Publicidade

Câncer

Resumo câncer

O câncer é um conjunto de doenças que se caracteriza por um crescimento descontrolado das células, que são resistentes à morte natural. Dependendo da sua origem, eles podem ser classificados em sarcomas, carcinomas e cânceres hematológicos, podendo ser benignos ou malignos.

Publicidade

Os casos de câncer têm crescido rapidamente nos países em desenvolvimento e alguns tipos comuns nesses lugares são os cânceres de fígado, estômago e colo de útero. No Brasil, as estimativas para 2012 são de quase 520 mil novos casos da doença, sendo mais prevalente nas regiões Sul e Sudeste.

As causas básicas da doença são mutações no DNA que levam ao crescimento desordenado das células. Os fatores de risco incluem herança genética, exposição a radiações e agentes químicos e infecções por alguns vírus. Os sintomas variam muito de acordo com o local atingido pela doença, mas alguns comuns são dores inexplicáveis, caquexia, fadiga, constipação, diarréia, etc.

Quanto mais cedo o diagnóstico, melhores as chances de cura da doença. Para isso, o médico pode usar técnicas de imagem, exames de sangue ou biópsia. Complicações incluem alterações de humor, alterações bioquímicas, fadiga, metástase e reaparecimento da doença.

O tratamento se baseia em eliminar as células tumorais e pode ser feito por cirurgia, quimioterapia, radioterapia, tratamento com anticorpos, hormônios ou outros agentes. As plantas medicinais e a homeopatia também apresentam importante papel no tratamento do paciente, pois podem reduzir efeitos colaterais da doença e do tratamento, como dor, náuseas, cansaço, vômito, etc.

O câncer é uma doença severa que pode abalar muitas pessoas. Converse sempre com seu médico e seus familiares. Busque apoio em amigos e terapias complementares para superar essa fase. Como medidas preventivas sugerem-se a adoção de hábitos alimentares saudáveis, redução do tabagismo e alcoolismo, pratica de exercícios físicos, redução da exposição ao sol e outras radiações e evitar o contato com agentes químicos tóxicos.

 6 recomendações radicais de nutrição para prevenir o câncer

Nóticias: 6 recomendações radicais de nutrição para prevenir o câncer

Ler também: Descobri que tenho câncer, e agora?

SUS e câncer
No Brasil, há 288 centros que tratam o câncer no SUS (em junho 2017).

Definição

O câncer não é uma única doença, mas um grande número de doenças caracterizadas por um crescimento e multiplicação anormais das células. Essas células adquirem características especiais, como imortalização e capacidade de invadir outros tecidos. As células cancerosas se dividem rapidamente e são muito agressivas.

câncer doençaExistem diversos tipos de câncer dependendo do órgão atingido, mas podemos dividir em três classes principais:
– sarcomas: cânceres originários da mesoderme, como ossos, tecido adiposo, músculos e tecidos moles.
– carcinoma: cânceres originários de tecidos epiteliais ou glandulares, como carcinoma basocelular, cânceres de mama, pulmão, boa, estômago, próstata e colo de útero.
– cânceres hematológicos: atingem células do sangue, como leucemias, mieloma múltiplo e linfomas.

Ainda, os cânceres podem ser classificados em:

– tumores benignos: normalmente localizados e não invasivos

– tumores malignos: têm grande potencial de invadirem outros órgãos

Causas

As causas do câncer são variadas e dependem de muitos fatores, internos e externos. No geral, o câncer é iniciado por mutações no DNA que alteram o maquinário de crescimento e reprodução celular, fazendo com que as células se multipliquem de maneira descontrolada. As células mutadas são capazes de:

câncer causas– crescer rapidamente e de maneira desordenada
– resistir a fatores de crescimento celular
– resistem à morte celular programada (apoptose)
– não corrigir os erros no DNA
– invadir o tecido e alcançar outros órgãos (metástase)
A mutação pode ocorrer por diversas causas, como raios ultravioleta ou agentes químicos. Os genes mutados que causam alteração no crescimento celular são chamados de oncogenes, e incluem os genes supressores de tumor e genes de reparo do DNA lesionado. Pesquisas sugerem que mais de uma mutação é necessária para ocasionar o câncer e que elas vão se acumulando ao longo da vida.

Grupos de risco

O câncer é uma doença multifatorial, ou seja, suas causas dependem de diversos fatores genéticos e ambientais. Alguns fatores de risco para o desenvolvimento da doença são:

– ter casos de câncer na família

– exposição a radiações ultravioleta ou outros raios ionizantes

exposição a radiações ultravioleta

– idade: alguns cânceres são mais prevalentes em idosos ou em crianças

– tabagismo

– exposição a agentes químicos ditos carcinogênicos, como solventes orgânicos e poluentes

– exposição a metais pesados

– obesidade e sedentarismo

– alimentação, uma vez que muitos cânceres são ocasionados por consumo excessivo de determinados alimentos, como carnes vermelhas

– uso de álcool

uso de álcool

– certas infecções

A lista de fatores de risco para o câncer é enorme e varia de acordo com cada manifestação da doença. A mudança de hábitos de vida tem sido estudada é de grande importância para a prevenção da doença, entretanto é importante lembrar que o câncer possui um fator genético muito importante para a sua ocorrência e desenvolvimento.

Sintomas

Os sintomas variam muito de acordo com o local atingido pelo câncer, entretanto, alguns sintomas gerais são:

– fadiga

fadiga

– inchaço, dor e vermelhidão na região atingida pelo câncer

– caquexia, situação caracterizada por perda de peso, atrofia muscular, perda de apetite e cansaço

– dificuldades em engolir e se alimentar

– dores persistentes e inexplicáveis nas juntas e músculos

– mudanças na cor e textura da pele

– aumento do número de infecções, normalmente oportunistas

– mudanças nas células do sangue

– desconforto estomacal e dificuldades de digestão

Esses são alguns sintomas que podem aparecer dependendo do tipo de câncer. Para mais detalhes, leia nossas matérias específicas sobre cada doença.

Diagnóstico

diagnóstico do câncerO diagnóstico do câncer nos estágios iniciais aumenta em muito suas chances de cura. Entretanto, alguns tipos de tumores são de difícil identificação até que estejam em estágio muito avançado. Estudos constantes têm sido conduzidos para aumentar a precisão dos exames diagnósticos e conseguir identificar a doença nos estágios mais primordiais. Atualmente, as técnicas normalmente utilizadas são:
– exames físicos: o médico averigua o paciente e verifica se possui algum inchaço ou dores em alguma região. Nesse aspecto, é importante que o paciente relate qualquer alteração de peso, humor ou dores desconhecidas.
– testes laboratoriais: exames de sangue, urina, vezes e outros são extremamente úteis na busca dos chamados marcadores tumorais. Eles dizem se a pessoa está com um determinado tipo de tumor ou não.

– exames de imagem: nessa categoria entram os testes de ressonância magnética e tomografia computadorizada. Permitem que o médico veja os ossos e todo o interior do corpo do paciente.

– biópsia: nesse exame, o médico retira parte do tecido e analisa o tipo de câncer e qual o seu estágio de evolução. Em muitos casos, a biópsia é o único meio efetivo para se diagnosticar o tipo de câncer.

Dependendo do tumor, ele pode ser classificado com relação ao seu estágio, podendo variar de um tumor localizado (in situ) ou um câncer metastático.

Complicações

O câncer pode causar severas complicações dependendo do órgão atingido e elas podem levar o paciente à morte. Algumas delas são:

– Caquexia

– Fadiga

diagnóstico do câncer

– Alterações no sistema imune, com aumento do número de infecções

– Diarréia ou constipação

– Alterações em parâmetros bioquímicos, como hipocalemia e hipocalcemia

– Náusea e desmaios

Certamente uma das principais complicações do câncer é a metástase. A metástase caracteriza-se pela capacidade que as células cancerosas têm de invadirem o tecido e se espalharem para outros órgãos. Nesse novo local, o câncer se desenvolve e compromete as funções desse tecido.

Outra importante complicação é a reincidência do tumor. Nessa condição, o tumor é aparentemente curado, entretanto, depois de alguns anos, retorna no mesmo local ou em outro órgão. Para se evitar isso, o paciente deve se submeter a constantes exames de diagnóstico.

Tratamentos

O tratamento para o câncer é heterogêneo, ou seja, varia de acordo com o local da doença, tipo de câncer (sarcoma ou carcinoma), estágio de evolução, idade do paciente, sexo, se o câncer é metastático ou não, se o câncer é recidivante ou não, dentre outros fatores. Embora diferente em muitos aspectos, o principal objetivo da terapia anti-câncer é matar as células tumorais causando o mínimo de desconforto para o paciente. Entretanto, os tratamentos para o câncer são muito agressivos e causam diversos efeitos colaterais.

Nesse sentido, podemos definir alguns objetivos do tratamentos para a doença:

– Tratamento primário: esse tratamento visa à remoção ou morte das células tumorais do corpo do paciente. Qualquer tratamento pode ser usado como medida primária, entretanto, a cirurgia é a mais empregada.

– Tratamento adjuvante: visa remover e matar as células remanescentes do tumor. Nesse caso é normalmente empregada a quimioterapia, radioterapia ou tratamento hormonal.

– Tratamento paliativo: o tratamento paliativo tem o objetivo de amenizar os efeitos colaterais dos tratamentos anteriores para matar as células do câncer ou ainda reduzir os efeitos maléficos da própria doença. Nesse caso, pode-se usar antieméticos, analgésicos, anti-convulsivantes, antidepressivos, etc.

Tratamento paliativo

Com relação aos tipos de tratamentos, existem:

– Cirurgia: normalmente empregada como tratamento primário, tem por objetivo remover a maior parte da massa tumoral do paciente.

– Quimioterapia: tem o objetivo de matar ou reduzir o crescimento das células tumorais através do uso de medicamentos.

– Radioterapia: emprega-se radiação para matar as células tumorais.

Outras técnicas usadas incluem:

– Transplante de células tronco, sobretudo para cânceres hematológicos.

– Terapia hormonal: usada para cânceres sensíveis a hormônios, como câncer de mama e próstata.

– Terapia com anticorpos, que reconhecem e matam as células tumorais.

Atualmente, diversos novos tratamentos e drogas têm sido testados contra os cânceres e a pesquisa na área de oncologia é uma das que mais cresce mundialmente.

Dicas

câncer dicasO câncer é uma doença severa e que pode abalar a vida dos pacientes e das pessoas a sua volta. Nesse caso, busque sempre o apoio da família e amigos para superar essa situação. Converse sempre com o seu médico e tenha um diálogo aberto com ele e sua equipe de profissionais de saúde.
Busque se informar sobre a doença e a freqüentar grupos de apoio ao paciente com câncer. Converse com outras pessoas que tiveram a mesma doença e aprenda com elas a ter uma boa qualidade de vida.
Cuide-se sempre: o câncer normalmente enfraquece o sistema imune do paciente. Dessa forma, o paciente deve estar em constante cuidado para evitar infecções oportunistas, como micoses. Mantenha também uma alimentação saudável e nutritiva, e pergunte para o seu médico o que você deve ingerir para evitar a caquexia. A prática de esportes, sob orientação médica, também é aconselhada.

Busque alivio em terapias alternativas, como ioga, acupuntura, meditação e relaxamento. Elas ajudam a manter o equilíbrio emocional e mental do paciente. Se preferir, busque auxilio psicológico.

Não perca nenhuma sessão de quimioterapia. Converse com seu médico no caso dos efeitos colaterais serem muito agressivos.

Prevenção

Pela sua característica multifatorial, o câncer é de difícil prevenção e não há ainda nenhum método certeiro para prevenir a doença. Entretanto, algumas dicas podem ser úteis para reduzir os riscos:

– Mantenha uma alimentação saudável, baseada em frutas, verduras e grãos integrais

alimentação saudável

– Pratique exercícios físicos

– Evite o sobrepeso

– Evite fumar

– Evite a exposição a radiações, raios ultravioleta e ionizantes

– Evite exposição a agentes químicos tóxicos, como solventes orgânicos

– Evite exposição solar excessiva sem protetores adequados

– Faça exames regulares para HPV

– Se você já teve casos de câncer na família ou apresentou a doença em outros períodos, passe regularmente por exames

Redação:
Por Xavier Gruffat (farmacêutico)

Fotos: 
Fotolia.com

Atualização:
Este artigo foi modificado em 09.11.2018

Esta informação foi útil?

Observação da redação: este artigo foi modificado em 09.11.2018

Publicidade