Publicidade

Trombose

Resumo sobre trombose

TromboseA trombose é uma doençacaracterizada pela formação de coágulos no interior dos vasossanguíneos. Esses coágulos, também chamados de trombos, podem se formar em veias ou artérias e se desprender entupindo outros vasos do corpo. O tipo mais comum de trombose é a trombose venosa profunda. A trombose arterial pode causar infarto do miocárdio e AVC. Outra condição importante é a embolia pulmonar.
Na Europa, cerca de 1,5 milhão de pessoas apresentam a doença, que resulta em mais de 500 mil mortes por ano. Nos EUA, o número de afetados chega a 2,6 milhões. No Brasil, cerca de 170 mil pacientes apresentam a doença, sendo que 40% desses não sabem identificar os sintomas. As causas principais da trombose são alterações na coagulação do sangue (condição conhecida como hipercoabulabilidade), alterações na hemodinâmica (fluxo sanguíneo) e lesões aos vasos.

Publicidade

As alterações na coagulação do sangue podem ser ocasionadas por situações como tabagismo, obesidade, uso de contaceptivos hormonais, gravidez e herança genética.
Os sintomas são difíceis de serem detectados, o que torna a doença muito perigosa. Quando eles aparecem podem ser dores e inchaço nos membros inferiores, vermelhidão e calor. A trombose pode se manifestar em diferentes veias do sistema cardiovascular, como na carótida, coronárias, veias dos membros inferiores, etc.
O diagnóstico é normalmente feito pela análise dos sintomas e através de testes de imagem do interior dos vasos saguíneos.

A trombose quando não controlada resulta em graves conseqüências, como síndrome pós-embólia, inchaço, aumento de infecções, embolia pulmonar e morte. O objetivo do tratamento é a redução da formação de trombos ou quebra dos mesmos, com o uso de anticoagulantes, como warfarina e enoxaparina.

Plantas medicinais, como hamamélis, e produtos homeopáticos, como Bothrops, ajudam a fluidificar o sangue e evitar estagnações.

É importante que você siga corretamente as orientações médicas com relação à tomada dos medicamentos para evitar conseqüências como hemorragias. Procure sempre se movimentar e praticar exercícios para auxiliar o fluxo sanguíneo. Evitar o sobrepeso e tabagismo são importantes medidas para prevenir a trombose.

Definição

A trombose é uma condição na qual um coágulo sanguíneo (trombo) se forma em um ponto particular de uma veia ou artéria. A formação de um coágulo sanguíneo normalmente acontece quando nos cortamos, como parte do processo de regeneração. Entretanto algumas pessoas apresentam pré-disposição para formação de trombos sem nenhum ferimento. Essas pessoas sofrem do que chamamos de doença tromboembólica.

Existem dois tipos diferentes de trombose de acordo com o local onde se forma o coágulo: a trombose venosa e a trombose arterial.

O tipo mais comum de trombose venosa é a trombose venosa profunda (TVP) que ocorre em veias profundas localizadas nos músculos da perna e da pelve. O coágulo pode liberar pedaços que vão entupir outros vasos sanguíneos. Se ocorrer o entupimento de vasos do pulmão ocorre o que chamamos de embolia pulmonar, condição muito grave que pode levar à morte. Dentro de trombose venosa pode-se também incluir a tromboflebite superficial.

Na trombose arterial, os coágulos podem se desprender e entupir artérias do coração ou cérebro, causando infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral.

Outros tipos de trombose são: trombose da veia renal, trombose da veia porta, trombose da veia hepática, Síndrome de Paget-Schroetter, Síndrome do desfiladeiro torácico, etc.

Epidemiologia

Anualmente são registrados cerca de 1,5 milhão casos de trombose na Europa, sendo que mais de meio milhão dessas acabam morrendo devido à doença. Nos Estados Unidos, segundo a Associação Americana do Coração, o número de pessoas atingidas por trombose é de 2,6 milhões ao ano.

No Brasil, pesquisas indicam que as doenças do sistema circulatório (incluindo a trombose) estão em terceiro lugar em questão de incidência. Apesar de sua importância, a trombose não tem recebido a atenção devida e estudos indicam que mais de 40% dos brasileiros não conhecem os sintomas da doença. No Brasil, cerca de 170 mil pessoas sofrem com a doença.

Com relação à embolia pulmonar, a doença é responsável por cerca de 50 mil mortes por ano nos Estados Unidos. Até 10% de todas as mortes em hospital são resultado direto do embolismo pulmonar. No Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde, entre 2009 e 2010 21,9% dos pacientes internados com embolia pulmonar morreram. Estima-se que a embolia pulmonar seja responsável por 4% do número total de mortes em hospitais.

Causas

A trombose é causada pela formação excessiva de coágulos (trombos) no sangue.As placas formadas (trombos), além de bloquearem parte do vaso onde se iniciaram, podem se desprender e alcançar pulmões (embolia pulmonar), coração (infarto) e cérebro (AVC).

As causas da trombose podem ser:

– Infecção generalizada ou sepse;

– Danos na parede interna dos vasos;

– Redução da velocidade de circulação do sangue, que normalmente ocorre em pessoas com muitas varizes;

– Repouso prolongado, especialmente após cirurgias ortopédicas;

– Fatores genéticos que levam à uma condição conhecida como hipercoagulabilidade;

– Câncer, pois muitos pacientes com neoplasias malignas apresentam hipercoagulabilidade;

Insuficiência cardíaca;

– Uma injeção (de um medicamento, etc);

– Tabagismo;

Varizes;

– Uso de determinados medicamentos, como os anticoncepcionais.

Trombose e anticoncepcionais

Atenção para o uso de pílulas anticoncepcionais à base de drospirenona.

Trombose e anticoncepcionais

A FDA (agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos) discutiu sobre a segurança dos medicamentos contendo a substância drospirenona. Dos 26 membros do conselho, 15 votaram a favor de manter a pílula no mercado. Segundo os especialistas, os medicamentos com essa substância podem até triplicar o risco de formação de coágulos quando comparado às pílulas com levonorgestrel. Além do risco de trombose, há também o risco de infarto e AVC, sobretudo em mulheres abaixo dos 35 anos. Dados da FDA mostraram que ao menos 190 mulheres morreram após tomar pílulas à base de drospirenona, sendo que muitas delas não apresentavam risco para desenvolvimento de trombose. Os medicamentos contendo essa substância vão permanecer no mercado, entretanto, novos estudos e dados de segurança do produto devem ser conduzidos.

Grupos de risco

Os principais grupos de risco para a trombose são:

Grupos de risco da trombose

– Pacientes com problemas genéticos que levam à hipercoagulabilidade do sangue ou com alterações nas paredes dos vasos.

– Pacientes com histórico de trombose na família ou tromboembolismo pulmonar

– Pacientes com síndrome do intestino irritável.

– Pacientes que já apresentaram insuficiência cardíaca, pois nesse caso o coração não consegue bombear o sangue de maneira adequada para o corpo e isso aumenta a chance do sangue se acumular e coagular.

– Pessoas que ficam longos períodos sentadas ou sem mobilidade, como após cirurgias, pois o sangue pode ficar estagnado nos vasos.

– Pessoas com grandes varizes.

– Pacientes com câncer.

Obesos, pois o sobrepeso aumenta a pressão nos vasos e pode desencadear trombose.

– Gestantes, pois a gravidez aumenta a pressão e vasos da pelve e pernas.

– Mulheres que usam anticoncepcionais, pois o uso de hormônios femininos altera a coagulação do sangue.

– Mulheres que fazem uso de terapia de reposição hormonal.

– Tabagistas, pois o cigarro afeta a coagulação do sangue. Atenção: o fumo passivo também aumenta o risco de desenvolvimento de trombose.

– Idosos, pois o aumento da idade leva a aumento do risco de trombose.

– Pessoas muito altas, pois elas são mais propensas a ter problemas circulatórios.

Sintomas

A trombose é uma doença particularmente perigosa, pois em muitos casos ela acontece de maneira silenciosa, com grandes chances de complicações e alta letalidade. Da mesma forma, a embolia pulmonar pode acontecer sem aviso prévio. Veja abaixo os principais sintomas da trombose e da embolia pulmonar:

Trombose Embolia Pulmonar
Dor e inchaço nos pés e pernas (trombose perna) Encurtamento repentino da respiração sem nenhuma causa aparente
Edema nos tornozelos Sensação de tontura e desmaio
Alterações na cor da pele, que pode se apresentar pálida, avermelhada ou até azulada Desconforto na região torácica ou dor no peito, normalmente acompanhada de forte sudorese
Calor na região afetada Pulsação rápida
Endurecimento da musculatura da perna Tosse com sangue
Formação de nódulos doloridos nas varizes Sensação de ansiedade e nervosismo

Se você ou algum conhecido apresentar os sintomas acima, procure um médico imediatamente, pois a embolia pulmonar é uma condição que põe risco à vida.

Diagnóstico

A trombose é difícil de ser diagnosticada por ser uma doença silenciosa em muitos casos. Caso o médico suspeite da doença, ele poderá pedir alguns exames para comprovar a presença de trombos nos vasos sanguíneos. Esses exames podem ser:

diagnóstico da trombose

– Exame de Doppler, que permite visualizar a circulação do sangue nos vasos

– Flebografia: um raio-X das veias após a injeção de uma solução de contraste

– Ultrassom: permite verificar a presença de trombos nos vasos

– Testes de sangue: permitem verificar a presença de componentes de coagulação do sangue

– Testes de imagem: incluem a tomografia computadorizada e ressonância magnética nuclear de imagem. Permitem visualizar os vasos e a presença de coágulos

Complicações

As complicações da trombose são bem severas. Uma vez que um vaso sanguíneo éentupido ele não consegue mais levar sangue, nutrientes e oxigênio para os órgãos e, dessa forma, o tecido morre. As veias que estão bloqueadas não conseguem levar o sangue de volta ao coração e os vasos vizinhos ficam sobrecarregados, se dilatam e ficam insuficientes. Essa condição é chamada de síndrome pós-embólica e pode resultar em feridas, infecções graves e edemas.

complicações da trombose

Outra complicação importante é entupimento de outros vasos em outros locais do corpo, como no coração, cérebro e pulmão. Veja a seguir o quaro com as complicações que a trombose pode causar dependendo do órgão atingido:

Órgão Efeito
Coração Infarto do miocárdio
Cérebro Acidente vascular cerebral
Pulmão Embolia pulmonar
Outros órgãos Isquemia e morte tecidual
Membros (pernas e braços) Dependendo da extensão da trombose, pode levar à necrose e amputação

A embolia pulmonar é essencialmente fatal e leva à morte de 1/3 dos pacientes quando não tratados. O risco deinfarto do miocárdio e AVC são muito altos em pacientes com trombose.

É importante consultar um médico imediatamente se você suspeita de trombose, pois as complicações põem a vida do paciente em risco. Caso você tenha histórico familiar de trombose, converse sempre com o seu médico para fazer exames regulares.

Tratamentos

O tratamento para a trombose consiste em prevenir a formação dos trombos, impedir que novos se formem e dissolvê-los caso apareçam. Nesse caso, os medicamentos mais utilizados são os chamados anticoagulantes.

 tratamento para a trombose

Os anticoagulantes reduzem a capacidade do sangue de se coagular e formar trombos. Eles não dissolvem o trombo, mas impedem que novos se formem. Três medicamentos muito conhecidos dessa classe são a heparina, a enoxaparina e a warfarina. É importante que esses medicamentos sejam tomados de maneira rigorosa conforme as orientações médicas pois podem apresentar graves conseqüências como sangramentos e hemorragias, além de interagirem com diversas outras drogas. Um novo anticoagulante é a rivaroxabana, um fármaco que age especificamente no fator Xa de formação dos coágulos.

Os antagonistas da vitamina K, agentes antiplaquetários, tais como ácido acetilsalicílico (aspirina), clopidogrel e agentes trombolíticos também pode ser utilizado em casos de trombose.

Outra classe de medicamentos são aqueles que dissolvem os coágulos, como o ativador do plasminogênio tecidual (t-PA), administrado por via intravenosa. Essa droga também pode apresentar severos sangramentos, portanto requer monitoramento constante.

Caso o paciente não possa usar medicamentos, um filtro pode ser inserido em uma veia grande, como a veia cava, para impedir que os trombos que se desprendem entupam os vasos de outros órgãos. Muitas vezes esses filtros são referidos como “guarda-chuvas”. Outras opções são massageadores pneumáticos que possibilitam a reativação da circulação sanguínea.

Em caso de emergência o médico pode realizar uma operação chamada trombectomia (remoção do trombo).

Fitoterapia

Algumas plantas medicinais apresentam benefícios na melhora da circulação do sangue, fluidificando-o e irrigando regiões. Algumas são:

Fitoterapia trombose

Hamamélis

– Trevo Branco

– Tília

– Castanha da Índia

– Visco

Muitas dessas plantas atuam diminuindo a viscosidade do sangue e atuando sobre a resistência dos vasos. É importante usá-las sob orientação médica.

Dicas

Algumas dicas ajudam o paciente a controlar e a conviver com a trombose. Caso você sofra da doença, adote algumas práticas:

Dicas trombose

– Converse sempre com o seu médico sobre o tratamento adotado se você acha que precisa de alguma alteração nos medicamentos.

– Observe se você ingere muita vitamina K, pois elas interferem com os anticoagulantes orais. A vitamina K é presente em folhas verdes, soja e canola.

– Se você possui predisposição para trombose, adote algumas mudanças de hábito de vida, como redução do peso e redução do tabagismo.

Dicas trombose

– Fique atendo a sangramentos excessivos se você utiliza algum anticoagulante. Evite se cortar ou exercer atividades que causem ferimentos em sua pele.

– Use os medicamentos que o médico lhe indicou da maneira correta. Qualquer alteração pode resultar em conseqüências, como hemorragias ou coágulos.

Prevenção

Aqui estão algumas dicas de prevenção para a trombose:

Prevenção trombose

– Pratique exercícios, o movimento, principalmente nos membros inferiores, ajuda no fluxo sanguíneo e impede que ele se coagule.

– Procure se movimentar sempre que você precisar ficar muito tempo sentado (como em um voo) ou deitado (como em um leito hospitalar). Caso você não consiga fazer isso sozinho, peça ajuda a alguém, como um fisioterapeuta ou enfermeiro, para que suas pernas sejam postas em movimento. Isso impede que o sangue se acumule.

– Se você está acamado há muito tempo, faça exercícios fisioterápicos para evitar a estagnação do sangue.

Prevenção trombose

– Combata a obesidade.

Evite o tabagismo, inclusive o fumo passivo.

– Use meias de compressão para massagear os membros inferiores e impedir que o sangue fique sem circulação.

– Para as mulheres: se você tem histórico de trombose na família, evite usar medicamentos à base de hormônios femininos, como anticoncepcionais ou hormônios de reposição. Busque alternativas e converse com seu médico.

– Evite a pressão alta e controle os seus níveis de colesterol. Eles evitam diversas doenças cardiovasculares, como a trombose e infartos.

– Trate as varizes, elas são um fator de risco para desenvolvimento de trombos.

Esta informação foi útil?

Observação da redação: este artigo foi modificado em 05.10.2017

Publicidade