A síndrome do coração partido, não é um mito

PUBLICIDADE

NOVA YORK  – A síndrome do coração partido permanece uma condição pouco conhecida das pessoas em geral, mas pode matar em cerca de 5% dos casos e, às vezes, levar a um AVC (derrame). Esta síndrome, também conhecida como síndrome de tako-tsubo ou takotsubo, refere-se a um sofrimento amoroso, um “coração partido”. Embora um coração partido seja uma causa comum, este não é o único fator que pode desencadear esta síndrome. Estresse emocional intenso, como o luto, também pode causar uma crise, bem como outras causas, como insuficiência respiratória e alguns choques físicos. Em 19 de outubro de 2017, o Washington Post citou o caso de uma mulher que sofria de síndrome do coração partido devido à morte de seu cão. Mas muitas vezes os pacientes que passam por este evento tão doloroso são incapazes de saber a causa exata dessa miopatia. As mulheres na pós-menopausa são particularmente afetadas por essa síndrome.

Sinais típicos

PUBLICIDADE

A síndrome do coração partido é uma condição que se assemelha aos sintomas do infarto do coração (ataque cardíaco), mas não afeta as artérias coronárias. Em outras palavras, as causas fisiológicas são diferentes.

Uma pessoa que sofre desta síndrome sente na maioria dos casos uma dor severa no peito e, às vezes, falta de ar ou perda de consciência. A semelhança com os sintomas de ataque cardíaco é uma das razões pelas quais a doença é muitas vezes diagnosticada erroneamente por serviços de emergência e médicos.

Para ter certeza de que esta é uma síndrome do coração partido e não um infarto, o médico fará a angiografia. Em caso de síndrome do coração partido, nenhum sinal de problemas com as artérias coronárias aparece no exame.

A taxa de mortalidade da síndrome do coração partido é ligeiramente menor do que a do infarto do miocárdio (cerca de 5%), mas permanece maior do que era imaginado no passado, como demonstrado por um estudo suíço publicado em setembro de 2015. (leia abaixo).

Causas complexas

Embora as causas ainda não sejam todas conhecidas, sabemos que os eventos estressantes podem estar na raiz dessa crise, como um sofrimento amoroso, a perda de um ente querido, um divórcio etc. Por outro lado, um evento que leva a uma certa euforia e alegria intensa também pode causar uma síndrome do coração partido, como confirmado por um estudo suíço. O fator emocional parece ser fundamental como agente desencadeante.

PUBLICIDADE

Causas físicas, embora raro, também podem desencadear uma crise, como um esforço intenso como um passeio de bicicleta muito difícil. No nível fisiológico, os cientistas acreditam que em períodos de estresse intenso, o corpo libera hormônios chamados catecolaminas, como a adrenalina ou a dopamina, esses hormônios podem afetar o coração e os vasos sanguíneos.

Mulher inconsolável, morte do cachorro

O prestigiado jornal estadunidense The Washington Post (WP) cita a história de uma mulher de 62 anos que foi ao pronto-socorro em 2016 devido a fortes dores no peito. Naquela época, sua vida estava estressante com a recente morte de seu cachorro. Ela afirmou ao WP que depois da morte de seu cachorro ela estava praticamente inconsolável. No serviço de emergência, após a realização de um eletrocardiograma, os médicos encontraram uma elevação do segmento ST nas derivações anterolaterais. Além disso, a angiografia coronariana de emergência revelou artérias coronárias normais para descartar infarto do coração. A síndrome de Takotsubo foi confirmada pela equipe médica. A administração de medicamentos anti-hipertensivos permitiu que essa mulher se recuperasse bem, um ano após esse evento traumático ela não apresentou mais sintomas (assintomática). O artigo WP refere-se a um estudo publicado em 19 de outubro de 2017 na revista científica The New England Journal of Medicine (DOI: 10.1056 / NEJMicm1615835).

Tratamentos atuais ineficazes
De acordo com um estudo da Universidade de Zurique (Suíça), publicado em setembro de 2015 na revista científica New England Journal of Medicine, o uso de beta-bloqueadores se mostrou, todavia, ineficaz. Atualmente, os médicos prescrevem beta-bloqueadores para prevenir futuras crises. Este trabalho de pesquisa suíço também mostrou que esta síndrome levou a muito mais mortes e complicações do que os cientistas imaginavam até agora.

As mulheres são as mais afetadas
A síndrome do coração partido afeta particularmente as mulheres na pós-menopausa. Nos Estados Unidos, um estudo do American Journal of Cardiology mostrou que 6.230 americanos foram hospitalizados por causa dessa síndrome no ano de 2012. Cerca de 90% das pessoas afetadas são mulheres, especialmente aquelas com mais de 50 anos de idade.

Artigo atualizado em 25 de outubro de 2017. Por Xavier Gruffat. Fontes: The Wall Street Journal, CBSNews, The Washington Post, New England Journal of Medicine, The New England Journal of Medicine (DOI: 10.1056/NEJMicm1615835).
Fotos: Fotolia.com

PUBLICIDADE

Observação da redação: este artigo foi modificado em 20.07.2019

 

Inscrever-se na nossa newsletter (de graça)

 

Ler também: