Publicidade

Leucemia

Definição

Definição leucemiaA leucemia é um tipo de câncer que atinge o sangue e se origina na medula óssea. A leucemia normalmente se origina nas células brancas da medula. Em condições normais, as células brancas (também conhecidas como glóbulos brancos), são importantes na luta contra agentes infecciosos e para a proteção do organismo. Durante a leucemia, a medula óssea produz quantidades anormais de células não desempenham sua função adequadamente e substituem as células sadias.

Publicidade

Existem diversos tipos de leucemia, dependendo das suas características e tipo de célula atingida. Nas leucemias linfocíticas, as células afetadas tomam forma de linfócitos. Nas leucemias mieloides, as células afetadas tomam forma de hemácias, alguns tipos de leucócitos e plaquetas.

Leucemias agudas

Leucemias agudasSão caracterizadas pelo rápido crescimento de células jovens (imaturas) no sangue e tem rápida progressão. As células podem invadir a circulação periférica e penetrar em outros órgãos. Dentro dessa classificação, os tipos de leucemia são:
– Leucemia linfocítica aguda (LLA).
– Leucemia mieloide aguda (LMA).

Leucemias crônicas

São caracterizadas pelo aumento de células maduras anormais no sangue. Essa leucemia tem progressão lenta e pode demorar de meses a anos. Os tipos de leucemias crônicas são:

– Lecemia linfocítica crônica (LLC).

– Leucemia mieloide crônica (LMA).

Além desses tipos, há outras leucemias mais raras, como a leucemia de células pilosas, leucemias bifenotípicas, etc.

Epidemiologia

estatísticas da leucemiaAs leucemias têm incidência semelhante por todo mundo. De acordo com o National Institute of Cancer dos Estados Unidos, entre os anos de 2005-2009 a incidência de leucemia foi de 9,6 casos a cada 100.000 homens e 5,3 casos a cada 100.000 mulheres nos Estados Unidos.

No Brasil, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a estimativa é de 8510 novos casos em 2012, sendo 4570 em homens e 3940 em mulheres. Em 2012, o Brasil registrou 5935 mortes por leucemia, sendo 3202 em homens e 2733 em mulheres.

A incidência dos tipos de leucemia varia de acordo com a idade do paciente. Veja o quadro a seguir que sumariza os dados de incidência por tipo de leucemia:

Tipo de leucemia

Pacientes afetados

Leucemia linfocítica aguda

Crianças jovens e adultos, especialmente acima dos 65 anos.

Leucemia mieloide aguda

Mais comum em homens adultos que em crianças.

Leucemia linfocítica crônica

Mais frequente em homens adultos acima dos 55 anos e raramente afeta jovens. Tipo muito raro em crianças.

Leucemia mieloide crônica

Mais frequente em adultos que em crianças.

Leucemia de células pilosas

Cerca de 80% dos afetados são homens adultos.

Causas

Causas leucemiaAssim como outros tipos de câncer, as causas exatas da leucemia ainda são desconhecidas. Cada tipo de leucemia aparentemente é causada por fatores diferentes. Os cientistas acreditam que os seguintes fatores possam estar relacionados com a doença:

– Contaminação por agentes poluentes como metais pesados, pesticidas, etc.

– Contaminação por solventes químicos.

– Exposição à radiação.

– Tratamento por quimioterapia.

– Contaminação por determinados vírus.

– Herança genética.

– Falhas no sistema imunológico, como baixa imunidade.

Grupos de risco

Grupos de risco leucemiaExistem alguns grupos de risco mais propensos a desenvolverem leucemia, como:
– Pessoas que já passaram por tratamento contra o câncer, sobretudo quimioterapia e radioterapia.
– Pessoas expostas a altas incidências de radiação ionizante.
– Pacientes com histórico familiar de câncer ou leucemia.

– Pacientes com síndromes genéticas, como síndrome de Down.

– Crianças (para a leucemia linfocítica aguda). No Brasil, a leucemia é o tipo de tumor mais comum em jovens e adolescentes, com uma média de 29% de casos nessa faixa etária.

– Homens adultos (para alguns tipos de leucemia).

– Pacientes com certos distúrbios sanguíneos, como a síndrome mielodisplásica.

– Tabagistas (pacientes fumantes).

Nem todos os pacientes que fazem parte do grupo de risco desenvolvem a doença. Da mesma forma, pacientes sem nenhum fator de risco aparente podem desenvolver a doença.

Sintomas

Os sintomas da leucemia podem variar, de acordo com o tipo de doença. Dentre os sintomas mais característicos estão:
– Fadiga persistente e sem motivo aparente.

Sintomas leucemia

– Febre e calafrios.

– Infecções frequentes, como de garganta, ouvido, etc.

– Perda de peso sem motivo aparente.

– Sintomas semelhantes à anemia, devido à baixa quantidade de células vermelhas.

– Sangramentos e hemorragias (normalmente em mucosas como gengiva, nariz, interior da boca, etc).

– Aparecimento de pequenos pontos vermelhos de sangue na pele (petéquias).

– Palidez.

– Tontura e desmaio.

– Aumento das amigdalas e linfonodos.

– Aumento do fígado e baço.

Diagnóstico

Diagnóstico leucemiaNormalmente o médico detecta a leucemia através de exames de contagem de células do sangue. O médico também poderá fazer exames físicos e avaliar sintomas como inchaço das amigdalas, palidez, petéquias, etc.
Além de exames de sangue e físicos, o médico poderá retirar uma parte da medula óssea para analisar qual o tipo celular atingido e as características do câncer, de maneira a orientar o tratamento mais adequado.

Complicações

Complicações leucemiaA progressão da leucemia pode causar complicações devido aos seus sintomas. Algumas das complicações são resultado da redução de células sadias do sangue, dentre elas:

– Síndrome anêmica: resultado da redução de células vermelhas, caracterizada por fadiga, palidez, queda de cabelo, dores de cabeça, palpitações, etc.

– Síndrome trombocitopênica: resultado da redução de plaquetas, que pode levar a sangramentos, petéquias, hemorragias, menstruação excessiva, sangue nas fezes, etc.

– Síndrome leucopênica: resultado da redução de células brancas sadias, que pode levar a infecções frequentes, febre, aumento do baço e fígado, aftas recorrentes, etc.

Além dessas síndromes, as células tumorais podem se infiltrar nos órgãos e tecidos e se proliferarem, causando metástase. As células podem principalmente se alojar no cérebro, testículos, gânglios linfáticos, fígado e baço.

Tratamentos

Tratamentos leucemiaO tratamento para leucemia dependerá de vários fatores, como tipo de leucemia, extensão da doença, idade do paciente e quadro geral de saúde. O tratamento é feito em diversas etapas para garantir que o câncer foi eliminado e não haverá remissão da doença. Veja abaixo as alternativas de tratamento para a leucemia.

Terapia biológica

Essa abordagem visa estimular o sistema imune a reconhecer e atacar as células tumorais. Normalmente empregam-se modificadores da resposta imunológica ou imunomoduladores, como o interferon, interleucina-11 (oprelvekin), fatores estimuladores de colônia (CSF – colony stimulating factors, como o filgrastim e sargramostim), eritropoetina, etc.

Quimioterapia

A quimioterapia caracteriza-se pela administração de medicamentos para matar as células tumorais. Normalmente diversos medicamentos são administrados para reduzir as chances de resistência do tumor e aumentar a taxa de sucesso ao tratamento. Os quimioterápicos mais utilizados são a citarabina, daunorrubicina, metotrexato, vincristina e corticóides orais. Algumas drogas agem especificamente em alvos da célula leucêmica, como o imatinibe.

Radioterapia

Radioterapia leucemiaA aplicação de raios de alta energia tem a finalidade de matar as células tumorais e impedir seu crescimento. A radioterapia pode ser focada em algumas partes do corpo ou pode ser direcionada para todo o corpo. Normalmente, a radioterapia do corpo inteiro é realizada antes de um transplante de medula óssea.

Transplante de células estaminais (tronco)

Esse tipo de transplante tem por função substituir as células doentes da medula por células novas e saudáveis. Antes do transplante, o paciente normalmente recebe altas doses de quimioterapia e radioterapia que acaba por matar não só as células tumorais mas também as células sanguíneas sadias. Através de um cateter, as células estaminais são infundidas na medida e começam a produzir glóbulos vermelhos sadios. A medula pode ser transportada da própria pessoa (auto-transplante), de um doador próximo, como um parente (transplante alogênico) ou de um irmão gêmeo (transplante singênico).

Dicas

Dicas LeucemiaVeja algumas dicas para lidar com a leucemia, sintomas e tratamento:
– Se você já tem casos na família de leucemia ou algum outro tipo de câncer, fique atento para sintomas como cansaço, palidez e sangramentos. Quanto mais rápido a leucemia for diagnosticada, maiores são as chances de cura e remissão total da doença.
– Converse sempre com o seu médico e com a equipe de saúde para saber como anda o seu tratamento e qual sua evolução.

– Anote os sintomas que você está sentindo durante o curso do tratamento e converse com o médico. Ele pode indicar medicamentos para fazer você se sentir melhor ou mudar a medicação.

– Conte com o apoio da sua família e amigos. Se você tem um filho pequeno com leucemia, dê apoio em suas dificuldades e mostre que a vida ainda não acabou.

Prevenção

Prevenção leucemiaSegue algumas dicas que podem reduzir as chances de desenvolvimento de leucemia:
– Evite fumar. O fumo contém toxinas que causam lesão nas células e podem provocar o câncer.
– Tenha uma alimentação saudável. Coma grãos integrais, frutas, verduras e legumes. A alimentação saudável protege as células contra a ação de antioxidantes e mantém o corpo saudável.
– Pratique atividades físicas. O esporte ajuda a eliminar toxinas que danificam o DNA das células.

– Se você trabalha com produtos químicos, metais pesados ou radiação, use equipamento adequado para evitar exposição a agentes tóxicos.

– Se você tem casos na família de câncer ou leucemia, ou se está em um dos grupos de risco da doença, faça exames diagnósticos frequentes. O exame de sangue de contagem de células pode indicar se há alguma anormalidade ou não com o paciente.

Esta informação foi útil?

Observação da redação: este artigo foi modificado em 14.09.2018

Publicidade