as vias respiratórias (nariz, laringe, faringe, pulmão, ouvido médio). O vírus da gripe pode atacar ao mesmo tempo as vias respiratórias superiores (garganta, nariz) e as vias respiratórias inferiores (pulmão,….).

Pandemias de gripe nos Estados Unidos
Nos Estados Unidos tiveram quatro pandemias de gripe nos últimos 100 anos:
1918 – a gripe espanhola (em inglês: Spanish Flu)
1957 – a gripe asiática (Asian Flu)
1968 – a gripe de Hong Kong (Hong Kong Flu)
2009 – a gripe H1N1 (H1N1 outbreak). Em 2009, a gripe gerou cerca de 60,8 milhões de doentes, 274.000 hospitalizações e mais de 12.000 mortes nos Estados Unidos.

Transmissão da gripe

O vírus da gripe é transmitido de uma pessoa à outra por intermédio das partículas aéreas (microgotículas) transmitidas por exemplo, através do espirro, da tosse, ou de um simples aperto de mão. Sendo assim, a gripe é uma doença infecciosa muito contagiosa.

Um gripe mal curada pode levar a uma superinfecção bacteriana, que requer um tratamento à base de antibióticos, o que representa uma situação particularmente crítica para os grupos de risco.

Febre e gripe

Um estudo canadense publicado em 2014 mostrou que em casos de gripe a administração de antipirético (para reduzir a febre) aumentou o número de mortes de 1 a 5%. A febre, sem ser muito elevada, ajuda o corpo a lutar contra o vírus da gripe. Se a temperatura é reduzida, o vírus pode multiplicar-se facilmente. O risco da utilização de antipiréticos é relevante devido ao fato do paciente sentir-se curado e ainda ser contagioso, o que favorece o surgimento de epidemias de gripe.

Causas

gripe causasComo vimos na seção definição de gripe, esta é causada por um vírus chamado Influenza virus.
Este vírus pode ocorrer de diferentes formas genéticas (genótipos) e também pode variar em função das épocas (como a gripe espanhola que fez milhões de mortos no início do século XX).
Podemos ressaltar que ao contrário dos vírus que provocam os resfriados (existem mais de 200), o vírus da gripe (gripe verdadeira) é único, mas pode ter a sua “forma exterior” variada (genótipo e fenótipo) e segundo os tipos de variações, pode se mostrar perigoso (por ex. a temível forma H5N1 do vírus da gripe aviária, no homem).

4 categorias
Existem 4 categorias do vírus da gripe que causam a doença (sintomas) em humanos. São vírus tipo A, como o vírus H1N1 e H3N2; e vírus tipo B, como Victoria e Yamagata. É importante observar que a vacina contra gripe inclui uma cepa do tipo A e uma do tipo B. No entanto, cada tipo de vírus (ex. H1N1) tem cepas diferentes. Estas cepas do vírus da gripe que circulam, variam de ano para ano. Para que a vacina seja eficaz, ela deve conter a cepa do vírus circulante durante a temporada de gripe.

Frio e o vírus da gripe
O vírus da gripe (influenza) leva a epidemias geralmente em temperaturas de cerca de 0 ° C ou inferior com o tempo seco, de acordo com um estudo realizado em 2016 pelo hospital Sahlgrenska na Suécia e publicado na revista especializada Journal of Clinical Virology.

Grupos de risco

Em geral, as pessoas com sistema imunológico mais frágil terão uma tendência maior em desenvolver uma gripe, estas são principalmente:

Grupos de risco gripe– As pessoas com mais de 60 anos
– As pessoas imunodeprimidas (AIDS, …)
– As crianças com mais de 6 meses e menos de 2 anos
– Pessoas com doenças crônicas (diabetes, doença de Parkinson,…)
– Gestantes (nelas, a gripe pode acarretar em hospitalizações e má-formações fetais), por isso desde 2005, a OMS recomenda que elas sejam vacinadas.
No Brasil, o Ministério da Saúde indica a vacinação de grávidas para qualquer idade gestacional.

– Pessoas que sofrem de obesidade mórbida

– Pessoas que têm contato profissional com porcos (que cuidam ou lidam com porcos)

Ler também: vacinação gripe

Sintomas

Os sintomas típicos da gripe são os seguintes:

Febre alta (acima de 39°C). A febre surge rapidamente e de maneira brusca, associada a arrepios devido ao seu aumento rápido.

– Dores fortes de cabeça (dor de cabeça)

Fadiga extrema

– Dores nas articulações, cansaço nos membros (pernas, por exemplo), mialgia

Tosse seca

Dores de garganta

Congestão nasal (coriza – rinite)

Náuseas e vômitos, principalmente em crianças

Rouquidão

– Perda de apetite

Você deve saber que a gripe pode agravar condições médicas já existentes, como a asma ou a mononucleose.

Normalmente, a gripe é revertida (desaparecimento dos sintomas), após dez dias. Em alguns casos, a gripe pode durar de 2 a 3 semanas.

Gripe sintomas

Diferença entre homens e mulheres nos sintomas da gripe  (“gripe do homem” do inglês “man flu”)
O Dr. Kyle Sue, da Universidade Memorial University of Newfoundland, no Canadá, descobriu por revisão de estudos que os homens sofrem mais com gripe do que as mulheres. Os homens possuem maior risco de hospitalização e têm uma maior taxa de mortalidade do que as mulheres com gripe. Esses sintomas, mais pronunciados em homens do que em mulheres, resultam de um desenvolvimento diferente do sistema imunológico em homens e mulheres. A mulher, que tem um sistema imunitário mais robusto, tem, por outro lado, mais risco de sofrer de doenças auto-imunes, como lúpus, isto é, ver seu corpo erroneamente atacar as suas próprias células. De acordo com testes realizados em camundongos, a testosterona enfraquece as defesas imunológicas nos machos. Em mulheres com altos níveis de estrogênio, é mais fácil combater o vírus da gripe (Influenza). Os anglo-saxões têm uma expressão para qualificar especificamente a gripe masculina: “gripe do homem”. Esse estudo foi publicado online em 11 de dezembro de 2017 na edição de Natal da revista científica British Medical Journal ou The BMJ (DOI: 10.1136/bmj.j5560).

Diagnóstico

Para um diagnóstico exato da gripe é necessário, principalmente para os grupos de risco, consultar um médico, pois somente ele será capaz de esclarecer se trata-se de uma gripe ou um resfriado. O médico utilizará a sua experiência e/ou análises bioquímicas (com anticorpos) para efetuar o diagnóstico.

Complicações

Complicações gripeA gripe pode desencadear determinadas complicações como uma pneumonia ou outros distúrbios respiratórios (asma,…) e até uma desidratação. Em caso de gripe, as pessoas que fazem parte dos grupos de risco, como as pessoas com mais de 65 anos (e sobretudo, as com mais de 80 anos), os imunodeprimidos,… devem prestar uma atenção especial e consultar sempre um médico. O médico irá atender essas pessoas com uma atenção maior, evitando assim, as complicações mais graves.

É importante ressaltar também que se a gripe atingir uma mulher grávida, ela pode levar a má-formações fetais (raro) e a hospitalizações, por isso a OMS recomenda desde 2005 que estas mulheres se vacinem, mesmo se na realidade poucas mulheres se vacinam durante a gravidez.

Quando consultar um médico?

Em caso de gripe, os grupos de pessoas enunciados abaixo devem se dirigir imediatamente a um médico:

– As pessoas com mais se 60 anos

– As pessoas imunodeprimidas (AIDS,…)

– As pessoas portadoras de doenças crônicas (diabetes,…)

– As crianças com menos de 2 anos

Além disso, é imprescindível consultar um médico se forem observados os sintomas citados abaixo, mesmo se o doente não pertencer a um grupo de risco:

Febre (muito) alta. Febre que permanecer acima dos 39°C sem queda (principalmente após a tomada de medicamentos como o paracetamol)

– Sintomas típicos da gripe que persistirem por mais de uma semana.

– Complicações ligadas a uma infecção secundária (certamente bacteriana) como as dores de ouvido, secreções de cor esverdeada ou amarelada,….

– Rigidez na nuca

– Dificuldades para respirar, vômitos, deglutição difícil, tosse persistente, coriza persistente, dores de cabeça persistente, todos estes sintomas podem ser o sinal de uma pneumonia. Nestes casos é importante ir ao médico o mais rápido possível.

Tratamentos

Remédios para gripe

Distinguimos dois tipos de tratamentos na terapia da gripe, os tratamentos que agem na causa e os que agem nos sintomas:

1. Tratamentos que agem na causa

Os tratamentos que agem na causa, principalmente a vacinação são, recomendados, sobretudo (segundo o parecer e a prescrição médica) para os grupos de risco ou para as pessoas que profissionalmente não querem ou não podem ficar doentes (em caso de epidemia, por exemplo), mas também para todos aqueles que não querem ficar gripados por qualquer razão que seja.

A. Tratamentos preventivos

1.Vacina contra a gripe

Vacina contra a gripe– A vacinação contra a gripe é o meio mais eficaz de prevenção contra a doença.
– Determinadas pessoas, as pertencentes aos grupos de risco devem se vacinar.
– Existem diferentes marcas de vacinas contra a gripe que são vendidas em farmácias sob prescrição médica. As vacinas contra a gripe são quase sempre compostas de um vírus inativo da gripe.
– A vacina contra a gripe é eficaz, graças à ativação de anticorpos do corpo humano, específicos contra o vírus da gripe. Sendo assim, quando a gripe estiver presente na sociedade, a pessoa vacinada já terá anticorpos (se a vacina for eficaz) para combater o vírus da gripe.

– A injeção da vacina da gripe deve ser feita todo ano

– A vacina torna-se eficaz entre 15 a 20 dias após o dia da vacinação.

-A vacina tem uma eficácia de 70 a 90% e em função dos anos, pois isso também depende da escolha da vacina (efetuada pela OMS no verão).

– Em pessoas obesas, a eficácia da vacinação contra a gripe pode ficar reduzida pela metade. Um estudo realizado pela Universidade da Carolina do Norte (University of North Carolina) em Chapel Hill, nos Estados Unidos, descobriu que as pessoas obesas (IMC maior que 30) vacinadas contra a gripe eram duas vezes mais propensas a desenvolver a gripe em comparação com pessoas com peso normal. Este estudo foi publicado on-line em 25 de julho de 2017 na revista científica International Journal of Obesity. A vacina contra a hepatite B também é conhecida por ser menos eficaz em pessoas obesas.

2. Inibidores da neuraminidase (zanamivir, oseltamivir), peça conselhos ao seu médico, pois estes medicamentos são vendidos sob prescrição médica.

3. Inibidores dos canais de íon M2 (amantadina), peça conselhos ao seu médico, pois estes medicamentos são vendidos sob prescrição médica.

4. Remédios à base de equinácea, consulte o seu farmacêutico para saber quais as marcas que fabricam esses remédios no seu país, pois estes também podem exercer um efeito preventivo.

5. Remédios homeopáticos, consulte o seu farmacêutico para saber quais as marcas que fabricam esses remédios no seu país, mas nós não asseguramos a eficácia desses remédios.

B Medicamentos que diminuem a intensidade da gripe, reduzindo o número de vírus (carga viral), uma vez que esta estiver evidenciada:

– Inibidores da neuraminidase (zanamivir, oseltamivir [Tamiflu®]), vendidos sob prescrição médica, converse com o seu médico. O tratamento à base de um inibidor da neuraminidase (Tamiflu® ou Relenza®) é mais eficaz se administrado nas primeiras 48 horas após a constatação dos primeiros sintomas da gripe A.

Um estudo publicado em abril de 2014, na revista “British Medical Journal”, mostrou que o Tamiflu não era muito eficaz no tratamento da gripe. De acordo com este estudo, o Tamiflu reduz a duração dos sintomas da gripe de 7 dias para 6,3 dias, o que é insignificante. Os pesquisadores também acreditam que o Tamiflu pode levar a efeitos colaterais às vezes problemáticos, tais como náuseas e vômitos.

– Inibidores dos canais de íon M2, que inibem o “uncoating” ou seja, a liberação do vírus na célula infectada (amantadina), vendidos sob prescrição médica, converse com o seu médico.

– Medicamentos à base de equinácea, converse com o seu farmacêutico para saber o nome das marcas que fabricam esses medicamentos no seu país. Esta planta pode também agilizar a cura e melhorar os sintomas da gripe.

2. Medicamentos que agem nos sintomas (medicação sintomática)

Esses remédios visam acalmar a dor e a febre, mas é muito importante principalmente ficar em repouso!

– Remédios antidor e febrífugos (paracetamol)

– Remédios contra a coriza, em tomada por via oral (para aliviar a obstrução nasal)

– Remédios anti-tosse para apaziguar a tosse

– Remédios contra as dores de garganta

Observação: a administração de antibióticos (sob prescrição médica estrita) é feita apenas em caso de superinfecção bacteriana das vias respiratórias (por exemplo, em caso de pneumonia), pois a gripe é uma doença viral, e neste caso nenhum antibiótico é eficaz. > ver também: complicações da gripe: pneumonia

Quem deve se vacinar contra a gripe?

A vacinação contra a gripe deve ser feita todo ano em maio (no Brasil) naqueles que querem evitar a gripe. Esta vacinação é particularmente recomendada para os grupos de risco seguintes:

– Pessoas com mais de 60 anos

– Pessoas em contato com doentes ou trabalhadores das unidades de saúde (enfermeiros,…ajudantes de hospitais)

– Pessoas que sofrem de doenças crônicas (diabetes, etc.) e em particular de doenças cardiovasculares. De fato, registra-se um aumento de cerca de 20 % nos casos de doenças cardíacas, como o infarto do miocárdio, durante a época da gripe.

De acordo com um estudo publicado pela Revista da Associação Médica do Canadá (Canadian Medical Association Journal), em 2010, a vacinação contra a gripe permitiria a redução em cerca de 19 % do risco de ocorrência de um primeiro infarto de miocárdio e de cerca de 30 % quando a mesma se destina a proteger seus pacientes de riscos cardiovasculares.

Um outro estudo publicado em 2012, conduzido por investigadores brasileiros, incidindo sobre 190.000 pacientes de hospitais públicos da cidade de São Paulo (Brasil), chega praticamente às mesmas conclusões que as publicadas na Revista da Associação Médica do Canadá. O estudo brasileiro observou um aumento de cerca de 20 % nos casos de doenças cardíacas durante o período de julho a agosto (inverno, nesta região do Brasil). Obtenha mais informações sobre a gripe e o infarto

– Gestantes (em qualquer idade gestacional)

– Mulheres até 45 dias após o parto

– Povos indígenas

– População prisional (presos)

– Crianças de 6 meses até 2 anos

Observação: nos Estados Unidos, as crianças com menos de 2 anos devem se vacinar conforme a indicação das autoridades; já na França (segundo nosso conhecimento) não existe nenhuma recomendação deste tipo para crianças dessa idade, somente para pessoas que possuem doenças crônicas.

No Brasil ocorrem campanhas de vacinação para pessoas idosas e grupos de risco em vários estados, principalmente no mês de abril e maio.

Fitoterapia

equinácea gripeUma alternativa natural para prevenir a gripe, é tomar remédios à base da planta equinácea.

Remédio caseiro

A sopa de galinha pode ter um efeito positivo no caso da gripe, principalmente ao nível do peito.

Dicas (conselhos terapia)

– Utilize roupas quentes e principalmente, repouse! Em caso de gripe, o corpo utiliza muita energia para combater as agressões (no caso, o vírus). Assim, através do uso de roupas quentes é possível conservar esta energia que então pode ser utilizada pelo corpo para se defender, e através do uso de roupas quentes é possível conservar energia para combater o vírus da gripe.

– Beba bebidas quentes (infusão,…), pois isso permite aliviar a congestão nasal, prevenir uma desidratação e acalmar a mucosa inflamada que compõe o seu nariz e sua garganta (alguns dos sintomas da gripe).

– Faça sauna, pois o vapor de água quente hidrata as mucosas nasais e melhora o fluxo nasal. Se estiver com o nariz escorrendo, tome um banho, pois os vapores da água que sai do chuveiro também têm o seu efeito positivo. Tome, por exemplo, um banho à base de tomilhos ou óleo essencial de tomilho.

Prevenção

A. O melhor meio e mais seguro modo de prevenir a gripe é a vacina. Ela é feita no hemisfério norte principalmente em outubro ou novembro, e no Brasil em maio.

B. Se você não se vacinar ou se mesmo se tiver tomado a vacina, mas se quiser evitar a gripe de todas as formas, você pode prevení-la através de medidas simples, como:

– Lavar regularmente as mãos. Trata-se de um ótimo meio preventivo.

– Coma alimentos que ajudam a combater as infecções. Aqui estão algumas sugestões e recomendações de alimentos a serem ingeridos em períodos de gripe:

– Kiwi, laranja, limão,…: devem ser consumidos em grandes quantidades, pois são ricos em vitamina C.

– Cenouras: ricas em beta-carotenos, fortalecem as defesas.

Chá preto e chá verde: contêm catequinas, seus efeitos são antibacterianos.

– Evite as multidões, o vírus da gripe se espalha facilmente quando as pessoas se reúnem.

Fontes:
Mayo Clinic,  International Journal of Obesity, Pharmavista.net (site suíço de referência para medicamentos), British Medical Journal ou The BMJ (DOI: 10.1136/bmj.j5560).

Esta informação foi útil?

Observação da redação: este artigo foi modificado em 19.07.2018

Publicidade