Riscos para a saúde mesmo com pequenas quantidades de álcool | Criasaude

Riscos para a saúde mesmo com pequenas quantidades de álcool

SEATTLE (EUA) – Mesmo um baixo consumo de álcool apresenta riscos para a saúde, de acordo com um novo estudo publicado 23 de agosto de 2018 na revista científica The Lancet (DOI: 10.1016 / S0140-6736 (18) 31310-2) sobre o consumo global de bebidas alcoólatra e a ligação com 23 doenças.

Este grande estudo foi realizado por pesquisadores da Universidade de Washington em Seattle (EUA) e incluiu 694 estudos sobre o consumo de álcool e 592 estudos sobre os riscos para a saúde relacionados ao seu consumo. Os dados cobrem a população de 15 a 95 anos em 195 países.

O consumo regular de álcool pode ter efeitos negativos nos órgãos e tecidos do corpo, enquanto o consumo excessivo de álcool (binge drinking) pode levar a lesões ou envenenamento por álcool. Dependência de álcool pode levar a auto-agressão ou violência.

Diferenças entre os sexos

Os cientistas observaram que, na faixa etária acima de 50 anos, o câncer tem a maior proporção de causas de morte relacionadas ao álcool. Existem diferenças significativas entre os sexos: todas as faixas etárias, 2,2% das mortes femininas e 6,8% das mortes masculinas podem ser atribuídas ao consumo de álcool. Isso é 2,8 milhões de mortes por ano em todo o mundo associado ao consumo de álcool. A quantidade média de álcool por dia também mostra diferenças entre os sexos. Os níveis mais elevados de consumo de álcool foram registados para os homens na Roménia (média de 8,2 unidades), Portugal e Luxemburgo (7,2 unidades cada). Entre as mulheres, a Ucrânia (4,2 unidades), Andorra e Luxemburgo (3,4 unidades cada) têm as pontuações mais altas.

Este estudo estima que os danos do álcool, especialmente o câncer, superam de longe os benefícios potenciais, por exemplo, na prevenção do diabetes ou da doença de Alzheimer.

Outro estudo

Precisamente, outro estudo publicado em agosto de 2018 na revista BMJ (DOI: 10.1136 / bmj.k2927) tinha sido mais favorável em álcool, mostrando que o consumo moderado (até 14 doses por semana, ex 14 cervejas) foi associado com um risco de demência como Alzheimer 47% menor entre as pessoas com 35 a 55 anos em comparação com aqueles que não bebiam álcool.

24.08.2018. Por Xavier Gruffat (Farmacêutico). Fontes: Creapharma.ch, ATS, CBSNews,
Referência do estudo: The Lancet (DOI: 10.1016 / S0140-6736 (18) 31310-2)
Foto: Fotolia.com


Observação da redação: este artigo foi modificado em 24.08.2018