Publicidade

Dor muscular

As dores musculares, como o próprio nome já diz, são dores que afetam os músculos, podendo ser localizadas ou disseminadas por todo o corpo. As causas podem ser diversas, como trauma ou choque, reumatismo, contusões, mudança de temperatura, excesso de sobrecarga muscular, esforço físico intenso, etc.

Publicidade

As dores podem por vezes ser tão intensas que prejudicam as atividades diárias. O tratamento pode ser feito com relaxantes musculares e analgésicos. É também possível aplicar compressa de gelo, repousar, comprimir o local afetado e elevar o músculo dolorido. É aconselhável que o paciente procure um médico se a dor muscular persistir por mais de 3 dias. Para evitar a mialgia, alguns cuidados são necessários como alongamento e aquecimento antes e depois dos exercícios, respeitar o limite de sua força e também evitar posições desconfortáveis.

Definição

As dores musculares ou mialgia são dores físicas desagradável localizadas nos músculos estriados.

Lembre-se que o músculo é um órgão que garante o movimento de cada parte do nosso corpo. Há três grupos musculares: músculos estriados ou esqueléticos que se inserem nos ossos e pele, o músculo liso que forma a parede das vísceras, e, finalmente, os músculos cardíacos. Os músculos estriados se contraem sob o controle de nossa vontade.

A dor lombar é uma forma inofensiva de mialgia.

Causas

A mialgia pode ser localizada ou generalizada.

A dor localizada normalmente aparece durante as cãibras e contusões. Além disso, a sobrecarga muscular e o fato de não beber água suficiente e não aquecer antes do esforço físico facilitam a sua aparição. Em outros casos, trauma com choque, alongamento, deformação ou ruptura muscular podem causar dor nos músculos. Estas anomalias normalmente afetam os atletas, especialmente se eles não estão bem equipados.

Causas comuns da dor muscular generalizada são gripe, poliomielite, vírus da hepatite C, malária e algumas doenças bacterianas. Reumatismo, hipotireoidismo, osteomalacia ou amolecimento dos ossos, artrite reumatoide e lúpus eritematoso sistêmico afetam nossos músculos. É o mesmo para as alterações dos músculos como rabdomiólise, uma destruição patológica dos músculos causada por certos medicamentos, como as estatinas.

Um estudo publicado em 2013 na revista científica BMJ (10.1136/bmjopen-2013-003701) mostrou que mais de 150 medicamentos estavam associados à rabdomiólise.

Finalmente é importante notar que o risco de sofrer da dor aumentacom a idade, apesar de existirem perturbações musculares de origem genética.

Sintomas

A dor muscular se manifesta em um músculo ou num conjunto de músculos por todo o corpo. O tipo de dor do tipo estiramento é o mais ocorre mais frequente, mas sensação de esfaqueamento, queimação, picada, formigamento ou dormência podem existir.

A dor geralmente ocorre após o esforço muscular excessivo, um momento de estresse ou a mudança climática, mas também pode ocorrer sem causa aparente.

O fato de mobilizar a pessoa lesada pode agravar ou atenuar a mialgia. Dependendo de sua intensidade, pequenas pressões podem aumentar a dor muscular.

No caso de efeitos colaterais causados pelo uso de estatinas (uma classe de medicamento utilizada durante a hipercolesterolemia), dores musculares tendem a aparecer uma ou várias semanas após a primeira dose deste medicamento.

As áreas principais de dores musculares incluem o pescoço, membros, coluna vertebral, quadril e em torno das articulações, mas as costas, ombros e tronco também podem ser afetados.

A parte inferior das costas e coxa também são frequentemente afetadas por espasmos musculares.

De acordo com a sua origem, a dor muscular pode ocorrer com outros sintomas específicos, como a dificuldade de mobilizar o corpo ferido, inchaço, presença de coloração azul, rigidez, atrofia muscular ou febre.

Classificação das dores musculares por gravidade

A dor muscular pode ser classificada em 3 estágios:

– Leve: rigidez no movimento. Dor moderada. Duração dos sintomas: alguns dias.

– Moderada: dor moderada, músculo é mais afetado. Duração dos sintomas: 1 a 3 semanas.

– Grave: musculo muito afetado, com possível hemorragia interna e uma grande inflamação. Esta é uma emergência médica.

Diagnóstico

Para confirmar o diagnóstico, o médico questiona o paciente, examina e possivelmente prescreve exames de sangue, biópsia muscular, eletromiografia ou ressonância magnética. De fato, é o médico que irá diferenciar a mialgia de outras doenças que podem ser de origem articular ou cardíaca.

Complicações

Geralmente, a dor muscular não representa um perigo potencial. No entanto, quando a dor é muito intensa ou intolerável, o doente pode ter uma sensação de desconforto. Ele pode ter dificuldade em respirar e desconforto no estômago devido ao aumento na secreção de ácido gástrico. Em casos extremos, perda de consciência ou desmaios podem pôr em risco a vida da vítima. Às vezes, a dor pode causar complicações ou de ordem mental ou renal.

Quando consultar?

Verifique com um profissional de saúde (médico) se:

– A lesão persiste depois de três dias;

– Você suspeita de uma lesão mais grave, como fratura ou ruptura;

– Dor ou recorrência frequente acompanhada de outros sintomas, como a febre.

Tratamentos

Em casos de dor aguda devido ao alongamento ou contusão , o famoso gelo, descanso, compressão e elevação aliviam rapidamente o paciente:

– Gelo: durante os primeiros 2 a 3 dias , aplique gelo por 10 minutos sobre o membro lesionado e repita a cada 1 ou 2 horas.

– Descanso: Evite grandes esforços dentro de pelo menos dois dias.

– Compressão: realizar uma compressão da parte inchada com uma ligadura elástica.

– Elevação: elevar o membro ferido.

Na ausência de inchaço ou febre, banheira de hidromassagem e sauna aliviam a rigidez.

Além disso, os analgésicos e os relaxantes musculares aliviam a dor muscular. No entanto, antes de usar, considere procurar o aconselhamento de um profissional de saúde.

O ibuprofeno, naproxeno ou paracetamol (acetaminofeno) podem ser eficazes contra a dor de mialgias. Evite a aspirina (ácido acetilsalicílico), que especialmente no início pode aumentar o risco de hemorragia.

A massagem, drenagem, uso de campos eletromagnéticos, corrente elétrica e ultra-som são todas as técnicas complementares úteis para aliviar a mialgia.

Para as dores devido a doenças específicas, o tratamento é a causa.

Fitoterapia

Para relaxar ainda mais você pode fazer um remédio caseiro de mel de alecrim. Para isso, tome 120 mL de água morna e acrescente uma colher de chá de vinagre de maçã orgânico e a mesma quantidade de mel de alecrim. Misture bem até obter uma solução perfeitamente homogênea e beba a porção após o jantar. Fazer este tratamento durante três dias consecutivos. Note que apesar da sua acidez, vinagre de maçã tem um efeito benéfico sobre o sistema digestivo.

Para a dor muscular em adultos, faça uma mistura de 3 colheres de sopa de óleo de semente de uva com os seguintes óleos essenciais: 5 gotas de pimenta preta, 15 gotas de manjerona, 15 gotas de zimbro e 15 gotas alecrim em cânfora. Use o óleo resultante para massagear. Você também pode derramar uma colher de sopa da mistura em seu banho.

Outra planta muito utilizada em casos de dor muscular é a erva-baleeira, principalmente na forma de creme e gel. Ela também pode ser utilizada na forma de spray, infusão (compressa) ou óleo essencial.

Prevenção

– Faça sessões regulares de movimento com os músculos;

– Tonifique os músculos com exercícios de treinamento de força;

– Aqueça-se antes de fazer grandes esforços;

– Beba muita água;

– Tenha uma boa alimentação;

– Não ultrapassar o limite de sua força;

– Para os nadadores, submergir gradualmente o seu corpo na água para que ele possa se adaptar e ter movimentos leves e lentos ;

– Sente-se confortavelmente durante o trabalho;

– Mantenha as costas retas ao levantar um objeto pesado;

– Alongue os músculos após esforços;

– Dê ao seu corpo tempo suficiente para descansar.

Dicas

Além dos famosos 4 passos : gelo, descanso, compressão e elevação (leia mais em Tratamentos, a cima), algumas dicas podem ajudá-lo a tratar a dor muscular:

– Evite a prática de exercício físico que envolve o músculo afetado por esta dor, deixe o músculo em repouso durante a fase de recuperação.

– Não aplique calor na quando a região (muscular) enquanto ela ainda estiver quente (inflamado).

Fontes & Referências:
BMJ (10.1136/bmjopen-2013-003701)

Redação:
Por Xavier Gruffat (farmacêutico)

Fotos: 
Fotolia.com

Atualização:
Este artigo foi modificado em 21.12.2018

Esta informação foi útil?

Observação da redação: este artigo foi modificado em 21.12.2018

Publicidade