10 problemas comuns que afetam o pé

PUBLICIDADE

Muitas vezes escondidos em sapatos e meias, os pés com mais de 150 ossos, articulações, tendões, músculos e ligamentos em cada pé, são às vezes negligenciados e até abusados ​​com o risco de serem danificados. Os 2 pés têm 52 ossos, ou 25% de todos os ossos do corpo. Embora a dor no pé seja geralmente de curta duração e benigna, pode ser um sintoma de outras condições que precisam ser diagnosticadas e tratadas a tempo. Com uma média de 6.000 a 7.000 passos por dia, os pés são de importância fundamental. Segundo a revista Prevention, que se baseia em estudos, aproximadamente 25% dos norte-americanos com 45 anos ou mais sofrem de dor crônica nos pés. Para prevenir melhor os riscos de doenças e complicações, descubra 10 problemas comuns nos pés.

1. Gota

PUBLICIDADE

A gota é uma doença reumatológica devido ao aumento do nível de ácido úrico no sangue. Essa molécula cristaliza nas articulações e causa uma inflamação extremamente dolorosa que geralmente afeta o pé, especialmente o dedão do pé. Durante um ataque de gota, geralmente apenas uma articulação é afetada, mas as dores são tão torturantes que o simples contato com o lençol pode se tornar insuportável. A gota está aumentando nos últimos anos, especialmente nos países industrializados, devido ao aumento de junk food, ou má alimentação.

2. Infecções fúngicas dos pés e unhas

A micose dos pés (“pé de atleta”) é uma doença infecciosa causada pela proliferação de fungos entre os dedos. Ela se apresenta na forma de vermelhidão e descamação. A aparição de coceira e rachaduras também ajuda a reconhecê-la. O fungo pode se desenvolver sob as unhas, é neste caso de onicomicose. A unha sai levemente da pele, fica com outras cores (amarela ou verde) e varia em espessura ou textura.

3. Dores nos pés (por exemplo, entorse e bolhas)

O pé pode estar sujeito a diferentes tipos de dores, dependendo da região afetada: músculos, ossos, articulações, ligamentos e tendões. Uma entorse também pode causar dor intensa. Sapatos desconfortáveis, atrito excessivo, esportes (por exemplo, futebol) e fadiga são origens de dor nos pés. Em caso de inchaço dos pés, vermelhidão, bolhas, unhas encravadas, calos e calosidades, dor persistente ou se houver dificuldade em mover o pé, é melhor consultar um médico ou um podólogo para evitar qualquer risco de complicações.

4. Unha encravada e paroníquia

A unha encravada é caracterizada pelo crescimento de uma unha na carne, ou seja, dentro da pele. Geralmente é no dedão do pé. A área afetada fica vermelha, com o aparecimento de inflamação dolorosa. Unhas muito curtas, sapatos muito apertados e algumas unhas que curvam naturalmente são origens de unha encravada. Cuidado, sem tratamento, a ferida pode infectar. Às vezes, uma lesão na unha do pé pode promover o desenvolvimento de uma paroníquia, uma infecção bacteriana que, no estágio 3 de sua evolução, pode atingir a corrente sanguínea com risco de sepse.

5. Verrugas plantares

Verrugas plantares estão entre os problemas mais comuns encontrados no pé. Esta é uma pequena excrescência que se desenvolve na sola dos pés. As verrugas geralmente são indolores, mas quando aparecem sob os pés, tornam-se muito dolorosas e precisam ser tratadas rapidamente. A verruga, como mostrado na foto abaixo, também pode estar presente sobre o pé (não na planta).

PUBLICIDADE

6. Calos e calosidades

Menos dolorosa do que verrugas e bolhas, a calosidade é caracterizada pelo espessamento da epiderme. Aparece na região de pressão da planta do pé ou onde a pele sofre fricção muito frequente. Quanto ao calo, é reconhecido como uma pequena calosidade amarelada, levemente cônico, que cresce na parte de trás das articulações, principalmente na ponta dos pés e nas extremidades do pé. Causa dor ao caminhar e pode ser infectado se não for cuidado. Os diabéticos devem estar atentos a esses problemas nos pés, que podem ter o diagnóstico retardado, pela ausência de dor.

7. Hálux valgo (joanete)

O hálux valgo ou joanete (bunions em inglês) é um problema de desalinhamento do dedão do pé e do osso comprido que o liga ao tornozelo. Mesmo que as causas ainda não sejam muito precisas, é aconselhável que as mulheres, mais afetadas por essa afecção, evitem, a longo prazo, usar sapatos com bico fino e com salto alto. Outra dica é evitar comprar sapatos muito grandes ou pequenos demais. O hálux valgo pode causar dor persistente no pé e formar um caroço na parte externa do dedão do pé. Estima-se que 30% das mulheres sejam afetadas por uma ou mais joanetes.

8. Neuroma de Morton

O neuroma de Morton se manifesta por uma forte dor entre os dedos dos pés. Isso pode ocorrer como resultado do espessamento ou dilatação do tecido ao redor dos nervos plantares. A aparição do neuroma pode ser explicada pela compressão dos nervos após o uso de sapatos muito apertados. Estima-se que esta doença afete mais mulheres que homens. Nem sempre existe um sinal visível do lado de fora do neuroma de Morton, mas assim que uma dor que se assemelha a uma queimadura ou dormência aparece abaixo ou entre os dedos, o melhor é consultar um médico.

9. Cãibras nos pés

Cãibras nos pés são contrações dolorosas e involuntárias que afetam os músculos. Geralmente são rápidas e podem ser devido a muito esforço que não foi precedido por aquecimento muscular suficiente. O esforço excessivo dos músculos ou a contração muscular sustentada também pode ser a causa dessas cãibras. Desidratação, gravidez ou má circulação sanguínea nos músculos são fatores que podem causar essas dores. No caso de cãibras nos pés, o músculo deve ser alongado suavemente, puxando a ponta do pé em sua direção, com a perna estendida. Massageie a área tensa ou levante-se, estique as pernas e caminhe assim que a dor se dissipar um pouco, também para ajudar a evitar espasmos adicionais.

10. Mau cheiro nos pés (chulé)

O mau cheiro dos pés é geralmente causado pela abundância de transpiração. A falta de higiene dos pés também promove a proliferação de bactérias que se alimentam de pele morta. Outras causas, como estresse, diabetes e o uso de meias e sapatos feitos de materiais que impedem a circulação de ar, como nylon ou poliéster, aumentam o risco de ter chulé. O tratamento da causa e uma boa higiene dos pés permitem afastar esse odor desagradável. Sapatos de couro e meias de algodão são os preferidos. Observe que talco, amido de milho e bicarbonato de sódio absorvem a umidade enquanto um banho regular com chá preto ajuda a reduzir a transpiração e, portanto, o mau cheiro.

Artigo atualizado em 23.10.2019. Pela redação do Creapharma.ch (supervisão científica de Xavier Gruffat, farmacêutico). Fontes e referências: Prevention, Bougersante.ch – veja também fontes sobre os tópicos da doença em Creapharma.ch (por exemplo, gota, micoses nos pés …)

Créditos das fotos: Fotolia.com. Infografias: Pharmanetis Sàrl (Criasaude.com.br).

PUBLICIDADE

Observação da redação: este artigo foi modificado em 23.10.2019

 

Inscrever-se na nossa newsletter (de graça)

 

Ler também: