Publicidade

Piolhos pubianos

Introdução sobre os piolhos pubianos

Piolhos pubianos introducaoOs “Caranguejos” (nome dado aos piolhos pubianos) muitas vezes podem ser uma fonte de comichões (coceira), devido às suas picadas. Eles são facilmente transmitidos entre dois ou mais indivíduos. Os piolhos pubianos afetam particularmente, pessoas de 15 à 35 anos.
Eles causam lesões geralmente, benignas. No entanto, o tratamento repetido com inseticidas pode ser confrontado com problemas de toxicidade, de intolerância, de alergia ou de resistência das lêndeas.

Publicidade

Definição

O piolho pubiano (Phtirius inguinalis) ou “caranguejo” é um inseto que vive preferencialmente na região pubiana. Ele se alimenta de sangue humano, perfurando a pele da pessoa parasitada. Ao mesmo tempo, ele libera uma substância que pode causar um prurido ou inflamação da pele. É a pediculose ou ftiríase.

O piolho púbico mede entre 1 a 3 mm (frequentemente <2 mm), o seu tamanho é menor do que os piolhos da cabeça e os piolhos do corpo. Tem uma forma semelhante à dos caranguejos. Sua duração de vida é de duas semanas. Ele tem dois pares de patas que o permitem se agarrar aos pêlos.

O piolho adulto pode depositar na base dos pêlos de seu hospedeiro até 25 ovos (lêndeas) por dia. Seus recém-nascidos eclodem em seis a oito dias após a desova. O piolho prefere se abrigar na região pubiana, mas às vezes, ele pode ser encontrado ao redor do ânus, nas axilas, tórax, barba e sobrancelhas.

Causas

Transmissão sexual  
Os piolhos pubianos são transmitidos exclusivamente pela contaminação inter-humana. Na verdade, o homem pode ser infectado direta ou indiretamente. A transmissão direta ocorre por contato direto entre os humanos, principalmente entre os indivíduos sexualmente ativos. A relação sexual com uma pessoa infectada é muito frequente. Por isso, a ftiríase faz parte das doenças sexualmente transmissíveis. A relação sexual é a principal via de transmissão dos piolhos pubianos.

Outra via de transmissão    
Os piolhos podem mais raramente, serem transmitidos indiretamente pelo contato de roupas, toalhas, lençóis e outros itens contaminados. Longe do seu hospedeiro, que é o homem, um piolho adulto morre dentro de 24 horas, já as lêndeas podem resistir por oito dias. Ao contrário de outros piolhos, uma boa higiene, e o uso do preservativo não protegem contra o piolho. O contato próximo com pessoas ou objetos contaminados, é suficiente para uma pessoa se infectar.
Saiba que os piolhos pubianos presentes nos vasos sanitários não podem ser transmitidos para um ser humano.

Sintomas

Localização dos sintomas
Os sintomas ocorrem principalmente no nível da púbis, e mais raramente nos pêlos curtos do ânus, tórax (peito), axilas, barba, cílios ou sobrancelhas.

Sintoma principal:
O sinal precoce e principal da ftiríase é uma coceira forte e permanente. É associada com vermelhidão e inchaço da pele. A coceira tende a se intensificar durante a noite.

Duração dos sintomas :
Observe que a sensação de prurido pode durar por algum tempo após o tratamento. No entanto, algumas pessoas com piolhos não sentem isso.

Complicações
– O ato de coçar pode causar pequenas feridas que podem ser complicar e levar a formação de pus. Você pode ver os “caranguejos” como pequenos pontos de cor vermelha, e as lêndeas como pontos fixos perto da base dos pêlos pubianos. Elas são mais facilmente reconhecíveis, uma vez que muitas vezes são numerosas.
– Você também pode ver pontos azuis na superfície da pele, estes são as marcas da picada dos piolhos.
– Umas partículas marrons ou pretas podem se depositar no fundo das calças do indivíduo. Esses são chamados de “sinal de deslizamento”, que correspondem aos excrementos dos piolhos.
– A febre pode ocorrer dependendo da extensão da infecção.
– Em casos raros, as crianças podem sofrer de blefarite, ou seja, uma inflamação da pálpebra, onde os piolhos podem se fixar.
– Além disso, a existência de manifestações de outras doenças sexualmente transmissíveis é possível.

Tratamento

Tratamento dos piolhos púbicos de acordo com as recomendações europeias (European guideline, ver referências no final do processo) – Recomendações de 2017

Primeira linha (em inglês: First line therapy)
– Permetrina 1%. Deixar agir por 10 minutos e depois enxaguar, repetir 7 a 10 dias depois.

– Piretrinas com butóxido de piperonilo (em inglês: Pyrethrins with piperonyl butoxide). Deixar agir por 10 minutos e depois enxaguar, repetir 7 a 10 dias depois.

Segunda linha (Second line therapy)
– Fenotrina 0,2%, deixar agir por 2 horas e depois enxaguar.
– Malathion 0,5% (ex. Prioderm®), deixar agir por aprox. 12 horas e depois enxaguar.
– Ivermectina tomar por via oral na dose de 250 ou 400 μg/kg em dose única, repetir depois de 7 dias. A dose de 400 μg/kg em dose única é recomendada especialmente em casos graves.

Outras terapias (Other therapies)
– Em alguns países existem, como nos Estados Unidos, tratamentos tópicos com ivermectina a 0,5% (Sklice lotion, registada nos Estados Unidos para atuar contra os piolhos) e o benzoato de benzilo em loção à 25%. Em 2017, esses tratamentos tópicos ainda estavam em discussão devido a sua eficácia. Esta é uma das razões pelas quais estas recomendações europeias estão classificam em Outras terapias e não na primeira ou segunda linha.

Observações sobre tratamentos:
– Mulheres grávidas ou amamentando, crianças ou asmáticos também precisam de recomendações especiais de profissionais de saúde. É o mesmo no caso de feridas, estejam elas infectadas ou não.
– Verificou-se que os piolhos pubianos são menos sensíveis aos inseticidas. Como resultado, os profissionais tendem a adotar o método mecânico sem efeito prejudicial. Um creme gorduroso, como vaselina ou dimeticona (leia também nosso arquivo completo sobre piolhos), tendo uma propriedade asfixiante para o piolho quando aplicado por dez dias.
– Além disso, a remoção de todas as lêndeas, usando uma pinça ou um pente fino, ajuda a erradicar completamente esses piolhos. Se barbear não o suficiente, mas reforça o tratamento.

Piolhos
Para a pediculose dos cílios (fitiríase palpebral), os seguintes tratamentos são recomendados, conforme resumido no site Pharmavista.net em dezembro de 2017:
– ivermectina tomada por via oral em 2 doses de 200 μg/kg, com intervalos de uma semana.
– 1% de permetrina (Loxazol®, uso off-label), para aplicar nos cílios, deixar agir por 10 minutos e depois enxaguar.
– pomada oftálmica à base de parafina ou óxido amarelo de mercúrio: aplicação tópica 2 x por dia durante 8-10 dias seria eficaz em asfixiar os parasitas. Os piolhos mortos e lêndeas devem ser removidos manualmente.

Tratamento natural

As Piretrinas naturais são substâncias extraídas da flor do crisântemo. Acondicionados em loção spray com piretróides sintéticos, eles matam os piolhos e as lêndeas com uma única aplicação. Vaporize por toda a área infectada. Em seguida, proceda à limpeza com sabão. Enxague com água depois de deixar o produto agir por meia-hora. É aconselhável repetir o tratamento durante oito a dez dias.

Você também pode colocar o óleo de coco na área a ser tratada. Esta técnica destina-se a sufocar os parasitas. A lavanda também pode ser utilizada para aliviar o desconforto gerado pelos piolhos. Depile primeiro os pêlos pubianos, em seguida, passe a loção de flores misturada com vinagre.

Conselhos & Prevenção

A primeira forma de “lutar” contra os piolhos é a prevenção:

– Evite as relações íntimas com pessoas suspeitas de terem piolhos

– Use somente suas próprias toalhas

Se você for infectada por piolhos:

– Evite coçar para evitar ferimentos acidentais. Eles se tornam “portas de entrada” para micróbios

– Comece o tratamento o mais cedo possível, porque é a única forma de obter uma cura mais eficaz

– Abster-se de sexo até a cura

– Fazer exames para detectar e tratar outras doenças venéreas (ISTs), como HIV, hepatite (B e C) e sífilis. Este conselho também se aplica ao seu parceiro sexual.

– Encoraje os seus parceiros, que serão examinados e tratados;

– Quando os tratamentos feitos repetidamente falharem, tenha cuidado com os efeitos das substâncias químicas, e consulte um profissional de saúde.

– Lavar as roupas, as roupas de baixo, as toalhas e os lençóis a 60°C (ou por lavagem a seco). Também é possível colocar todos esses tecidos em um saco plástico à prova d’água por cerca de 3 dias.

Fontes e Referências:
Pharmavista.net (site de referência suíço sobre medicamentos)
Referência: European guideline for the management of pediculosis pubis. J Eur Acad Derm Venereol., 2017; 31: 1425-28

Esta informação foi útil?

Observação da redação: este artigo foi modificado em 19.07.2018

Publicidade