Publicidade

Home » Nutrição » DHA – ácido docosahexaenóico

DHA – ácido docosahexaenóico

 ácido docosahexaenóico (DHA)O ácido docosahexaenóico (DHA) é uma forma de ômega-3, que é um nutriente ou, mais precisamente, um ácido graxo essencial para o ser humano. Em outras palavras, o corpo humano não pode sintetizá-lo e deve-se recorrer à alimentação para obtê-lo. Outros tipos de ômega-3 são o ácido alfa-linolênico (ALA), o ácido eicosapentaenóico (EPA) e o ácido docosapentaenóico (DPA).
O DHA tem um papel crucial na formação do sistema nervoso e cardiovascular. Por exemplo, a bainha de mielina encontrados em neurónios é feita de DHA.

Publicidade

Uma dieta rica em DHA permite, especialmente entre as crianças, melhorar a memória, a concentração e a aprendizagem.

De acordo com alguns nutricionistas, é importante que as crianças consumam mais rapidamente possível, alimentos ricos em DHA, possivelmente desde o primeiro ano de vida Antes dessa idade, o leite materno é preferido.

Estima-se que uma criança deva consumir, a cada dia, entre 100 e 150 mg de DHA.

Alimentos ricos em DHA

Alimentos ricos em DHA

O DHA é encontrado principalmente em peixes de água fria, como o salmão (1450 mg por 100 g), bacalhau, atum ou sardinha. O ovo também contém uma concentração muito elevada de DHA.

Excelente para as crianças

Em uma determinada época, muitas das crianças receberam rotineiramente todas as manhãs uma colher de óleo de fígado de bacalhau. Apesar do gosto desagradável, esta foi uma excelente ideia para ajudar o desenvolvimento do cérebro da criança.

Estima-se que uma grande parte do cérebro é formada durante os primeiros 5 anos de vida. Consumir DHA entre 1 e 5 anos e é altamente recomendado.

Atualmente os pais, além de óleo de fígado de bacalhau, podem dar suplementos alimentares infantis contendo DHA (pergunte ao seu farmacêutico).

O ideal é também consumir peixe duas vezes por semana, sendo que pelo menos uma dessas vezes seja peixe de água fria, pois são geralmente ricos em DHA. Peça também o conselho de um nutricionista para aconselhamento mais personalizado, uma vez que há controvérsias sobre o consumo excessivo de peixes. Algumas pessoas acreditam que o consumo não deve ser exagerado, devido à alta concentração de substâncias tóxicas que podem ser encontrada em peixes. Sabemos que a gordura do peixe captura mais facilmente determinados produtos nocivos que podem ser encontrados nos mares e oceanos.

Também é interessante notar que o bebê em gestação recebe naturalmente o DHA de sua mãe, assim como durante os primeiros meses de vida fora do útero através do leite materno. A mulher grávida e que amamenta deve consumir uma alta concentração de DHA para o desenvolvimento adequado do cérebro do bebê. Pergunte ao seu ginecologista ou nutricionista para mais informações sobre esse assunto.

Esta informação foi útil?

Observação da redação: este artigo foi modificado em 30.06.2017

Publicidade