Publicidade

Home » Plantas medicinais » Stévia

Stévia

Resumo

Stévia resumoPlanta medicinal diurética, hipotensiva, anti-diabética, altera o metabolismo dos carboidratos no organismo, ajuda no tratamento de depressão e é apresentada quase sempre em forma de infusão ou adoçantes.

Publicidade

Nomes

Nome em português: stévia, estévia, açúcar verde, capim doce
Nome binomial: Stevia rebaudiana
Nome francês: stévia, stevia
Nome inglês: honeyleaf
Nome alemão: Honigkraut, Stevia, Süßblatt,Süßkraut
Nome italiano: Stevia, Piccolo arbusto com foglio dolce

Família

Asteraceae

Constituintes

– Esteviosídeos
– Rebaudiosídeos
– Flavonóides
Observações:
Os esteviosídeos e rebaudiosídeos foram isolados pela 1a vez em 1931, por 2 químicos franceses.
O esteviosídeo é a mais importante molécula, em virtude do seu efeito benéfico para a saúde.

Partes utilizadas

Folhas e hastes secas

stevia-criasaude

Efeitos

Adoçante, antidiabética, cardiotônica, contraceptiva, diurética, previne cáries dentárias, antibacteriana, antifúngica, edulcorante, estimulante das funções cerebrais, digestiva, cardiotônico, hipoglicêmica, reforça as defesas do sistema imune.

Indicações

Uso interno
Hipertensão, diabetes, pré-diabetesazia, depressão, fadiga, obesidade (controle de apetite), perturbações digestivas.

Uso externo
Candidíase, sangramento e inflamações na gengiva, dor de dente, cáries e tártaro.

Quando adicionado ao xampu ajuda a tratar caspa, queda de cabelo e cabelos baços e sem brilho.

stévia Indicações

Efeitos secundários

Pode vir a causar aceleração dos batimentos cardíacos e alergias.
Se ingerida em excesso, pode causar: hipotensão arterial.

Contra-indicações

Certas alergias. Mulheres grávidas e amamentando. Crianças menores de 6 anos.

Interações

Em grande quantidade, o consumo de stévia pode acentuar os tratamentos antidiabéticos e contra a hipertensão.

Preparações

– Chás (infusão/extrato fluído)

– Adoçantes (pó ou líquido)

– Cápsulas em pó

Notas: os sachês de stévia disponíveis comercialmente são frequentemente misturados com eritritol ou dextrose, pois a stévia pura seria muito forte (muito doce).

– Tinturas

– Gomas de mascar

– Enxaguatório bucal

Onde cresce a Stévia?

A estévia cresce naturalmente em estado silvestre no Leste do Paraguai. A estévia é atualmente cultivada em outras regiões do planeta, tais como Brasil, América Central, Estados Unidos, Ásia e Israel.
A estévia é um arbusto. Ela não suporta geada, razão pela qual cresce principalmente nas regiões subtropicais de clima mais úmido.
Este arbusto pode igualmente ser cultivado em estufas, tal como ocorre no Canadá.

Observações

– A stévia, na forma de extratos de stévia de alta pureza (em inglês, high-purity extracts of stevia) apresenta um poder adoçante 250 a 300 vezes maior que o do açúcar de mesa (sacarose)1. Atualmente é um dos adoçantes mais conhecidos principalmente por adoçar sem causar diabetes, alterar os níveis de açúcar no sangue ou causar cáries. Em infusão, apresenta ação diurética muito eficaz. É utilizada na culinária como adoçante, uma vez que libera esse sabor quando aquecida. A estévia apresenta um poder adoçante cerca de 300 vezes superior àquele do açúcar (sacarose). A estévia não contém nenhuma caloria.

– Os índios guarani do Paraguai utilizavam as folhas de estévia especialmente para adoçar o mate, planta de gosto amargo igualmente de origem sul-americana.

– A estévia é muito utilizada no Japão. Uma empresa japonesa comercializou a estévia pela 1a vez no início dos anos 1970. Nos Estados Unidos, a estévia somente foi comercializada após 2008, pois antes desta data os adoçantes à base de estévia tinham a sua venda proibida.

– Em 2006, a OMS reconheceu a estévia como sendo um adoçante sem riscos para a saúde.

Fotos:
Criasaude, Fotolia.com

Update:
24.03.2020

Foto

Stévia planta medicinal

Esta informação foi útil?

Fontes de rodapé:

  1. UC Berkeley Wellness Letter, 2019
Observação da redação: este artigo foi modificado em 03.05.2021

Publicidade