Category Archives: NEWS

10 dicas para evitar as doenças mais comuns do inverno

10 dicas para evitar as doenças mais comuns do invernoO inverno é a estação mais fria do ano e normalmente as baixas temperaturas trazem um clima mais seco no sul do país e chuvoso no norte. Com isso, muitas doenças são comuns nessa época do ano, como resfriados, gripes e até micoses. Leia abaixo nossas dicas para evitar as doenças mais comuns to inverno e aproveitar o que essa estação tem de melhor.
1. Hidrate-se constantemente. O inverno pode ser muito seco em diversas regiões do país e, devido a isso, surgem doenças decorrentes do ressecamento das vias aéreas. Coloque bacias de água ou toalhas molhadas nos cômodos da casa para umidificar o ambiente. Essa medida evita doenças como bronquite,pneumoniarinite, alergias, etc.

2. Alimente-se bem. Normalmente as pessoas no inverno tendem a comer comidas mais gordurosas para se esquentarem e se esquecem das frutas e vegetais. Tente ingerir de 5-7 porções de vegetais durante o dia, pois eles contêm vitaminas, minerais e antioxidantes que fortalecem o sistema imune. Dê atenção especial à vitamina C, encontrada em laranjas e frutas cítricas, e ao zinco, presente em mariscos, carnes e cereais.

3. Aqueça bem a garganta. Para isso, chás e bebidas quentes é a melhor indicação. O uso de cachecóis também é indicado. Esses hábitos, além de prevenir as dores de garganta, podem ajudar a combater outras doenças, como os resfriados e amigdalites.

4. Evite usar sapatos fechados ou meias o dia todo. Manter os pés sem ventilação propicia o crescimento de fungos que causam micose. Quando possível, prefira usar chinelos para arejar os pés. Isso evita o pé de atleta e micoses nas unhas.

5. Evite tomar banhos muito quentes. Além de ressecar a pele, o vapor quente mal seco se acumula na pele, favorece o crescimento de fungos e o surgimento da micose. Além disso, ao invés de usar roupas fechadas sintéticas, opte por usar roupas de algodão que absorvem a umidade. Essa prática ajuda a prevenir a pitiríase versicolor (também conhecida como micose de praia ou pano branco).

6. Mantenha as roupas de cama sempre limpas. Caso precise usar cobertores e edredons guardados, lave-os antes. Prefira secar as roupas ao sol. Isso evita doenças como rinite alérgica e asma.

7. Vacine-se contra a gripe. Nessa época do ano, as pessoas tendem a ficar mais juntas em ambientes fechados para se manterem aquecidas. Isso facilita a transmissão de vírus. Para isso, mantenha-se em dia com relação à sua vacina.

8. Evite ficar em ambientes fechados. Como dito anteriormente, a transmissão de vírus e bactérias é favorecida. Evite também estar perto de fumantes ou fumar, pois isso irrita as mucosas nasais e vias aéreas. Isso evita o aparecimento de meningites  e doenças respiratórias.

9. Exercite-se regularmente. Atividades aeróbicas como nadar, correr ou simplesmente andar ajudam a eliminar toxinas que enfraquecem o sistema respiratório e aumentam a capacidade respiratória. Algumas atividades são excelentes para combater a bronquite e outras doenças respiratórias.

10. Use soro fisiológico para umidificar as narinas. Ele também tem a importante função de lavar o nariz e as vias aéreas. Essa medida ajuda a prevenir otitesinusite e outras doenças das vias aéreas.

Com essas dicas você poderá aproveitar o friozinho do inverno de maneira muito mais saudável!

Redação:
Por Xavier Gruffat (farmacêutico)

Fotos: 
Adobe Stock/Fotolia, Criasaude.com.br

Última atualização:
25.05.2020

10 dicas para fortalecer sua imunidade e resistência

SÃO PAULOO sistema imune do nosso corpo é responsável por nos proteger de diversas infecções provenientes das mais diferentes fontes. Ter uma imunidade fortalecida não é só importante no inverno, mas também durante todo ano e ao longo da vida. Veja essas nossas dicas que te ajudarão a ser mais resistente.

Gengibre1. Alimente-se bem. O sistema imune é composto por células e anticorpos que estão em constante renovação e as proteínas, carboidratos e lipídeos são fundamentais para a formação desses componentes. Tenha uma dieta balanceada que englobe os diversos nutrientes. Tente ingerir uma média de 5 porções de frutas, verduras e legumes por dia. Se possível, inclua o gengibre em suas refeições ou tome na forma de chás. Essa raiz tem demonstrado ser eficaz no combate a infecções.

2. Dê valor ao zinco. Este mineral é fundamental na imunidade. O zinco é encontrado em carnes vermelhas, ostras, cogumelos e grãos. O cálcio é outro mineral muito importante e é encontrado em derivados do leite e vegetais de folhas verde escuras.

3. Evite o estresse. Ficar nervoso e ansioso faz com que nosso organismo libere hormônios, os corticosteróides, que são conhecidos por sua atividade imunossupressora. Tente relaxar e encarar as situações difíceis de uma forma menos estressante. Exercícios físicos ajudam a reduzir os níveis de estresse e melhoram a saúde global do organismo.

4. Durma bem. O sono é um dos fatores mais importantes para a saúde do organismo. Noites mal dormidas ou poucas horas de sono normalmente aumentam o nível de estresse do organismo e reduzem a imunidade. Tente dormir de 7 a 8 horas por noite. Se você tem problemas para dormir. Veja nossas dicas para combater a insônia

Ciclos do sono, tipos de sono

5. Consuma vitaminas. Algumas delas são essenciais para o fortalecimento da imunidade, como a vitamina C (encontrada em laranjas e frutas cítricas), vitamina A (encontrada em cenouras e abóbora) e vitamina E (encontrada em grãos, milho e canola).

6. Ingira quantidades adequadas de ômega 3. Esse ácido graxo essencial é um forte aliado do sistema imune e ajuda a prevenir diversas doenças, como doenças cardíacas e até alguns tipos de câncer. O ômega 3 é encontrado em peixes (como o salmão) e em azeite e azeitonas.

7. Beba muita água. Além dela ajudar na renovação celular, a água lubrifica as vias aéreas e evita que infecções e alergias atinjam o corpo. Tente consumir pelo menos 2 litros de água por dia.

8. Mantenha bons hábitos de higiene. Lave sempre as mãos antes das refeições ou após o uso do banheiro, escove sempre os dentes e tome banhos regularmente. Estar sempre limpo afasta diversas doenças e infecções.

9. Evite exageros de qualquer forma. Isso inclui exageros alimentares (consumo excessivo de gordura, etc), consumo de álcool, drogas, cigarro, exercícios físicos extenuantes ou noites sem dormir. Exageros são prejudiciais para o corpo humano e faz com que a imunidade seja reduzida.

10. Evite uso desnecessário de medicamentos. Muitos medicamentos, como os corticosteróides, são imunossupressores e reduzem a produção de células do sistema imune e também de anticorpos. O uso de antibióticos sem necessidade também é prejudicial por pode aumentar a resistência de bactérias.

10 dicas para fortalecer sua imunidade e resistência

Muitas das dicas para melhorar a imunidade estão relacionadas com hábitos de vida e alimentação. Melhorar a sua imunidade e resistência à doenças depende só de você.

10.03.2020 (Update). Por Criasaude.com.br. Fotos: Fotolia.com, Criasaude.com.br

5 plantas medicinais com propriedades anti-inflamatórias

Índia GengibreA natureza é cheia de plantas com propriedades úteis para o ser humano, daí o conceito de plantas medicinais. Descubra abaixo 5 plantas com propriedades anti-inflamatórias que ajudam a reduzir a dor. Deve-se saber que a inflamação é uma resposta natural do organismo frente a uma agressão, como uma doença, uma infecção ou uma lesão, e pode se manifestar por meio de dor, calor, vermelhidão e inchaço da área. Uma inflamação aguda é muitas vezes útil para alertar o organismo do perigo, mas uma inflamação crônica, ao contrário, é prejudicial ao corpo. Algumas plantas ricas em antioxidantes (por exemplo, flavonóides) podem ajudar a combater a inflamação crônica.

1. Gengibre
O gengibre (Zingiber officinalis) é uma planta da família zingiberaceae. Esta planta contém compostos com propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes tais como os gingeróis, paradóis e shogaóis. É por esta razão que é particularmente eficaz no alívio da dor causada pela artrite e outras doenças reumáticas inflamatórias. Para aproveitar ao máximo as propriedades do gengibre, recomenda-se que se coma fresco. O consumo diário de gengibre não causa efeitos secundários específicos, mas pode resultar em diarréia leve ou sensação de queimação no estômago. Estes sintomas eventualmente desaparecem quando o corpo se adaptar ao gengibre.

2. Aroeira
A aroeira ou aroeira-pimenteira (Schinus terebinthifolius) vem de uma árvore nativa do Peru. Os índios da América do Sul a utilizam há muito tempo por suas virtudes naturais. Hoje, é conhecida pelos seus benefícios musculares e articulares. Disponível na forma de óleo essencial, a aroeira destina-se principalmente ao uso externo. Misturado com um pouco de óleo vegetal, é frequentemente usado como um óleo de massagem para tratamento da dor relacionada à artrite e à osteoartrite. Também é eficaz no tratamento de dores e outros traumatismos articulares. O óleo essencial extraído desta planta medicinal ajuda os atletas a se prepararem para o esforço físico. A aroeira também é eficaz no tratamento de crises de gota e dores de dente.
Observe também que, no Brasil, esta planta é uma das poucas plantas medicinais oferecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), planta indicada especialmente durante infecções fúngicas por Candida.

3. Chá verde
O chá verde (Camellia sinensis) deve suas propriedades anti-inflamatórias à sua riqueza em polifenóis, incluindo a catequina, uma substância com poder antioxidante cerca de 200 vezes maior do que a vitamina E. Vários estudos mostraram que o chá verde é um excelente analgésico e anti-inflamatório. É especialmente eficaz no tratamento de doenças inflamatórias, particularmente na redução ou mesmo cessação da ruptura da cartilagem que esse tipo de doença causa. Para aproveitar ao máximo as virtudes do chá verde, é aconselhável deixar infundir por 3 a 5 minutos. Beba este chá de uma a várias vezes por dia.

Açafrão-da-terra4. Açafrão-da-terra
O açafrão-da-terra (Curcuma aromatica, Curcuma longa) tem sido usado há muito tempo na Índia e na China para tratar doenças inflamatórias crônicas. Testes in vitro e em animais demonstraram que este tempero é eficaz no tratamento de pancreatite, artrite reumatóide ou mesmo da colite ulcerativa. Em pessoas com osteoartrite, o tratamento a base de açafrão-da-terra fornece efeitos comparáveis aos anti-inflamatórios convencionais como o ibuprofeno. Os extratos padronizados desta planta medicinal também reduzem os sintomas do intestino irritável e melhoram o conforto das pessoas que sofrem dessa doença. O consumo de açafrão-da-terra também ajuda a prevenir a ocorrência de doenças inflamatórias do fígado e do intestino, como obstrução da via biliar e hepatite.

5. Azeite de oliva
O azeite de oliva é rico em oleocantal, um composto que tem as mesmas propriedades terapêuticas do ibuprofeno, um anti-inflamatório comumente usado. Quatro colheres de sopa de azeite de oliva correspondem a cerca de 10% da dose necessária para combater a dor. A longo prazo, o consumo regular de azeite de oliva ajuda a reduzir o risco de desenvolver muitos tipos de câncer e também doença de Alzheimer.

Update: 29.02.2020. Pela equipe editorial do Criasaude.com.br. Supervisão científica: Xavier Gruffat (farmacêutico).
Créditos fotográficos: Fotolia.com, Creapharma.ch

10 dicas para desintoxicar o corpo no pós Carnaval

8 dicas de beleza para o carnavalSÃO PAULO – O Carnaval é uma festa popular na qual as pessoas dançam, se divertem, comem e bebem em excesso. Devido ao consumo muitas vezes exagerado de comidas e bebidas, nosso corpo necessita de uma verdadeira desintoxicação. Veja nossas dicas de alimentos para ajudar a limpar o corpo depois do Carnaval e voltar com tudo à rotina diária. 

1. Beba bastante água. A água é um excelente aliado na desintoxicação do corpo. Além de hidratar, a água literalmente lava o corpo de dentro para fora, ajudando a eliminar toxinas, dilui poluentes, melhora a função dos rins, e ajuda na digestão.

2. Coma folhas verdes. Alimentos como alface, espinafre, rúcula, acelga, etc são excelentes fontes de fibras. As fibras ajudam a limpar o organismo e melhoram a digestão. Além disso, elas diminuem a absorção de gorduras e toxinas.

Carboidratos3. Dê atenção às frutas. Após o Carnaval, dê atenção especial às frutas, sobretudo àquelas com alto teor de água e baixa caloria, como melancia, abacaxi, melão, morango, etc. Elas são ricas em vitaminas e minerais e ajudam a repor o que foi perdido durante as festas.

4. Tome chá. Muitos tipos de chá, em especial o chá verde e chá preto, são ricos em antioxidantes e ajudam a desintoxicar o corpo. Outros chás poderosos são o de boldopicãoerva-cidreira, dentre outros.

5. Não exagere no café. O café é um aliado na desintoxicação do corpo, mas não exagere. Ele ajuda a melhorar a dor de cabeça causada pela ressaca, além de ser diurético e melhorar a atenção e o alerta.

6. Evite carnes vermelhas e gorduras. Nesse período após o Carnaval, evite esses alimentos, uma vez que são mais difíceis de serem digeridos. Dê preferencia às carnes brancas como peru, peixe, frango e crustáceos. Prefira prepara-los grelhados, assados ou cozidos, ao invés de fritos. Evite também alimentos embutidos (como salsichas, mortadela) e em conserva.

7. Coma grãos. Eles são poderosos aliados na limpeza do organismo, melhoram a digestão e ajudam eliminar toxinas. Dê preferência aos grãos integrais. Exemplos de grãos são trigo, cevada, aveia, centeio, alpiste, semente de girassol, linhaça, etc.

Pratique esportes8. Pratique atividades físicas. Esportes aceleram a limpeza do organismo e ajudam a eliminar toxinas e aquelas calorias extras adquiridas durante as festas. Consulte um orientador físico para saber qual tipo de esporte praticar.

9. Evite beber. O álcool causa desidratação do corpo, além de atrapalhar as funções do fígado e do rim. Por alguns dias, evite o consumo do álcool para que seu corpo se recupere.

10. Dê um descanso ao seu corpo. Uma das partes mais importantes é dar tempo suficiente ao seu corpo para que ele se recupere, elimine todas as toxinas e volte a funcionar normalmente. Evite cair em festas e alimentações desregradas.

Com essas dicas você voltará à ativa o mais breve possível, com um corpo novo e saudável.

Foto: Fotolia.com. Update: 26.02.2020

7 dicas de beleza para o carnaval

8 dicas de beleza para o carnavalSÃO PAULO – O carnaval está chegando e todo mundo quer ficar bonito para desfilar nas avenidas. Os dias de calor e folia podem deixar você com a aparência desgastada e cansada. A pele e o cabelo são os que mais sofrem nesse período de agitação. Veja nossas dicas de beleza para curtir o carnaval e manter a boa aparência.
1. Cuide dos cabelos. No carnaval, um dos destinos preferidos são as praias e piscinas. As águas do mar e da piscina danificam e ressacam os fios de cabelo, deixando-os quebradiços e opacos. Use cremes e máscaras para hidratar e proteger os fios.

2. Cuidado com o sol. Além de causar queimaduras na pele, o sol também danifica os cabelos. Use sempre protetor solar e escolha tomar sol até às 10 da manhã ou depois das 4 da tarde. Use máscaras com filtro solar para proteger os fios de cabelo.

8 dicas de beleza para o carnaval3. Hidrate-se constantemente. A exposição excessiva ao sol, o consumo de bebidas alcóolicas e a constante atividade física (como danças de carnaval, etc), desidratam muito o corpo e prejudicam a pele. Beba preferencialmente água e sucos naturais sem açúcar. Chás gelados sem açúcar também são uma boa pedida.

4. Cuide bem da sua pele. Normalmente as pessoas costumam se maquiar durante o carnaval e acabam por usar produtos inadequados que podem aumentar a incidência de cravos e espinhas. Se você não sabe o que usar, converse com o seu dermatologista. Dê preferência aos produtos à base de água. Lembre-se sempre de remover a maquiagem após a folia.

5. Use roupas leves. O carnaval é uma época de muito calor. Dê preferencia a fantasias leves que permitam você transpirar e se movimentar quando estiver na avenida. Roupas muito abafadas aumentam muito a temperatura do corpo e podem por sua saúde em risco.

6. Evite beber demais. As bebidas alcóolicas prejudicam muito o organismo, além de causar grande desidratação. Evite beber em excesso e, principalmente, evite beber de estômago vazio.

7. Alimente-se bem. Essa dica vale para o ano todo. No carnaval, as pessoas tendem a se alimentar mal e comer comidas de rua. Durante essa época do ano, não saia da sua rotina alimentar. Dê preferencia a frutas com alto teor de água e minerais, como melancia, melão, uvas, abacaxi, etc. Evite comer comidas que você não sabe a procedência.

Com essas dicas você irá pular muitos carnavais com saúde e beleza.
Foto: © Oleg Gekman – Criasaude.com.
Update: 22.02.2020

9 bebidas refrescantes para o verão

Jardim Botânico do Rio de JaneiroRIO DE JANEIRO – O verão chegou (bem). A falta de cuidado com a alimentação pode levar a sérias complicações como desidratação, diarreia e desnutrição. A alimentação no verão deve ser monitorada constantemente para se ter saúde, hidratar o corpo e aproveitar o melhor da estação. Conheça nossas bebidas refrescantes ideais para a estação mais quente do ano e tenha muita saúde.

“Ninar” os adultos também os ajuda a dormir1. Água de coco. A água de coco é rica em vitaminas e minerais que regulam o equilíbrio eletrolítico do corpo, sendo a bebida ideal para aquele dia quente na praia. Além disso, a água de coco contém carboidratos, antioxidantes, aminoácidos e enzimas que ajudam o corpo a funcionar de maneira eficiente.
2. Suco de laranja. Esse suco é rico em vitamina C e betacaroteno, ajudando na saúde da pele e regulando a imunidade. A laranja é extremamente refrescante e você pode servir esse suco com limão. Sirva gelado ou com pedras de gelo.
3. Suco de cenoura. A cenoura é rica em betacaroteno, substância precursora da vitamina Aque é fundamental para a saúde da pele. Além disso, esse suco ajuda a manter um bronzeado bonito e duradouro durante o verão, ajudando a ter aquela cor dourada tão esperada. Uma dica é adicionar laranjas e beterraba ao suco de cenoura, criando um suco para se bronzear.
2. Exagerou na gordura? Coma frutas cítricas4. Suco de limão. Esse suco é rico em vitamina C, sendo um excelente aliado da imunidade, ajudando a prevenir diversas doenças. Além disso, o suco de limão, ou limonada, é extremamente refrescante. Sirva-a bem gelada ou com pedras de gelo.
5. Chá de erva-doce. Também chamada de infusão de melissa, esse chá é refrescante, leve e ajuda na digestão, sendo ideal para aqueles dias que você acha que exagerou na comida. Uma boa dica é servir esse chá gelado com limão e hortelã.
6. Suco de açaí. O açaí é aliado dos atletas por ser rico em energia, sendo ideal para tomar antes de praticar esportes. Além de vitaminas e minerais, o açaí é rico em antioxidantes e substâncias anti-inflamatórias. Beba esse suco gelado.
7. Suco de melancia com gengibre. Essa é uma excelente combinação energética e refrescante. A melancia é hidrante, ajudando a repor a água perdida pelo organismo. O gengibre tem propriedades energéticas que ajudam a combater o cansaço e a fadiga. Beba esse suco gelado ou com pedras de gelo.
8. Chá verde. Rico em antioxidantes, esse chá é aliado na prevenção de diversas doenças, como hipertensãocâncer e atediabetes. Use a criatividade e faça combinações refrescantes com limão, hortelã, gengibre ou até mesmo casca de laranja. Beba esse chá gelado.
9. Suco de abacaxi. O abacaxi é rico em fibras, sendo excelente contra a constipação, além de ter alto teor de vitamina C e outros minerais e ter baixas calorias. Uma excelente dica é adicionar folhas de hortelã para deixar esse suco mais refrescante.

Priorize o consumo de sucos feitos com a própria fruta, ao invés da polpa. Evite também o consumo de açúcar, sal e gorduras. Priorize vegetais frescos, grãos e não se esqueça de beber muita água, pelo menos 2 litros por dia.

Ler: 12 doenças que podem ser prevenidas bebendo muito liquido

Update : 14.01.2020

Quanto devemos beber no verão?

BOSTON – Com o verão, uma pergunta que sempre vem à mente é: quanto de líquido devemos beber por dia durante a estação, sobretudo durante as ondas de calor? O Criasaude.com.br traz esse artigo baseado em conselhos de especialistas.

Por que beber água é importante?

A ingestão de líquidos permite o transporte de nutrientes para as células e elimina as impurezas do corpo. Um ser humano não pode sobreviver mais do que alguns dias sem ingerir líquidos. Sabemos também que beber pode evitar muitas doenças, tais como cistiteconstipaçãoqueimaduras solaresgota, e doenças do trato respiratório (resfriados, gripessinusites, etc).

Quanto devemos beber normalmente?

Quanto devemos beber normalmenteNormalmente, isto é, quando o tempo não está excessivamente quente e seco, é aconselhável que homens bebam cerca de 2,1 litros de líquidos por dia, e as mulheres, 1,5 litros, segundo parecer da Autoridade Europeia para Segurança dos Alimentos (AESA). Considerando a quantidade de líquidos contida nos alimentos, homens devem ingerir 2,6 litros por dia, ao passo que as mulheres, 2 litros, uma vez que estima-se que os alimentos tenham cerca de 500 mL de líquido em seu conteúdo.
A Universidade de Harvard é menos precisa que a AESA e recomenda beber entre 880 mL (ou 30 oz nos EUA) e 1,47 litros (50 oz) por dia, segundo dados publicados em julho de 2015 na Harvard Health Letter. Essa quantidade corresponde a cerca de 4 a 6 copos de água por dia.

Quais as recomendações no caso de fortes ondas de calor?

Neste caso, o recomendado é ingerir cerca de 8 copos de água por dia, pelo menos nos Estados Unidos, como observou o portal cbsnews.com (site da maior emissora de TV dos EUA em termos de audiência). Entretanto, médicos e cientistas dizem que não há estudos que mostrem que essa é a quantidade ideal de água por dia.

Diferentes necessidades individuais

A grande dificuldade para os especialistas é levar em consideração as diferentes necessidades individuais, além de considerar fatores como temperatura e nível de umidade. Por exemplo, uma pessoa que pratica esporte em pleno sol ao meio-dia no verão, provavelmente terá de beber mais litros de água, e não se limitará a 8 copos de água por dia. Um bom método é sempre beber quando você tiver sede. As mulheres grávidas e lactantes também devem beber mais do que a média das outras mulheres. Nesse caso, o médico ou o nutricionista indicarão qual a quantidade adequada.

Como saber se você bebeu líquidoso suficiente?

Uma dica útil para saber se você está bebendo a quantidade adequada de água é sempre olhar para a cor da sua urina. Se ela estiver clara, quase transparente, significa que a quantidade ingerida de líquidos é suficiente. Em contrapartida, caso ela esteja amarela de coloração forte, significa que é importante beber mais água durante o dia. Algumas balanças também medem o nível de hidratação do corpo e garantem um resultado mais preciso. Esses aparelhos são normalmente encontrados em consultórios de nutricionistas e nutrólogos.
Além de água, é indicado ingerir frutas para combater a desidratação, como melancia, melão, pêra, maçã e frutas cítricas.

Uma dica importante é evitar refrigerantes e bebidas doces, como sucos de frutas adoçados. Prefira ingerir água, chás, água de côco e líquidos sem açúcar refinado.

Dica (para não beber apenas água)

Chá gelado de hortelã
Chás de ervas são uma excelente alternativa para hidratar e refrescar durante o verão. Para preparar, coloque 4 sachês de chá de hortelã ou folhas de hortelã em um bule de chá. Ferva 1,5 litros de água e despeje no bule. Adoce a gosto. Espere esfriar e ponha o bule na geladeira. Sirva gelado. Você pode também incrementar sua receita adicionando gotas de limão, ou outras ervas, como capim limão. Beba vários copos por dia.

Leia também: 12 doenças que podem ser prevenidas bebendo muito líquido – 10 dicas quentíssimas para enfrentar o calor – 9 bebidas refrescantes para o verão

Update 29.12.2019. Por Xavier Gruffat (farmacêutico).Fontes: Mayo Clinic, CBSNews, Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (AESA). Fotos: Fotolia.com.

A que horas deve-se tomar os seus remédios? Guia prático

Os analgésicos opiáceos matam mais do que a cocaína e a heroínaSÃO PAULOA maioria dos medicamentos é consumida diariamente na mesma hora. Entretanto, seria preferível tomá-los pela manhã, à noite, antes de ir dormir, de jejum ou após a refeição? Apanhado geral de várias classes de medicamentos à venda sem necessidade de receita médica ou mediante prescrição médica.
Antes de entrar na minúcia, realcemos que sempre é importante ler com atenção as informações contidas na embalagem e na bula, assim como consultar o seu médico ou farmacêutico. Efetivamente, pode haver exceções em função das particularidades de cada indivíduo ou medicamento.

Por que existem diferenças no horário de tomar remédios?
A administração de determinados medicamentos em um momento específico do dia pode se mostrar mais recomendada que a adoção de outro horário. Este estado de coisas deve-se principalmente ao ciclo circadiano, responsável pela regulagem do organismo, especialmente ao nível dos hormônios e do sono. Tomar um medicamento em um momento bem específico do dia possibilita, por exemplo, aumentar o seu efeito ou minimizar alguns efeitos colaterais, tal como ocorre com os antidepressivos (ler a seguir). A ciência que estuda estes fenômenos denomina-se cronobiologia ou cronoterapia.

horario-remedios-infografia-2016

Corticoides. Pela manhã
Como a cortisona é predominantemente produzida pelo organismo pela manhã, é preferível igualmente tomar corticoides (por exemplo, a cortisona) neste momento do dia. A consequência da administração nestas condições é um equilíbrio em relação ao ciclo circadiano natural. Salvo exceção médica, aconselha tomar aproximadamente 2 terços da dose de corticoide pela manhã, após o café da manhã, e o restante (1 terço) no início da tarde.

Antidepressivos. Pela manhã
Em geral, o médico que prescreve antidepressivos recomenda tomá-los pela manhã, sobretudo, no tocante aos inibidores seletivos da recaptação de serotonina (tais como, por exemplo: fluoxetina, citalopram). Estes medicamentos podem desencadear efeitos colaterais com perturbação do sono.

MineraisBisfosfonatos. Pela manhã em jejum
Esses medicamentos, muito utilizados no tratamento e na prevenção da osteoporose, devem ser tomados pela manhã, em jejum. Atenção, esses medicamentos são com frequência tomados uma vez por semana e não cotidiana ou em várias vezes ao dia, como a maioria dos medicamentos. Solicite auxílio junto ao seu médico ou farmacêutico para informações mais detalhadas. É preciso saber que os bisfosfonatos são frequentemente mal absorvidos ao nível gastrointestinal. Esta é a razão pela qual eles devem ser tomados em jejum. Aconselha-se com frequência ingeri-los uma hora antes da refeição.

Hormônio da tireóide. Pela manhã
É aconselhável tomar levotiroxina, um hormônio da tireóide, pela manhã. Além disso, a levotiroxina deve ser tomada com o estômago vazio (ex. de manhã 30 minutos antes do café da manhã), pois isso resulta em uma biodisponibilidade significativamente melhor, conforme observado em outubro de 2019 pela revista científica da Universidade de Basel (Suíça). [email protected]ffizin.

AlergiaAntialérgicos. À noite
Recomenda-se tomar os antialérgicos e, sobretudo, os anti-histamínicos, à noite. Esses medicamentos podem levar à sonolência, o que aumenta o risco de acidentes. Uma administração noturna, por exemplo, para combater a renite alérgica, possibilita igualmente fortalecer os efeitos do medicamento no início da manhã. Com efeito, os sintomas da renite alérgica são mais intensos pela manhã.  É preciso saber que o efeito mais intenso destes antialérgicos é com frequência obtido entre 8 e 12 horas após a sua administração.

Hormônios de crescimento. À noite
Como este hormônio é natural e principalmente produzido durante a noite, a administração noturna é a mais indicada. O objetivo é similar ao caso dos corticóides (ver acima), ou seja, alcançar uma aproximação do ciclo circadiano natural.

Aspirina. À noite
Para evitar eventuais efeitos colaterais afetando o trato digestivo, a aspirina deve ser preferencialmente ingerida à noite e, se possível no momento da refeição.

Estatinas. Ante de se deitar
Muito utilizados pela população, aconselha-se a administração desses medicamentos à noite, antes de o indivíduo ir se deitar. A razão deriva do fato de o fígado produzir muito mais colesterol neste período que durante a tarde. Sabe-se que as estatinas possibilitam reduzir o colesterol ruim (LDL) no sangue.

Tratamento tuberculoseAntibióticos. Variável
Determinadas classes de antibióticos, tais como os macrólidos, a fosfomicina ou a cefalexina são melhor absorvidos quando administrados em momentos distantes de uma refeição. Em contrapartida, uma molécula como a amoxicilina deve preferencialmente ser ingerida no momento da refeição. Em relação aos antibióticos, sempre consulte o seu médico ou farmacêutico.

Antiácidos. Após a refeição, se possível à noite
Os antiácidos são frequentemente administrados duas horas após a refeição. Em geral, os medicamentos contra as úlceras são tomados uma hora após a refeição.
Tomar esses medicamentos após a refeição ou logo antes de ir dormir é uma boa ideia, pois o estômago produz um volume considerável de ácidos gástricos entre às 22:00 e às 2:00 da madrugada.

Atenção, os antiácidos podem apresentar interações com outros medicamentos, tais como o ferro e determinados antibióticos (por exemplo, a tetraciclina). É preciso deixar um intervalo de no mínimo duas horas entre a administração de antiácidos e aquela de outros medicamentos com risco de interação, como o ferro.

Anti-inflamatórios. Em geral no momento da refeição
Medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINS) muito utilizados, tais como o ibuprofeno, são com frequência melhor tolerados quando ingeridos no momento de uma refeição. Os AINS podem causar distúrbios digestivos como as úlceras.

Por Xavier Gruffat (farmacêutico). Artigo atualizado em 03.12.2019. Fotos: Fotolia.com & Criasaude.com.br

10 dicas quentíssimas para enfrentar o calor

10 dicas quentíssimas para enfrentar o calorO verão é uma das estações mais bonitas e divertidas do ano. Nessa época, a incidência solar é muito grande e, com isso, o calor aumenta. Algumas pessoas têm a oportunidade de ir à praia ou piscina para se refrescarem, entretanto, outras continuam com sua rotina de trabalho nas grandes cidades e, nesse caso, o excesso de calor pode ser um empecilho. As pessoas muitas vezes podem ficar cansadas, irritadas e com problemas para dormir devido ao aumento de temperatura.  

Para evitar os cansaços e incômodos causados pelo calor, veja nossas dicas de como agüentar dias muito quentes:

10 dicas quentíssimas para enfrentar o calor1. Use e abuse dos líquidos: procure se hidratar com muita água e sucos naturais de fruta, de preferência, sem açúcar e gelados. Água de coco e chás gelados também são uma boa pedida. Mas ATENÇÃO: evite refrigerantes e bebidas muito calóricas, pois contém muito açúcar e podem te fazer ganhar peso.

2. Procure ingerir alimentos leves. Dê preferência às frutas, legumes e verduras. Abuse das saladas, grãos integrais e carnes brancas, como aves, peixes e frutos do mar, de preferência cozidas ou grelhadas. ATENÇÃO: verifique sempre a procedência dos peixes e frutos do mar, nesse calor, eles estragam rápido.

3. Se você estiver no trabalho ou escola, procure, constantemente, molhar o rosto, nuca, braços e mãos. Essas regiões ajudam a trocar temperatura com o ambiente e ajudam no resfriamento do corpo. Uma boa saída é manter um borrifador de água na geladeira para aplicar constantemente.

4. Se o seu carro ficou no sol, antes de entrar nele abra as portas e janelas para permitir que o calor saia. Proteja os pára-brisas com um papelão e o volante com um pano.

10 dicas quentíssimas para enfrentar o calor5. Se você está na praia ou piscina, evite os horários de maior incidência solar, normalmente das 10-15h. Procure tomar sol antes das 10 ou depois das 15h. Durante esse período, proteja-se com bonés, chapéus ou embaixo de guarda-sol. ATENÇÃO: dê preferências às barracas de algodão ou lona, que absorvem mais a radiação.

6. Se você trabalha na rua e não tem como se abrigar do sol, use um boné, roupas claras e hidrate-se constantemente. Não se esqueça do protetor solar, que é obrigatório antes de sair ao sol. Quando tiver oportunidade, proteja-se na sombra.

7.  Em casa, procure manter janelas e portas abertas para ventilação. Mas cuidado com os insetos: use inseticidas ou telas para evitar sua entrada.

8. Se estiver na academia, procure fazer atividades físicas leves com menos intensidade em dias muito quentes. Hidrate-se constantemente e use roupas leves, nada muito apertado.

9. Evite ficar muito tempo com o ar condicionado ligado. Ele resseca o ar e as vias respiratórias, podendo causar irritação de garganta e mucosas. Prefira o ventilador. Utilize sempre vento indireto para que o ar do ambiente seja todo circulado. Prefira os ventiladores de teto.

10. Procure tomar vários banhos ao dia, com a temperatura da água não muito quente. É importante que uma janela do banheiro esteja aberta para evitar que o vapor se sature e o ambiente fique abafado. Mas ATENÇÃO: os banhos não precisam ser demorados, pense sempre no racionamento de água.

Com essas dicas o seu verão será muito mais divertido e você terá muito mais disposição!

Update: 05.11.2019

10 problemas comuns que afetam o pé

SÃO PAULO – Muitas vezes escondidos em sapatos e meias, os pés com mais de 150 ossos, articulações, tendões, músculos e ligamentos em cada pé, são às vezes negligenciados e até abusados ​​com o risco de serem danificados. Os 2 pés têm 52 ossos, ou 25% de todos os ossos do corpo. Embora a dor no pé seja geralmente de curta duração e benigna, pode ser um sintoma de outras condições que precisam ser diagnosticadas e tratadas a tempo. Com uma média de 6.000 a 7.000 passos por dia, os pés são de importância fundamental. Segundo a revista Prevention, que se baseia em estudos, aproximadamente 25% dos norte-americanos com 45 anos ou mais sofrem de dor crônica nos pés. Para prevenir melhor os riscos de doenças e complicações, descubra 10 problemas comuns nos pés.

1. Gota

A gota é uma doença reumatológica devido ao aumento do nível de ácido úrico no sangue. Essa molécula cristaliza nas articulações e causa uma inflamação extremamente dolorosa que geralmente afeta o pé, especialmente o dedão do pé. Durante um ataque de gota, geralmente apenas uma articulação é afetada, mas as dores são tão torturantes que o simples contato com o lençol pode se tornar insuportável. A gota está aumentando nos últimos anos, especialmente nos países industrializados, devido ao aumento de junk food, ou má alimentação.

2. Infecções fúngicas dos pés e unhas

A micose dos pés (“pé de atleta”) é uma doença infecciosa causada pela proliferação de fungos entre os dedos. Ela se apresenta na forma de vermelhidão e descamação. A aparição de coceira e rachaduras também ajuda a reconhecê-la. O fungo pode se desenvolver sob as unhas, é neste caso de onicomicose. A unha sai levemente da pele, fica com outras cores (amarela ou verde) e varia em espessura ou textura.

3. Dores nos pés (por exemplo, entorse e bolhas)

O pé pode estar sujeito a diferentes tipos de dores, dependendo da região afetada: músculos, ossos, articulações, ligamentos e tendões. Uma entorse também pode causar dor intensa. Sapatos desconfortáveis, atrito excessivo, esportes (por exemplo, futebol) e fadiga são origens de dor nos pés. Em caso de inchaço dos pés, vermelhidão, bolhas, unhas encravadas, calos e calosidades, dor persistente ou se houver dificuldade em mover o pé, é melhor consultar um médico ou um podólogo para evitar qualquer risco de complicações.

4. Unha encravada e paroníquia

A unha encravada é caracterizada pelo crescimento de uma unha na carne, ou seja, dentro da pele. Geralmente é no dedão do pé. A área afetada fica vermelha, com o aparecimento de inflamação dolorosa. Unhas muito curtas, sapatos muito apertados e algumas unhas que curvam naturalmente são origens de unha encravada. Cuidado, sem tratamento, a ferida pode infectar. Às vezes, uma lesão na unha do pé pode promover o desenvolvimento de uma paroníquia, uma infecção bacteriana que, no estágio 3 de sua evolução, pode atingir a corrente sanguínea com risco de sepse.

5. Verrugas plantares

Verrugas plantares estão entre os problemas mais comuns encontrados no pé. Esta é uma pequena excrescência que se desenvolve na sola dos pés. As verrugas geralmente são indolores, mas quando aparecem sob os pés, tornam-se muito dolorosas e precisam ser tratadas rapidamente. A verruga, como mostrado na foto abaixo, também pode estar presente sobre o pé (não na planta).

6. Calos e calosidades

Menos dolorosa do que verrugas e bolhas, a calosidade é caracterizada pelo espessamento da epiderme. Aparece na região de pressão da planta do pé ou onde a pele sofre fricção muito frequente. Quanto ao calo, é reconhecido como uma pequena calosidade amarelada, levemente cônico, que cresce na parte de trás das articulações, principalmente na ponta dos pés e nas extremidades do pé. Causa dor ao caminhar e pode ser infectado se não for cuidado. Os diabéticos devem estar atentos a esses problemas nos pés, que podem ter o diagnóstico retardado, pela ausência de dor.

7. Hálux valgo (joanete)

O hálux valgo ou joanete (bunions em inglês) é um problema de desalinhamento do dedão do pé e do osso comprido que o liga ao tornozelo. Mesmo que as causas ainda não sejam muito precisas, é aconselhável que as mulheres, mais afetadas por essa afecção, evitem, a longo prazo, usar sapatos com bico fino e com salto alto. Outra dica é evitar comprar sapatos muito grandes ou pequenos demais. O hálux valgo pode causar dor persistente no pé e formar um caroço na parte externa do dedão do pé. Estima-se que 30% das mulheres sejam afetadas por uma ou mais joanetes.

8. Neuroma de Morton

O neuroma de Morton se manifesta por uma forte dor entre os dedos dos pés. Isso pode ocorrer como resultado do espessamento ou dilatação do tecido ao redor dos nervos plantares. A aparição do neuroma pode ser explicada pela compressão dos nervos após o uso de sapatos muito apertados. Estima-se que esta doença afete mais mulheres que homens. Nem sempre existe um sinal visível do lado de fora do neuroma de Morton, mas assim que uma dor que se assemelha a uma queimadura ou dormência aparece abaixo ou entre os dedos, o melhor é consultar um médico.

9. Cãibras nos pés

Cãibras nos pés são contrações dolorosas e involuntárias que afetam os músculos. Geralmente são rápidas e podem ser devido a muito esforço que não foi precedido por aquecimento muscular suficiente. O esforço excessivo dos músculos ou a contração muscular sustentada também pode ser a causa dessas cãibras. Desidratação, gravidez ou má circulação sanguínea nos músculos são fatores que podem causar essas dores. No caso de cãibras nos pés, o músculo deve ser alongado suavemente, puxando a ponta do pé em sua direção, com a perna estendida. Massageie a área tensa ou levante-se, estique as pernas e caminhe assim que a dor se dissipar um pouco, também para ajudar a evitar espasmos adicionais.

10. Mau cheiro nos pés (chulé)

O mau cheiro dos pés é geralmente causado pela abundância de transpiração. A falta de higiene dos pés também promove a proliferação de bactérias que se alimentam de pele morta. Outras causas, como estresse, diabetes e o uso de meias e sapatos feitos de materiais que impedem a circulação de ar, como nylon ou poliéster, aumentam o risco de ter chulé. O tratamento da causa e uma boa higiene dos pés permitem afastar esse odor desagradável. Sapatos de couro e meias de algodão são os preferidos. Observe que talco, amido de milho e bicarbonato de sódio absorvem a umidade enquanto um banho regular com chá preto ajuda a reduzir a transpiração e, portanto, o mau cheiro.

Artigo atualizado em 03.12.2019. Pela redação do Creapharma.ch (supervisão científica de Xavier Gruffat, farmacêutico). Fontes e referências: Prevention, Bougersante.ch – veja também fontes sobre os tópicos da doença em Creapharma.ch (por exemplo, gota, micoses nos pés …)

Créditos das fotos: Fotolia.com. Infografias: Pharmanetis Sàrl (Criasaude.com.br).