Publicidade

Vitiligo

Resumo sobre o vitiligo

O vitiligo é uma doença da pele que provoca manchas brancas (despigmentação) associada a diminuição ou ausência de melanócitos nestas regiões. Os melanócitos são as células da pele responsáveis pela produção da melanina, que é a substância que dá cor à pele. Vitiligo ocorre em qualquer idade, pode começar na infância ou na idade adulta. Muitas vezes ocorre depois de um trauma psicológico (divórcio, morte) ou doença (gastroenterite).

Publicidade

A causa do vitiligo não é conhecida, mas existem diversas teorias, como causa genética, processo autoimune, atuação de radicais livres, anormalidade intrínseca dos melanócitos, distúrbios emocionais entre outras. Ao contrário que muitas pessoas acham, a exposição solar não possui relação com o surgimento do vitiligo, mas pode evidenciar as manchas de pessoas com pele clara. Sabemos também que o estresse desempenha um papel-chave o surgimento e tratamento da doença.

Cerca de 1% da população mundial á afetada por esta doença. Afeta igualmente os sexos (homem e mulheres) e os tipos de pele, mas é mais evidente na pele negra.

Não é uma doenças contagiosa e não trás outros problemas de saúde além de afetar o psicológico devido a alteração estética.

As manchas brancas são geralmente envolta por uma borda hiperpigmentada, elas podem ser isoladas ou espalhadas pelo corpo. As áreas mais afetadas são o rosto, juntas, extremidades das mãos e pés.

O diagnóstico geralmente é feito através na análise clinica realizada pelo médico. Outras causas de manchas brancas devem ser excluídas, como micoses. A biopsia pode ser necessária para diferenciar de outras doenças.

O tratamento mais utilizado é a repigmentação, que pode ser feita através de produtos tópicos como corticoides e inibidores de calcineirina, através de fototerapia ou cirurgia. Pessoas que possuem mais de 50% (as vezes 80%) da pele afeta podem se submeter à despigmentação da pele sadia.

O uso de protetor solar também é essencial, pois a ausência de melanina torna as áreas afetadas mais sensíveis aos efeitos maléficos dos raios solares.

Além do tratamento físico, é muito importante o acompanhamento psicológico.

Definição

Vitiligo definicaoO vitiligo é uma afecção da pele caracterizada por manchas brancas (ou despigmentação da pele). Isto ocorre devido a uma falta de melanócitos – células que da cor à pele, responsáveis pela produção de melanina, pigmento da pele (ver foto em sintomas). Esta doença não é contagiosa e não causa outros danos à saúde além das manchas e problema emocional ligado à estética.

É interessante notar que o vitiligo ocorre em qualquer idade, pode começar na infância ou na idade adulta. Muitas vezes ocorre depois de um trauma psicológico (divórcio, morte) ou doença (gastroenterite).

Estatísticas

O vitiligo atinge cerca de 1% da população.

Apesar de atingir pessoas de todas as raças, a doença torna-se mais evidente nos negros. O aparecimento da doença não está relacionada com nenhuma idade, mas os surtos parecem estar concentrados entre os 20 e 30 anos.

Causas

As causas desta condição de pele não são totalmente conhecidas. Aqui estão algumas teorias possíveis para explicar a origem do vitiligo, bem como os fatores de risco:

Em geral, quando um membro da família tem vitiligo, os outros membros têm um risco maior de ter também. Em torno de 20 a 30% das pessoas que desenvolvem esta doença possuem histórico familiar da doença.
Vitiligo causasExistem indícios de que a doença envolva um processo autoimune contra os melanócitos, baseado no fato de não se encontrar melanócitos nas áreas afetadas e da ocorrência concomitante de outras doenças autoimunes nas pessoas com vitiligo. As doenças autoimunes mais frequentes em pessoas com vitiligo são: doenças tireoidianas, anemia perniciosa, lúpus e doença de Addison.

O estresse pode desencadear o aparecimento de manchas brancas sobre a pele, um bom gerenciamento do estresse é essencial para a prevenção e terapia do vitiligo.

Para explicar a doença em pessoas sem histórico familiar da doença ou de doenças autoimunes existem outras teorias que incluem: anormalidade intrínseca dos melanócitos, aumento de liberação local de catecolamina, defesa inadequada de radicais livres e infecção de citomegalovórus. Mas nenhuma teoria foi realmente comprovada.

Alguns fatores esternos podem estar envolvidos no desencadeamento da doença, como o estresse e exposição a certos produtos químicos industriais. Apesar de novas manchas de vitiligo poder aparecer em áreas de trauma como queimadura solares, não existe nenhuma ligação causal da exposição solar com o vitiligo. Mas pessoas com vitiligo devem evitar a exposição solar, pois são mais sensíveis aos raios solares devido a ausência de melanina. Por exemplo, as queimaduras solares às vezes podem desencadear o vitiligo.

Publicidade

Grupos de risco

O vitiligo atinge tanto os homens quanto as mulheres de todas as raças. No entanto, ele é bem mais visível em pessoas de pele escura.

Pessoas com olhos azuis possuem um risco menor de desenvolver vitiligo, de acordo com um estudo publicado em 08/05/2012 na versão on-line do jornal Nature Genetics. Foram estudadas quase 3 mil pessoas com vitiligo de origem não-hispânica e descendêmcia europeia, pela Universidade de Medicina do Colorado nos Estados Unidos.

Apesar de não estar relacionado com nenhuma idade, o auge da doença tende a estar concentrado entre os 20 e 30 anos.

Sintomas

Vitiligo sintomas

O vitiligo se caracteriza por manchas brancas envoltas por uma borda hiper-pigmentada.

No vitiligo generalizado geralmente as manchas aparecem nas axilas, no dorso das mãos, no rosto (geralmente ao redor da boca, olhos, nariz), juntas ( joelhos, cotovelos, juntas dos dedos,…) e genitais. Também podem aparecer em áreas com lesões, principalmente em áreas de atrito como pescoço, ombros e pulsos. Sua extensão varia de pessoa para pessoa: elas podem ser isoladas ou podem cobrir uma grande parte do corpo.

Aproximadamente 10 a 20% das pessoas com vitiligo vivenciam a repigmentação espontânea de algumas áreas.

Existem outros tipos mais raros de vitiligo: seguimental (apenas em um lado do copo, focal (somente em um local), mucosal (nas mucosas), universal (praticamente a pele inteira é despigmentada).

Diagnóstico

O diagnóstico do vitiligo é feito por um médico, através da análise clínica: aparência das manchas brancas. O uso de uma lâmpada especial pode ser útil para examinar áreas mais difíceis.

A biopsia pode ser necessária para diferenciar o vitiligo de outras doenças.

Devido a possível ligação com doenças autoimune, recomenda-se que faça uma triagem para algumas delas.

Complicações

Vitiligo complicaceosO vitiligo não é contagioso e nem perigoso. Sua principal complicação é de ordem estética, que pode afetar a autoestima da pessoa gerando grandes impactos psicológicos. Por isso o acompanhamento psicológico é essencial.

O vitiligo não evolui de maneira previsível, as manchas aparecem por surtos.

A exposição ao sol sem protetor solar pode causar câncer de pele. É importante saber que as manchas brancas do vitiligo são mais suscetíveis aos efeitos nocivos do sol.

Tratamentos

A escolha do tratamento depende da sua idade, da quantidade de pele afetada e do local onde ela se encontra, da velocidade de evolução da doença e de como ela afeta a sua vida, de acordo com a Mayo Clinic.

O tratamento do vitiligo deve ser feito o mais rápido possível, uma vez que a doença pode ser fisicamente e emocionalmente desfigurante.

O tratamento pode ser demorado e geralmente está associado à repigmentação da pele (corticoides, inibidores de calcineurinas, raios ultravioletas, cirurgia). A despegmentação da pele sadia é considerada em poucos casos de vitiligo em estágios avançados, devido a perda total da proteção solar, fatores culturais e da natureza permanente do tratamento.

Virtiligo tretamento– Aplicação de creme à base de corticóides. Geralmente utilizado em casos em que as manchas ocupam até 10% da pele do corpo e não utilizado no rosto. As pessoas que utilizam corticoides tópicos devem retornar ao médico pelo menos 1 vez ao mês para verificar se há sinais de atrofia da pele induzida por corticoides. Corticoides orais são utilizados somente em alguns casos.

– Inibidores tópicos de calcineurinas (ex. pimecrolimus, tacrolimus). Possui poucos estudos, mas tem se mostrado uma boa alternativa por não causar atrofia da pele.

– Fototerapia (raios ultravioletas), para estimular a produção de melanina, com o usode psoraleno, por exemplo.

– Laser excimer, utiliza uma luz próximo à banda da UVB. Pode ser utilizado somente em áreas de pequenas dimensões, limitando seu uso. Apesar de possuir poucos estudos, tem se demonstrado mais efetivo que os raios ultravioletas.

– Análogos da vitamina D tópicos. Os resultados deste tratamento ainda são um pouco controversos.

– Cirurgia, enxerto de pele (transplante) a partir de células saudáveis no lugar das células afetadas pelo vitiligo. Este tratamento alternativo é aparentemente mais praticado nos Estados Unidos. A cirurgia é conhecida como transplante de melanócitos-queratinócitos (em inglês melanocyte-keratinocyte transplantation ou MKTP). Os pacientes com vitiligo estabilizado que apresentam pequenas manchas (vitiligo) e localizadas, podem tirar melhor proveito deste tratamento alternativo (de acordo com a Academia Americana de Dermatologia). Em pacientes com manchas bem localizadas e de pele escura, parece ser particularmente eficaz.
Em 2010, pesquisadores do Hospital Henry Ford em Detroit (EUA) realizaram transplantes de pele em 32 pacientes. Após 6 meses, houve uma taxa de repigmentação variando de 52% a 74% da cor natural da pele.

Em julho de 2017, um estudo também realizado por pesquisadores do Hospital Henry Ford em Detroit mostrou que a operação de transplante de pele tinha benefícios a longo prazo (5 anos) na restauração da pigmentação da pele. Em um estudo dito retrospectivo, os pesquisadores constataram que a maioria das áreas de pele tratadas em pacientes com vitiligo com a cirurgia de transplante ainda apresentava uma pigmentação de cor “muito boa a excelente” cinco anos após a operação. Este estudo foi publicado em julho de 2017 na revista Journal of the American Academy of Dermatology (Revista da Academia Americana de Dermatologia).

Para mais informações, consulte o seu dermatologista.

– Despigmentação da pele sadia com cremes à base de hidroquinona, quando o vitiligo for muito estendido. O efeito procurado é um aspecto homogêneo da pele, nas pessoas de pele escura.

Em geral, as pessoas com mais de 50% (algumas fontes, mais de 80%) do corpo afetada por vitiligo podem se submeter à despigmentação total da pele. No entanto, é necessário atentar-se ao risco de complicações de tal método.

– Correção graças à cosmética (dissimulação das lesões, através de cosméticos).

– Proteção solar indispensável.

Além do tratamento físico, é muito importante que as pessoas afetadas pelo vitiligo tenham um acompanhamento psicológico, visto que grande parte sofre emocionalmente e que fatores emocionais podem agravar o aparecimento e evolução das lesões.

Fitoterapia

Vitiligo fitoterapiaGinkgo biloba pode utilizada devido ao seu efeito antioxidante e imunomodulador. Modo de uso: 40 mg extrato de ginkgo biloba 3 vezes ao dia.

Dicas

Vitiligo dicas– Em caso de vitiligo é necessário se proteger do sol, utilizar protetor solar adequado, para evitar o bronzeamento e diminuir o contraste. Além de se proteger dos efeitos maléficos dos raios solares, pois a pele fica desprotegida sem melanina.

– O uso de maquiagem pode ajudar a disfarçar as manchas.

– Não é necessário evitar o contato, pois não é uma doença contagiosa.

– Os problemas estéticos podem afetar emocionalmente, portanto é importante o acompanhamento psicológico.

– É recomendado fazer exames de triagem de doenças autoimunes.

– O estresse pode desencadear o aparecimento de manchas brancas sobre a pele, um bom gerenciamento do estresse é essencial para a prevenção e terapia do vitiligo.

Fontes:
Mayo Clinic

Redação:
Por Xavier Gruffat (farmacêutico)

Fotos: 
Fotolia.com

Atualização:
Este artigo foi modificado em 22.11.2020

Esta informação foi útil?

Observação da redação: este artigo foi modificado em 22.11.2020

Publicidade