Publicidade

Por que as mulheres de meia-idade tomam tantos antidepressivos?

NOVA YORK – Nos Estados Unidos, cerca de uma em cada cinco mulheres entre 40 e 59 anos toma antidepressivos, enquanto menos de 10% dos homens na mesma faixa etária os tomam. Além disso, cerca de 1 em cada 4 mulheres com 60 anos ou mais toma antidepressivos em comparação com cerca de 1 em 10 para aquelas com 18 a 39 anos. Como pode ser visto, são principalmente as mulheres de meia-idade que começam a tomar antidepressivos. Essas estatísticas coletadas nos Estados Unidos vêm do National Center for Health Statistics e se referem a pessoas que tomaram antidepressivos nos últimos 30 dias entre 2015 e 2018. Esses dados foram coletados antes da pandemia de Covid-19. Supõe-se que com aproximadamente 2 anos de Covid-19, o número de mulheres entre 40 e 60 anos em uso de antidepressivos aumentou ainda mais, especialmente entre as mulheres na pós-menopausa, conforme observado pelo Wall Street Journal em uma de suas edições do início de abril de 2022. Na Suíça, um relatório publicado em abril de 2022 mostrou que, em geral, as mulheres são mais propensas do que os homens a receber antidepressivos.

Por que essas mulheres são tão afetadas pela depressão?


Para muitas mulheres, os 50 anos marcam a entrada na menopausa. A pesquisa científica mostrou que os anos antes, durante e após a menopausa são particularmente propensos a sofrer de depressão. A menopausa é caracterizada por uma grande variação nos hormônios estrogênio e progesterona. Essas mudanças hormonais abruptas podem afetar a moral. Além disso, existem muitos receptores de estrogênio e progesterona no cérebro.

Menopausa, período de risco

A entrada na menopausa é definida como quando uma mulher não menstrua há mais de 12 meses. Nos Estados Unidos, a idade média da menopausa é de 51 anos. Existem diferenças bastante significativas, algumas mulheres podem estar na menopausa em seus 30 ou 40 anos e outras em seus 50 ou mesmo 60 anos. O risco de uma mulher sofrer de depressão grave na idade da menopausa é 2 a 4 vezes maior do que em outros períodos da vida, de acordo com o Wall Street Journal, baseado em estudos científicos. Uma pesquisa norte-americana do instituto National Institute of Mental Health mostrou que o risco de depressão é maior 2 anos antes e 2 anos após a última menstruação, ou seja, por um período de cerca de 4 anos. Dito isto, 2 pequenos estudos suíços publicados em 2016 na revista científica World Psychiatry estimaram, pelo contrário, que a menopausa não teve impacto na depressão. Mas a maioria dos estudos publicados acredita que a menopausa aumenta o risco de sofrer de depressão.

Outra causa
O estresse é outra causa de depressão. Sabemos que muitas mulheres entre 40 e 60 anos muitas vezes têm que fazer malabarismos entre uma vida profissional às vezes ocupada e sua família. Todos esses elementos explicam por que as mulheres de meia-idade são as principais consumidoras de antidepressivos junto com aquelas com mais de 60 anos. As mulheres tomam mais antidepressivos do que os homens, talvez também porque vão a um médico ou psiquiatra com mais facilidade.

Novos medicamentos

Novos medicamentos direcionados em particular aos receptores de estrogênio no cérebro podem ser lançados no mercado nos próximos anos. Os hormônios de reposição podem ser tratamentos eficazes durante o período da menopausa, converse com seu médico pois esses medicamentos possuem contraindicações para algumas mulheres.

13 de abril de 2022 (última atualização). Por Xavier Gruffat (farmacêutico). Fonte: The Wall Street Journal. Revisão (Seheno Harinjato, editor da Creapharma.ch)

Esta informação foi útil?

Observação da redação: este artigo foi modificado em 23.05.2022

Publicidade