Publicidade

Molnupiravir, pílula contra a Covid

Últimas notícias sobre o molnupiravir:
04.11.2021 – A MHRA (Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde) aprovou na quinta-feira 4 de novembro de 2021 a comercialização do molnupiravir contra a Covid-191, sob a marca Lagevrio2. O molnupiravir foi desenvolvido em parte pelo laboratório americano MSD (chamado Merck nos EUA). O Reino Unido foi o primeiro país do mundo a registrar a droga.

Publicidade

Resumo:
O molnupiravir é uma molécula antiviral (droga) indicada para tratamento pós-exposição do Covid-19, particularmente no início dos sintomas. O molnupiravir reduz pela metade o risco de hospitalização ou morte, de acordo com um estudo clínico realizado pela MSD. O medicamento está disponível no mercado desde 4 de novembro de 2021 no Reino Unido, mas ainda não em outros grandes mercados como os EUA ou a União Européia (UE), nem no Brasil. Um lançamento no mercado até o final de 2021 parece possível nos EUA 3. A União Européia (UE) começou a rever a droga no final de outubro de 2021. Tomar o medicamento rapidamente após os sintomas ter mostrado bons resultados no ensaio clínico (leia mais abaixo). O molnupiravir é o primeiro produto de seu tipo a ser comercializado para tratar a Covid-19, o que, depois das vacinas, representa um grande passo na luta contra a pandemia 4. O molnupiravir também é eficaz contra variantes do vírus SARS-CoV-2, tais como a variante Delta.

Nomes:
Molnupiravir, Molnupiravirum, EIDD-2801, MK-4482, Lagevrio (marca no Reino Unido).

Fórmula química:
C13H19N3O7

Efeitos:
Antivirais como o molnupiravir funcionam diminuindo a capacidade de replicação de um vírus, reduzindo assim a doença. O molnupiravir é um agente antiviral pertencente ao grupo dos inibidores de RNA polimerase (ver infográfico abaixo). Como explicado no Pharmawiki.ch, o molnupiravir é rapidamente biotransformado em plasma para o EIDD-1931. Esta última é trifosforilada pelas próprias quinases do corpo. O trifosfato é o ingrediente ativo. É um falso substrato para a RNA polimerase viral.

Indicações:
– Covid-19 (ver abaixo). Pós-exposição da doença, isto é, após os primeiros sintomas da Covid-19, ao contrário da vacinação que atua como pré-exposição.
No Reino Unido, o molnupiravir é indicado para adultos de alto risco com doenças leves a moderadas 5.
Veja abaixo em Dosagem

Estudo (boa eficácia, redução de 50% na hospitalização ou morte):
O molnupiravir é capaz de reduzir em 50% o risco de hospitalização e morte em pacientes com Covid-19 leve a moderado, quando tomado imediatamente após os sintomas, de acordo com o Wall Street Journal de 1º de outubro de 2021 e 4 de novembro de 2021, citando, entre outras coisas, um comunicado de imprensa dos laboratórios. O medicamento foi tão eficaz que o laboratório americano Merck (conhecido como MSD fora dos Estados Unidos e Canadá como na Europa), assim como a Ridgeback Biotherapeutics, que participou do desenvolvimento desse medicamento, pararam de recrutar novos participantes em seu ensaio clínico final (fase 3) de acordo com a FDA (agência americana de medicamentos). No estudo, pacientes Covid-19 com sintomas leves a moderados tratados com placebo foram hospitalizados ou morreram dentro de 29 dias em 14,1% dos casos, a Merck (MSD) explicou 6. No grupo de pacientes tratados com molnupiravir (800 mg duas vezes ao dia durante 5 dias), esse valor era metade do valor, a 7,3%7. Os números são baseados em uma análise dos dados de 775 pacientes da Covid-19. No grupo de teste que recebeu molnupiravir, não houve mortes durante o período de estudo. Durante o mesmo período, oito pessoas que receberam placebo morreram 8.

Efeitos colaterais:
Os efeitos colaterais mais comuns (que afetam até 1 em cada 10 pessoas) são diarréia, náusea, tonturas e dor de cabeça. Efeitos colaterais incomuns (que podem afetar até 1 em cada 100 pessoas) são vômitos, erupção cutânea e urticária 9.
Estudo dos efeitos colaterais:
Na parte final do estudo (estudo de última fase), o molnupiravir foi testado em pessoas não vacinadas. A taxa de efeitos colaterais para os participantes que receberam o medicamento e aqueles que receberam placebo foi semelhante, de acordo com ambas as companhias (MSD e Ridgeback Biotherapeutics).

Forma galênica:
O molnupiravir é vendido em forma oral, em cápsulas (pílula). Pode, portanto, ser tomada em casa ou no hospital. No Reino Unido, ele é vendido como cápsulas duras contendo 200 mg de molnupiravir, sob a marca Lagevrio10.

Dosagem de molnupiravir:
Dosagem do Reino Unido (status 4 de novembro de 2021, favor ler sempre o folheto informativo):
A duração do tratamento para o Covid-19 é de 40 cápsulas (pílulas) durante 5 dias, 8 cápsulas por dia em 2 doses11, isto significa quatro cápsulas de 200 mg a cada 12 horas durante 5 dias12.
A terapia do molnupiravir deve ser iniciada dentro de 5 dias após os primeiros sintomas. Em outras palavras, não é aconselhável iniciar a terapia no sexto dia (ou depois) dos primeiros sintomas, pois a eficácia é diminuída13.
Notas sobre a tomada das cápsulas:
– Engula cada cápsula inteira com bastante líquido (por exemplo, um copo de água).
– Não abra, não quebre ou esmague as cápsulas.
– Esse remédio pode ser tomado com ou sem comida.

Lançamentos no mercado:
Reino Unido:
A Agência de Segurança de Medicamentos e Produtos de Saúde do Reino Unido (MHRA) aprovou na quinta-feira 4 de novembro de 2021 a colocação em seu mercado de molnupiravir contra o Covid-1914. O Reino Unido é o primeiro país do mundo a registrar a droga.
O Reino Unido tinha pedido ou garantido um total de 480.000 cursos completos de molnupiravir para sua população até outubro de 2021, de acordo com a BBC, e espera-se que esteja disponível até meados de novembro de 2021.

Pedidos de comercialização:
Nos Estados Unidos e na União Européia (assim como na Suíça), pedidos de comercialização foram apresentados pela MSD (Merck nos Estados Unidos).
No Brasil, não temos informações sobre se a ANVISA está no processo de análise do medicamento para registro futuro.

Notas:
– O molnupiravir foi desenvolvido na Universidade Emory, em Atlanta, Geórgia, Estados Unidos. A molécula foi originalmente desenvolvida contra a gripe.

Fontes e Referências: 
Fontes: 
BBC, website do governo britânico, AFP, Keystone-ATS, The Wall Street Journal, Pharmawiki.ch, Folha de S.Paulo, R7. Veja também as notas de rodapé no final da página.

Escrito por: 
Xavier Gruffat (Farmacêutico)

Última atualização: 
04.11.2021

Créditos das fotos:
Fotolia.com/Adobe Stock 

Esta informação foi útil?

Fontes de rodapé:

  1. Keystone-ATS, despacho de 4 de novembro de 2021 e artigo on-line do Wall Street Journal de 4 de novembro de 2021
  2. Folheto de Informações ao Paciente para Lagevrio, em 4 de novembro de 2021, o link estava funcionando nesta data
  3. The Wall Street Journal, artigo online de 4 de novembro de 2021
  4. AFP, despacho de 1 de outubro de 2021
  5. The Wall Street Journal online, 4 de novembro de 2021
  6. Press release from Merck (MSD) and Ridgeback, emitido em 1º de outubro de 2021
  7. Keystone-ATS (notícias em alemão), 1º de outubro de 2021
  8. Comunicado de imprensa da Merck (MSD) e Ridgeback, emitido em 1º de outubro de 2021
  9. Folheto Informativo ao Paciente para Lagevrio, 4 de novembro de 2021, link estava funcionando naquela época
  10. Folheto Informativo ao Paciente para Lagevrio , em 4 de novembro de 2021, o link estava funcionando naquela época
  11. The Wall Street Journal online, 4 de novembro de 2021
  12. Folheto Informativo ao Paciente para Lagevrio, 4 de novembro de 2021, o link estava funcionando nessa data
  13. Artigo do website da BBC, Primeiro comprimido para tratar Covid obtém aprovação no Reino Unido, datado de 4 de novembro de 2021, acessado na mesma data pelo Creapharma e o link estava funcionando
  14. Keystone-ATS, despacho de 4 de novembro de 2021 e artigo on-line do Wall Street Journal de 4 de novembro de 2021
Observação da redação: este artigo foi modificado em 04.11.2021

Publicidade