Suplementos de cálcio não fortalecem os ossos

PUBLICIDADE

CálcioAUCKLAND, NOVA ZELÂNDIA – Um novo estudo mostrou que suplementos de cálcio ou laticínios não previnem fraturas ou retarda a osteoporose. O novo estudo constatou que pessoas acima de 50 anos não ficam com os ossos mais fortes ao tomar suplementos com cálcio ou ingerir mais leite ou derivados ao longo do dia.

O estudo em detalhes
A pesquisa foi realizada pela Universidade de Auckland na Nova Zelância. O Dr. Ian Reid e colegas compilaram dados da literatura científica de diversos estudos ao redor do mundo para verificar o que eles apontavam sobre o consumo de cálcio de fortalecimento dos ossos. Os resultados saíram na revista científica British Medical Journal e apontam que ingerir suplementos de cálcio, além de ser desnecessário, pode prejudicar a saúde. Isso acontece pois o excesso de cálcio, que não vai para o fortalecimento dos ossos, pode se acumular nas artérias causando problemas cardíacos, ou nos rins, gerando pedras nos rins.

PUBLICIDADE

A maioria dos estudos coletados pelos pesquisadores mostrou que pessoas acima dos 50 anos não se beneficiam dos suplementos de cálcio ou do cálcio extra ingerido em alimentos. Segundo o Dr. Reid, pessoas ingerindo suplementos de cálcio tiveram as mesmas chances de sofrerem fraturas que pacientes que não tomavam nenhum tipo de suplemento.

Em 2012, um órgão do governo americano, o US Preventive Services Task Force, lançou um comunicado dizendo não haver evidências suficientes que justifiquem o consumo de suplementos de cálcio e vitamina D na prevenção de fraturas dos ossos ou osteoporose.

A controvérsia do consumo de cálcio
Mulheres acima dos 50 anos de idade são recomendadas a ingerirem 1200 mg de cálcio por dia, e abaixo dos 50 anos, 1000 mg por dia. Os homens acima dos 50 anos são recomendados a tomarem 1000 mg de cálcio por dia, sendo que homens acima dos 70 anos precisam de 1200 mg por dia. Além disso, a ingestão de vitamina D (também produzida pela luz do sol no corpo humano) ajuda a absorver o cálcio.

PUBLICIDADE

Entretanto, diversos estudos mostram não haver diferenças na incidência de fraturas entre pessoas que fazem uso de suplementação de cálcio e das que não fazem. Dados apontam, entretanto, que o consumo em excesso aumenta o risco de pedras nos rins e problemas gastrintestinais.

Uma das principais fontes de cálcio é o leite e derivados. O Dr. Karl Michaelsson, da Universidade de Uppsala na Suécia, liderou um estudo que investigou o consumo de leite e a relação com fraturas ósseas. Os dados foram surpreendentes e mostraram que pessoas que bebiam mais leite por dia tinham mais fraturas do que aquelas que bebiam pouco leite.

O que fazer para melhorar a saúde dos ossos?
Médicos apontam que a prática de exercícios físicos é uma excelente alternativa para manter a saúde dos ossos. Atividades como caminhada, corrida, tênis, musculação, dança, dentre outros, ajudam a aumentar a densidade óssea.

A atividade física tem sido especialmente recomendada para mulheres na pré-menopausa e após a menopausa. Mulheres nessa fase têm perda da densidade óssea devido a alterações hormonais e, devido a isso, a prática de esportes é encorajada.

Além de melhorar a densidade óssea, a prática esportiva melhora a massa muscular, a força dos tendões e o equilíbrio, o que por sua vez, previne quedas e fraturas. Evitar álcool e cigarro também ajuda a fortalecer os ossos.

13 de outubro de 2015. Texto escrito por Matheus Malta de Sá (farmacêutico, USP). Fontes: BMJ.com, NBCNews.com. Fotos: Fotolia.com

PUBLICIDADE

Observação da redação: este artigo foi modificado em 25.10.2015

 

Inscrever-se na nossa newsletter (de graça)

 

Ler também: