Publicidade

Gripe A

Resumo sobre gripe A

A gripe A (gripe H1N1) é um tipo de gripe muito problemática que afeta o mundo todo com seu alto risco de pandemia. Em junho de 2009, a OMS elevou o grau de alerta de pandemia da gripe A para 6, o último grau da escala. O mundo foi e está sendo afetado por esta gripe. Em 2009, a América do Sul e os Estados Unidos tiveram um grande número de casos de gripe A. Em 2013, o Brasil teve e tem um número importante de casos de gripe A.

Publicidade

Segundo um importante estudo publicado na revista Science, o vírus da gripe A(H1N1) tem uma tendência maior em atingir os pulmões (o que pode provocar uma pneumonia) do que a gripe convencial, que se limita à traquéia. Isso ajuda a explicar o motivo desta gripe ser mais mortal. Ler: O que fazer quando há suspeitas de gripe A ?

Segundo a OMS (em 2009), 4 em cada 10 mortos pela gripe A eram jovens e saudáveis. A mortalidade desta gripe em pessoas jovens e com boa saúde é 100 vezes superior à da gripe convencional.

Leia também o nosso artigo sobre a vacinação contra a gripe A.

O vírus da gripe A é transmitido facilmente de uma pessoa a outra por via aérea, através das microgotículas e das partículas excretadas pelas pessoas infectadas quando elas tossem ou espirram. Sem surpresa, as mãos representam então um fator importante na propagação da gripe: de fato, elas contribuem para veicular  e disseminar o vírus atráves do contato direto com todos os tipos de superfície que permeam nossa vida quotidiana.

Lavar cuidadosamente as mãos é um gesto simples, eficaz que pode limitar o risco de transmissão do vírus e da propagação das infecções em geral.

Tire as suas dúvidas no nosso fórum

Definição gripe A

A gripe A H1N1 (também conhecida como gripe suína ou gripe vírus Influenza A(H1N1)) é uma doença infecciosa aguda provocada por um vírus, o virus Influenza (da família dos ortomixovírus, que são compostos de RNA de hélice única).

A epidemia de gripe A está relacionada a uma forma nunca antes vista do vírus da Gripe tipo A, o H1N1. Este vírus é muito perigoso para os pulmões e apresenta maior morbidade (doenças) e motalidade (mortes) que o tipo C.

A gripe A atinge as vias respiratórias (nariz, laringe, faringe, pulmão, ouvido médio). O vírus desta gripe pode atacar simultâneamente as vias respiratórias superiores (garganta, nariz,….) e as vias respiratórias inferiores (pulmão, …).

Transmissão gripe A – Crianças gripe A

– O vírus da gripe A é transmitido de uma pessoa para outra  através das partículas aéreas (microgotículas) emitidas, por exemplo, no espirro ou na tosse. Ou então, um simples aperto de mão pode também favorecer a transmissão. A gripe A é portanto, uma doença infecciosa muito contagiosa.

– Segundo a edição de setembro de 2009 da revista francesa Science & Vie, as crianças são duas vezes mais contagiosas do que os adultos.

Estatísticas gripe A

Mortos pela gripe A (H1N1) no Brasil

Em 2011 foram 27 mortos pela gripe A.

Em 2012 foram 351 mortos pela gripe A.

Em 2013 (até o dia 12 de maio), foram 61 mortes pela gripe A (H1N1), com 55 mortos no Estado de São Paulo.

Mortos pela gripe A (H1N1) no mundo

Foram registrados 16.455 mortos pela gripe A no mundo, desde o início da epidemia (fonte ATS, 5 de março de 2010). Mais da metade foi registrada na América do Sul e do Norte (fonte OMS, Janeiro de 2010).

Adolescentes e jovens adultos contunuam somando a maioria dos casos, porém a maior taxa de internação esta entre crianças muito jovens (até 2 anos). 1% a 10% dos pacientes que manifestão a doença necessitam de hospitalização. Dos pacientes internados, 10% a 25% requerem admissão a uma unidade de terapia intensiva (UTI), e 2% a 9% têm um desfecho fatal ( fonte OMS, Outobro de 2009).

Causas gripe A

Como vimos em “definição“, a gripe A é provocada por um vírus, o Influenza A H1N1.

Este vírus é particularmente perigoso, pois ele pode ser transmitido de uma pessoa para outra, o que pode levar à uma pandemia mundial.

O frio e o desenvolvimento do vírus

Segundo um estudo publicado em maio de 2009, o tempo frio e seco aumenta em 90% a sobrevida do vírus e em 50% a transmissão.

Grupos de risco gripe A

Segundo a OMS, as pessoas que fazem parte dos grupos de risco são os jovens (inclusive os adolescentes) que contraíram uma pneumonia ou doença crônica (diabetes, tuberculose, doenças cardiovasculares). Acredita-se que o sistema imunológico particularmente forte dessas pessoas pode desencadear sinais de inflamações graves e pode levar à uma séria pneumonia.

As mulheres grávidas, crianças de 6 meses a 2 anos, pessoas de qualquer idade portadoras de doenças crônicas ( cardíacas, respiratórias, hepáticas, renal, sanguínea, diabetes, imunodepressão ou obesidade), pessoas com mais de 60 anos e pessoas que estão  recebendo tratamento contra câncer também fazem parte do grupo de risco.

Sendo assim, é  infelizmente possível falecer de gripe A sem ter doenças subjacentes.

Conforme um artigo publicado em julho de 2009, no jornal paulistano ” O Estado de São Paulo”, os jovens de 20 a 29 anos são os mais afetados pela gripe A (336 de 694 casos), e em segundo lugar estão os mais jovens, de 10 a 29 anos (120 casos). As outras pessoas são menos afetadas.

Sintomas gripe A

Sintomas gripe A – Sintomas gripe suina

Os sintomas da gripe A H1N1 são os mesmos da gripe convencional:

Observação: Os sintomas nem sempre aparecem juntos e podem até nem aparecer. Em 93% dos casos de gripe A há febre, em 89% há tosse, em 53% há dores musculares, etc.

febre alta (superior a 39°C). A febre aparece de maneira brusca e rápida, acompanhada de calafrios, devido ao seu aumento rápido. Atenção, em alguns casos pode haver febre baixa ou até mesmo não haver febre alguma (principalmente nas pessoas idosas). Estima-se que em 93% dos casos de gripe A, há febre.

tosse seca. A tosse está presente em cerca de 90% dos casos, então ela é um sintoma muito importante da gripe A.

– fortes dores de cabeça

– muita fadiga

– dores nas articulações, dor muscular, cansaço nos membros (nas pernas, por exemplo)

dores de garganta

– catarro

coriza (rinite)

náuseas

– irritação nos olhos

– irritação nos ouvidos

As pessoas com gripe A também  podem ter vômitos e diarréia (fonte: www.webmd.com, site americano de saúde).

Observação: como veremos em “diagnóstico da gripe A“, o médico deverá pedir testes de laboratório para ter a confirmação da gripe A, uma vez que isto não é possível sem esse recurso.

Fonte: OMS, Destination Santé, ATS, Jornal O Estado de São Paulo (Brasil)

Diagnóstico gripe A

Diagnóstico gripe A

Somente um médico poderá esclarecer se o paciente está de fato infectado com a gripe A.

Para um diagnóstico exato, o médico irá solocitar um exame de sangue (as vezes um exame na mucosa nasal) que será encaminhado para análise em um laboratório, que através de testes bioquímicos poderá confirmar se trata-se ou não de gripe A (H1N1).

Complicações gripe A

A gripe A pode levar à uma pneumonia, que é uma complicação muito grave. Outra complicação é a síndrome da dificuldade respiratória aguda, conseqüência da pneumonia (viral, pelo vírus da gripe A). Esta é uma das causas das mortes por gripe A, as outras ocorrem devido a uma descompensação de doenças subjacentes e uma superinfecção bacteriana. (Fonte: Tribune Médicale: 11 de setembro de 2009)

Complicações como otites, sinusites e bronquites também podem ocorrer.

Ressaltamos que as pessoas que compõem os grupos de risco são os jovens com boa saúde, segundo a OMS, eles representam 4 em cada 10 mortos por gripe A.

Quando consultar um médico?

O que fazer quando há suspeitas de gripe A ?

Se estiver com suspeita de gripe A, procure imediatamente um médico ou atendimento porque a primeira dose do remédio Tamiflu (oseltamivir) deve ser tomado 48 horas depois da contaminação para ser mais eficiente.

São considerados casos suspeitos:

– febre repentina acima de 38°C e tosse acompanhada ou não de dor de cabeça, dor muscular dor nas articulações ou dificuldade respiratória. Ler sintomas gripe A

– ter apresentado sintomas até 10 dias após voltar de viagem, onde haviam reportes de casos de Gripe A.

– ter tido contato próximo (conversa, abraço, beijos,…), nos últimos 10 dias, com uma pessoa com suspeita de Gripe A.

(Informação divulgada pela Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e Associação Médica Brasileira)

Tratamento gripe A

Antivirais – Remédios gripe A

Existem dois medicamentos eficazes para tratar a gripe A, que pertecem à classe dos inibidores da neuraminidase. São eles, o oseltamivir (Tamiflu®) e o zanamivir (Relenza®). Aparentemente ambos têm a mesma eficácia contra esta e podem ser adquiridos através de uma precrição médica.

O tratamento à base de um inibidor da neuraminidase (Tamiflu® ou Relenza®) é mais eficaz se administrado nas primeiras 48 horas após a constatação dos primeiros sintomas da gripe A.

Conforme orientação da OMS (agosto de 2009), os medicamentos antivirais devem ser prescritos unicamente para os doentes em estado grave e para os que se enquadram em um grupo de risco. Eles não devem ser administrados por pessoas que estão com boa saúde e sintomas leves do  vírus A/H1N1.

Vacinação gripe A

Vacina gripe A – Vacinação gripe A

A vacinação contra a gripe A é fortemente recomendada no mundo todo, abaixo você encontra algumas informações úteis sobre ela.

Tempo de início da imunização da vacina contra a gripe A

8 dias após a vacinação, a pessoa estará imunizada contra a gripe A.

Efeitos secundários após uma vacinação

Se a vacinação contra a gripe A (ou outra vacinação) tiver algum efeito secundário, será possível aliviá-lo através do uso do paracetamol, que não atrapalha o estímulo do sistema imunológico.

O que fazer se a pessoa estiver com coriza ou febre no momento da vacinação?

A vacinação contra a gripe A é possível se a pessoa estiver com coriza, mas impossível se ela estiver com febre acima de38 °C, nesse caso será necessário adiá-la.

Adjuvantes das vacinas contra a gripe A

Para melhorar a resposta imunológica, os laboratórios farmacêuticos utilizaram o aluminío ou o esqualeno, porém isso induz reações locais e sistemáticas ligeiramente mais fortes. No entanto, isto não está relacionado com problemas tais com alergias, problema cardiovascular efalecimento (segundo informações de 13 de dezembro de 2009).

Interesse da vacinação para a sociedade

As pessoas vacinadas contra a gripe dispersam menos virus influenza em caso de infecção, isso ajuda a evitar a propagação da doença.

Quem deve se vacinar contra a gripe A?

A vacinação contra a gripe (A) deve ser feita todo ano em maio (no Brasil) naqueles que querem evitar a gripe. Esta vacinação é particularmente recomendada para os grupos de risco seguintes:

– pessoas com mais de 60 anos

– pessoas em contato com doentes ou trabalhadores das unidades de saúde (enfermeiros,…ajudantes de hospitais)

– pessoas que sofrem de doenças crônicas (diabetes, etc.) e em particular de doenças cardiovasculares. De fato, registra-se um aumento de cerca de 20 % nos casos de doenças cardíacas, como o infarto do miocárdio, durante a época da gripe.

De acordo com um estudo publicado pela Revista da Associação Médica do Canadá (Canadian Medical Association Journal), em 2010, a vacinação contra a gripe permitiria a redução em cerca de 19 % do risco de ocorrência de um primeiro infarto de miocárdio e de cerca de 30 % quando a mesma se destina a proteger seus pacientes de riscos cardiovasculares.

Um outro estudo publicado em 2012, conduzido por investigadores brasileiros, incidindo sobre 190.000 pacientes de hospitais públicos da cidade de São Paulo (Brasil), chega praticamente às mesmas conclusões que as publicadas na Revista da Associação Médica do Canadá. O estudo brasileiro observou um aumento de cerca de 20 % nos casos de doenças cardíacas durante o período de julho a agosto (inverno, nesta região do Brasil). Obtenha mais informações sobre a gripe e o infarto

– gestantes (em qualquer idade gestacional)

– mulheres até 45 dias após o parto

– povos indígenas

– população prisional (presos)

– crianças de 6 meses até 2 anos

Observaçã nos Estados Unidos, as crianças com menos de 2 anos devem se vacinar conforme a indicação das autoridades; já na França (segundo nosso conhecimento) não existe nenhuma recomendação deste tipo para crianças dessa idade, somente para pessoas que possuem doenças crônicas.

No Brasil ocorrem campanhas de vacinação para pessoas idosas e grupos de risco em vários estados, principalmente no mês de abril e maio.

Dicas terapia gripe A

Atenção, em caso de suspeita de gripe A H1N1 procure sempre um médico e nunca se auto-medique. As dicas abaixo se aplicam após ter consultado um médico e como um complemento a um tratamento clássico.

– Vista roupas quentes e repouse, pois em caso de gripe A, o corpo consome muita energia para combater as agressões (neste caso, o vírus H1N1), mas quando vestimos roupas quentes, nós a conservamos e ela pode ser utilizada pelo corpo para se defender. Através do repouso também guardamos energia para combater o vírus da gripe.

– Beba bebidas quentes (infusão,…), pois isso permite aliviar a congestão nasal, prevenir uma desidratação e acalmar uma mucosa inflamada que compõe o nariz e a garganta (alguns dos sintomas da gripe A).

– Tome uma ducha de vapor. O vapor de água quente hidrata as mucosas nasais e melhora o fluxo nasal. Se você não estiver respirando corretamente,  tome um banho,  os vapores de água quente liberados exercem um bom efeito. Experimente tomar, por exemplo um banho à base de tomilho ou óleo essencial de tomilho.

– Utilize lenços de papel (ao invés de lenços de tecido) e jogue-os fora após utilizá-los.

Dicas prevenção gripe A

Gripe dicas prevenção gripe A

– A vacinação permanece sendo o meio de prevenção mais eficaz contra a gripe A (leia o nosso artigo completo sobre a vacinação da gripe A, com várias dicas).

– Utilize máscaras de proteção

–  Lave regularmente as suas mãos, pois é um ótimo meio de prevenção da gripe (seja ela convencional ou H1N1). Você também pode utilizar soluções à base de álcool para desinfetar as mãos ou as superfícies.

– Evite contatos próximos com doentes

– Se estiver com sintomas de gripe, procure permanecer em casa e utilize apenas lenços descartáveis.

– Tome selênio, pois este oligoelemento tem um efeito favorável na prevenção da gripe A, reforçando as defesas

– Coma alimentos que ajudam a combater as infecções. Aqui estão algumas sugestões e recomendações de alimentos a serem consumidos em período de gripe:

> kiwi, laranja, limão…. consuma esses alimentos em grande quantidade pois eles são ricos em vitamina C.

> cenoura: rica em betacaroteno, ela fortalece as defesas. Experimente, por exemplo, o suco de cenoura.

> chá preto e chá verde: estes chás contêm catequinas, que possuem um efeito antibacteriano.

Ler também: 10 dicas para fortalecer sua imunidade e resistência

Deixe o seu depoimento ou tire suas dúvidas no nosso fórum: fórum gripe

Esta informação foi útil?

Observação da redação: este artigo foi modificado em 05.10.2017

Publicidade